Publicada a nova edição da ISO 50001

Já está disponível uma nova edição atualizada dessa norma que tem o objetivo de melhorar o desempenho energético.

50001_3Da Redação –

O consumo de energia está aumentando, apesar de contribuir para quase 60% das emissões mundiais de gases de efeito estufa. Ao mesmo tempo, mais de um bilhão de pessoas ainda não têm acesso à energia elétrica e muitas ainda contam com fontes de energia prejudiciais e poluidoras. Não surpreende, portanto, que a abordagem dos desafios de eficiência energética e mudanças climáticas constitua uma parte fundamental dos 17 Sustainable Development Goals da Agenda 2030 das Nações Unidas.

A ISO 50001:2018 – Energy management systems – Requirements with guidance for use transformou o desempenho energético das organizações em todo o mundo quando foi publicada pela primeira vez em 2011, dando-lhes uma ferramenta estratégica para usar sua energia de forma mais eficiente e eficaz. Ela fornece uma estrutura para gerenciar o desempenho de energia e abordar os custos de energia, ao mesmo tempo em que ajuda as empresas a reduzir seu impacto ambiental para atender às metas de redução de emissões.

Atualizada e republicada, pode-se tornar ainda mais eficaz para enfrentar os desafios energéticos do mundo. Roland Risser, presidente do comitê técnico da ISO que desenvolveu a norma, informa que a nova versão apresenta termos e definições atualizados e maior esclarecimento sobre certos conceitos de desempenho energético. “Há uma ênfase mais forte no papel da alta gerência também, pois é importante instilar uma mudança de cultura organizacional”, explicou. “Agora também está alinhado com os requisitos da ISO para as normas de gestão, facilitando a sua integração nos sistemas de gestão existentes da organização”. Há um total de 20.216 certificados da ISO 50001 que foram emitidos até o final de 2016, de acordo com a Pesquisa ISO, o que revela que as certificações para a norma aumentaram em 69% durante esse ano.

O objetivo deste documento é permitir que as organizações estabeleçam os sistemas e processos necessários para melhorar continuamente o desempenho energético, incluindo a eficiência energética, o uso de energia e o consumo de energia. Este documento especifica os requisitos do sistema de gerenciamento de energia (energy management system – EnMS) para uma organização.

A implementação bem sucedida de um EnMS suporta uma cultura de melhoria do desempenho energético que depende do comprometimento em todos os níveis da organização, especialmente da alta administração. Em muitos casos, isso envolve mudanças culturais dentro de uma organização.

Este documento aplica-se às atividades sob o controle da organização. Sua aplicação pode ser adaptada para atender aos requisitos específicos da organização, incluindo a complexidade de seus sistemas, o grau de informação documentada e os recursos disponíveis. Este documento não se aplica ao uso de produtos por usuários finais fora do escopo e dos limites do EnMS, nem se aplica ao projeto de produtos fora de instalações, equipamentos, sistemas ou processos que usam energia.

Este documento se aplica ao projeto e aquisição de instalações, equipamentos, sistemas ou processos de uso de energia dentro do escopo e limites do EnMS. O desenvolvimento e implementação de um EnMS inclui uma política de energia, objetivos, metas de energia e planos de ação relacionados à sua eficiência energética, uso de energia e consumo de energia, atendendo aos requisitos legais aplicáveis e outros requisitos. Um EnMS permite que uma organização defina e atinja objetivos e metas de energia, tome ações conforme necessário para melhorar seu desempenho energético e demonstre a conformidade de seu sistema com os requisitos deste documento.

Este documento fornece requisitos para um processo sistemático, orientado por dados e baseado em fatos, focado na melhoria contínua do desempenho energético. O desempenho energético é um elemento-chave integrado nos conceitos introduzidos neste documento, a fim de garantir resultados efetivos e mensuráveis ​​ao longo do tempo.

O desempenho energético é um conceito relacionado com a eficiência energética, o uso de energia e o consumo de energia. Indicadores de desempenho de energia (energy performance indicators – EnPIs) e linhas de base de energia (energy baseline – EnBs) são dois elementos inter-relacionados abordados neste documento para permitir que as organizações demonstrem a melhoria do desempenho energético.

O EnMS descrito neste documento é baseado na estrutura de melhoria contínua Plan-Do-Check-Act (PDCA) e incorpora o gerenciamento de energia nas práticas organizacionais existentes, conforme ilustrado na figura abaixo. No contexto da gestão de energia, a abordagem PDCA pode ser descrita da seguinte forma:

Planejar: compreender o contexto da organização, estabelecer uma política energética e uma equipe de gerenciamento de energia, considerar ações para enfrentar riscos e oportunidades, realizar uma revisão energética, identificar usos significativos de energia (significant energy uses – SEUs) e estabelecer indicadores de desempenho energético (EnPIs), linha de base (s) (EnBs), objetivos e metas de energia, e planos de ação necessários para fornecer resultados que melhorarão o desempenho energético de acordo com a política energética da organização.

– Fazer : implementar os planos de ação, controles operacionais e de manutenção e comunicação, garantir competência e considerar o desempenho energético no projeto e aquisição.

– Verificar: monitore, meça, analise, avalie, faça auditoria e conduza revisões de gerenciamento do desempenho energético e do EnMS.

– Agir: tomar medidas para lidar com não conformidades e melhorar continuamente o desempenho energético e o EnMS.

50001_2

Ciclo Planejar-Fazer-Verificar-Agir

Este documento está em conformidade com os requisitos da ISO para as normas de sistema de gestão, incluindo uma estrutura de alto nível, texto principal idêntico e termos e definições comuns, garantindo assim um alto nível de compatibilidade com outros padrões do sistema de gerenciamento. Pode ser usado de forma independente, no entanto, uma organização pode optar por combinar seu EnMS com outros sistemas de gestaõ ou integrar seu EnMS ao alcance de outros objetivos comerciais, ambientais ou sociais. Duas organizações que executam operações semelhantes, mas com desempenho energético diferente, podem estar em conformidade com os requisitos da ISO 50001.

Este documento contém os requisitos usados para avaliar a conformidade. Uma organização que deseja demonstrar conformidade com este documento pode fazê-lo: fazer uma avaliação e autodeclaração, ou buscar a confirmação de sua conformidade ou autodeclaração pelas partes interessadas, tais como clientes, ou buscar a certificação/registro de seu EnMS por uma organização externa.

Informações marcadas como “NOTA” destinam-se a auxiliar o entendimento ou uso do documento. As “notas de entrada” usadas na Cláusula 3 fornecem informações adicionais que complementam os dados terminológicos e podem conter requisitos relacionados ao uso de um termo. A implementação efetiva deste documento fornece uma abordagem sistemática para melhoria do desempenho energético que pode transformar a forma como as organizações gerenciam energia.

Ao integrar o gerenciamento de energia às práticas comerciais, as organizações podem estabelecer um processo para melhoria contínua do desempenho energético. Ao melhorar o desempenho energético e os custos de energia associados, as organizações podem ser mais competitivas. Além disso, a implementação pode levar as organizações a atingir as metas gerais de mitigação das mudanças climáticas, reduzindo suas emissões de gases de efeito estufa relacionadas à energia.

Enfim, esse documento especifica os requisitos para estabelecer, implementar, manter e melhorar um sistema de gerenciamento de energia (EnMS). O resultado pretendido é permitir que uma organização siga uma abordagem sistemática para alcançar a melhoria contínua do desempenho energético e do EnMS.

Esse documento: é aplicável a qualquer organização, independentemente do seu tipo, tamanho, complexidade, localização geográfica, cultura organizacional ou dos produtos e serviços que fornece; é aplicável a atividades que afetam o desempenho energético que são gerenciadas e controladas pela organização; é aplicável independentemente da quantidade, uso ou tipos de energia consumida; requer demonstração de melhoria contínua do desempenho energético, mas não define níveis de melhoria do desempenho energético a serem alcançados; pode ser usado independentemente, ou ser alinhado ou integrado com outros sistemas de gerenciamento. O Anexo A fornece orientação para o uso deste documento. O Anexo B fornece uma comparação desta edição com a edição anterior.

Conteúdo da norma (em inglês)

Foreword

Introduction

1 Scope

2 Normative references

3 Terms and definitions

3.1 Terms related to organization

3.2 Terms related to management system

3.3 Terms related to requirement

3.4 Terms related to performance

3.5 Terms related to energy

4 Context of the organization

4.1 Understanding the organization and its context

4.2 Understanding the needs and expectations of interested parties

4.3 Determining the scope of the energy management system

4.4 Energy management system

5 Leadership

5.1 Leadership and commitment

5.2 Energy policy

5.3 Organization roles, responsibilities and authorities

6 Planning

6.1 Actions to address risks and opportunities

6.2 Objectives, energy targets and planning to achieve them

6.3 Energy review

6.4 Energy performance indicators

6.5 Energy baseline

6.6 Planning for collection of energy data

7 Support

7.1 Resources

7.2 Competence

7.3 Awareness

7.4 Communication

7.5 Documented information

8 Operation

8.1 Operational planning and control

8.2 Design

8.3 Procurement

9 Performance evaluation

9.1 Monitoring, measurement, analysis and evaluation of energy performance and the EnMS

9.2 Internal audit

9.3 Management review

10 Improvement

10.1 Nonconformity and corrective action

10.2 Continual improvement

Annex A Guidance for use

A.1 General

A.2 Relationship between energy performance and the EnMS

A.3 Clarification of terminology

A.4 Context of the organization

A.5 Leadership

A.6 Planning

A.7 Support

A.8 Operation

A.9 Performance evaluation

A.10 Improvement

Annex B Correspondence between ISO 50001:2011 and ISO 50001:2018

Bibliography

Alphabetical list of terms

Figures

Tables



Categorias:Normalização, Qualidade

Tags:, ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: