Publicado em 29 Sep 2020

Os ensaios de imunidade dos veículos a distúrbios eletromagnéticos

Redação

Atualmente, o funcionamento de um veículo depende da boa integração e interação entre todos os sistemas eletroeletrônicos que os compõem, de modo que não haja a interferência eletromagnética entre ele e também que não sofram influência de sinais os quais são expostos no meio físico em que operam, causando o funcionamento não satisfatório desses no veículo. Pode-se destacar que a interferência eletromagnética (EMI) é a interrupção da operação de um dispositivo eletrônico quando nas proximidades da energia eletromagnética de uma fonte elétrica externa - produzida pelo homem ou que ocorre naturalmente. Às vezes, chamada de interferência de radiofrequência (RFI), a EMI pode fazer com que os dispositivos não funcionem corretamente ou como foram planejados. As fontes de EMI geralmente são fabricadas pelo homem, provenientes de outros dispositivos elétricos, como fontes de alimentação comutadas, circuitos internos de computadores pessoais, monitores de tubo de raios catódicos (CRT), para citar apenas alguns, mas também podem ocorrer naturalmente, chegando de coisas como tempestades elétricas, radiação solar ou ruídos cósmicos. Já a compatibilidade eletromagnética (EMC) é o conceito de permitir que um dispositivo opere corretamente no ambiente pretendido, com ou na presença de outros dispositivos elétricos ou fontes de EMI. Da mesma forma, um dispositivo é considerado compatível com EMC quando não influencia o ambiente eletromagnético na medida em que as funções de outros dispositivos e sistemas são afetadas negativamente. Assim, durante a fase de desenvolvimento e validação de um veículo, as montadoras consideram, como parte integrante do plano de desenvolvimento e validação, ensaios de compatibilidade eletromagnética, de forma a garantir que não haja degradação das funções dos sistemas no veículo devido às interferências eletromagnéticas internas ou externas. As correções observadas e necessárias a serem implementadas durante o desenvolvimento e validação do veículo se tornam tão maiores, quanto mais avançada estiver a fase do projeto em seu cronograma e consequentemente, maiores serão os custos. Como solução para este problema, utilizam-se algumas ferramentas de simulação para interferência eletromagnética com objetivo principal de otimizar custos durante a fase de desenvolvimento e validação do veículo, além de se conseguir prever eventuais problemas de EMC, antes mesmo da construção de protótipos utilizados para os testes. Utilizando-se softwares de Simulação Eletromagnética, podem-se antever possíveis problemas que somente iriam ser constatados após montagem de protótipos juntamente com a realização dos primeiros testes de desenvolvimento e validação. Deve-se conhecer os métodos de ensaio de imunidade dos carros de passeio e veículos comerciais a distúrbios eletromagnéticos provenientes de transmissores de bordo conectados a uma antena externa e transmissores portáteis com antena integrada, independentemente do sistema de propulsão do veículo (por exemplo, motor de explosão, motor elétrico, etc.).

Houve um aumento dos sistemas eletrônicos embarcados em veículos e esses sistemas eletroeletrônicos apresentam características de sensibilidade quanto a campos eletromagnéticos irradiados por outras fontes como também irradiados pelos mesmos. Dessa forma, tornou-se relevante análise eletromagnética dos veículos durante as fases de desenvolvimento e validação.

Quanto mais sofisticado o veículo, maior o nível de conforto e segurança que o mesmo oferece para o usuário, maior o volume de eletrônica embarcada no mesmo, pois é através da eletrônica que se conseguem veículos cada vez mais sofisticados e seguros. São muitos os sistemas eletroeletrônicos que compõem um veículo. O sistema de carga é composto pela bateria, alternador, motor de partida, sensor de corrente, módulos que realizam o gerenciamento de energia do veículo.

O sistema de conveniência é composto pelos módulos de levantador de vidros, sensor de chuva, travas elétricas, sensor de luminosidade, sensor de pressão dos pneus, controle de faróis; e detecção de objetos. O sistema de entretenimento é composto pelo rádio, dvd e o sistema de informação inclui o cluster, rastreadores; sistema eletrônico de estacionamento. O sistema de segurança é composto pelo freio ABS, buzina, airbag, sistema de estabilidade, direção elétrica, imobilizadores, alarme. O sistema de navegação inclui o sistema de posicionamento geográfico (GPS) e rastreadores e o gerenciamento do motor é composto pela injeção eletrônica e senso...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica