Publicado em 30 Jun 2020

A gestão de ativos inteligente em períodos de crise

Redação

Entenda como essa prática pode identificar as prioridades e entregar cronogramas com base em previsões precisas.

Ricardo Hayashi – 

Será fundamental implantar estratégias para manter as plantas em condições ideais para retomada após o fim das políticas de distanciamento social para enfrentamento a crise da pandemia. E no centro dessas estratégias certamente está a coleta e análise dos dados sobre a condição dos ativos.

A gestão de ativos inteligente, baseada em dados, cria um cenário em que as empresas usam a enorme quantidade de informações à sua disposição para alinhar as atividades de manutenção à criticidade e riscos de ativos individuais. Uma gestão de ativos inteligente identifica as prioridades e entrega cronogramas com base em previsões precisas, e não em relatórios improvisados após um determinado evento.

Além disso, com a automação da coleta de dados, as equipes de manutenção atualizam as informações e gerenciam os ativos em tempo real de forma remota, poupando os técnicos de deslocamentos para leitura local de instrumentos dos ativos, aumentando a segurança na rotina destes profissionais, e se adequando com as orientações para conter a disseminação de vírus. Mas, para coletar e analisar esses dados dos ativos enviados por soluções de IoT, é preciso contar com uma plataforma única de gestão de ativos que ofereça a capacidade de receber e armazenar todos os dados dos diversos sensores distribuídos em todos os equipamentos que fazem parte da operação, em tempo real.

As plataformas modernas para gestão de ativos integram as info...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica