Livro: Aprenda a Empreender — Antes que o mercado exija!

Esse manual tem informações úteis e recomendações práticas e mostra ao leitor o quanto é importante vestir a carapuça de ser um empreendedor.

Da Redação –

CAPA LIVRO

De autoria de Claudius D’Artagnan Barros, Marco A. Oliveira e Pedro Grawunder essa publicação apresenta algumas teses importantes fundamentando o que os seus autores, sabem e pensam sobre empreendedorismo, sobre a figura do empreendedor e sobre o que significa sua atuação em um mercado. Esse ideário tem quatro grandes premissas. Uma delas, os mundos dos negócios e do trabalho, em conjunto, hoje incentivam as pessoas a se assumirem como empreendedores, queiram elas ou não.

A rigor, não existe alternativa a isso: qualquer que seja sua formação educacional, sua profissão, idade, gênero, nacionalidade, religião ou qualquer outra forma de identificar-se segundo uma classificação dada pela sociedade, você terá de se tornar um empreendedor.

Outra premissa é que a necessidade de empreender exige das pessoas que mudem uma grande parcela de seus atuais comportamentos e atitudes, consequentemente adotando novas formas de sentir, de pensar e de encarar os fatos –, ou seja, que elas reflitam profundamente sobre si mesmas e se reexperimentem em muitos aspectos. Isso as levará a mudar uma boa parcela de seus valores e de seus atuais hábitos.

A verdade é que, para a quase totalidade da população, em todos os lugares, a vida passou a estabelecer situações e a apresentar estímulos totalmente diversos daqueles com que essas pessoas se familiarizaram nos seus anos de formação — e que se tornaram velhos e obsoletos.

A terceira premissa diz que essas profundas mudanças que se dão em tudo que nos cerca, e que põem em questão quase tudo que aprendemos anteriormente, agora exigem de nós uma nova estratégia de vida e de trabalho, a fim de podermos fazer frente a tais mudanças: trata-se da estratégia de passar a aprender continuamente, aproveitando tudo que nos acontece e todos com quem interagimos como fontes de ensinamento para nossa vida e nosso trabalho.

A quarta premissa está relacionada com a dificuldade residente no fato de que, como nunca fomos desafiados a aprender continuamente, não nos sentimos qualificados para fazer isso — razão por que temos de desenvolver uma nova e especial competência: a de “aprender a aprender”. E isso é algo que, em última análise, temos de começar a fazer imediatamente.

Assim, segundo os autores, essas quatro premissas citadas não são negociáveis na leitura deste livro: elas precisarão ser aceitas pelo leitor, para que o livro funcione como instrumento de informação, orientação e convencimento. Mas, não são ideias simples ou fáceis de aceitar. Nossa opinião realista é que alguns leitores as comprarão prontamente, porque já estão sentindo na própria pele que a realidade é essa e, portanto, se encontram predispostos a aceitar essa realidade. Mas, também realisticamente, outros leitores poderão ter dificuldade em concordar conosco, dado que isso os tirará completamente de sua zona de conforto. Esperamos que nossos leitores em potencial deste segundo grupo sejam a minoria, porque estamos totalmente convencidos do que afirmamos. (E não estamos sozinhos: não somos apenas nós que acreditamos nisso, mas praticamente todos os estudiosos do que acontece nos mundos dos negócios e do trabalho!).

Permita-nos o leitor, neste ponto, uma analogia, feita por meio de uma metáfora, uma imagem poética sobre o que pode ser este livro: aspiramos a que ele atue como uma espécie de farol, cortando a densa neblina da madrugada, a guiar o barco de cada um dos nautas que se aventuram nesta empreitada, por entre os perigosos escolhos que se multiplicam na enseada, durante a tempestade! A tempestade existe, está aí, acontecendo.

É madrugada, e o lusco-fusco pouco nos permite ver sobre o que acontece, o que é agravado pela espessa névoa das informações desencontradas, misturadas a fake news e a meras impressões. Nossos barcos pessoais não têm alternativa, se não atravessar a enseada e tentar chegar com segurança ao porto, para abrigar-se. Cadê o farol, a iluminar o caminho? Este é o papel que, ambiciosamente, atribuímos a este nosso já querido “Aprenda a empreender…”

Se quiser solicitar uma edição do livro, entre em contato com Propar® Empresarial (12) 3941.6600



Categorias:Qualidade

Tags:, ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: