Os requisitos para as válvulas de descarga

Os requisitos para as válvulas de descarga e os spuds para recipientes de banheiros, tanques e mictórios.

6(1)

Da Redação –

Tão importante quanto para onde vai o que é despejado pelos vasos sanitários é o quanto de água se gasta para isso. A tecnologia permitiu que o ser humano desenvolvesse mecanismos para gastar a menor quantidade possível para isso, mantendo o objetivo inicial.

Para que o processo ocorra de forma eficiente, levando em conta a quantidade de água gasta e demais padrões de qualidade, as válvulas devem obedecer determinados critérios e características previamente estabelecidos. A ASME A112.19.5-2017/CSA B45.15-17 – Flush Valves and Spuds for Water Closets, Urinals, and Tanks cobre as válvulas de descarga e os spuds para recipientes de banheiros, tanques e mictórios.

Esta publicação foi harmonizada e desenvolvida em resposta a um pedido da indústria por uma norma uniforme que seria aceitável tanto nos Estados Unidos quanto no Canadá. Oferece soluções abrangentes para o projeto, construção, instalação, desempenho, operação, inspeção, teste e marcação desses componentes utilizados em encanamento.

Deve ser usada em conjunto com os componentes descritos em outros volumes da série ASME A112. A aplicação cuidadosa dessas normas A112 ajudará os usuários a cumprir os regulamentos pertinentes, ao mesmo tempo que alcançará os benefícios operacionais e de segurança a serem obtidos com as melhores práticas da indústria detalhadas nesses volumes. Destinada aos fabricantes de materiais e equipamentos de encanamento para melhorar a racionalização no uso da água e cumprir a regulamentação jurisdicional, além de órgãos governamentais e outros órgãos reguladores.

Esta é a segunda edição da norma que substitui a edição anterior publicada em 2011. Inclui as seguintes alterações: adição da medida de spud de 3/4 na Tabela 2; atualização para inscrições e requisitos de embalagem; atualização nos requisitos do procedimento de ensaio de resistência química; e atualização para a dimensão mínima de comprimento do fluxo efetivo.

Pode-se dizer que as válvulas de descarga de parede são muito utilizadas em prédios de apartamentos por apresentarem características que as tornam eficientes em tais projetos. Como são muitos os apartamentos dispostos verticalmente, de uma forma ou de outra, seria necessária uma tubulação de bitola maior para abastecer as descargas de vasos sanitários, e desta forma como já se faz necessário uma tubulação de maior diâmetro, esta característica torna propício o uso de válvulas de descarga.

Outro fator que contribui para o uso de válvulas é a disponibilidade boa pressão nas colunas d´água, já que os edifícios de apartamentos são verticalizados, e tendo um reservatório ou caixa d´água de distribuição no topo do prédio, faz com que exista grande pressão disponível nos andares abaixo. Este tipo de dispositivo é altamente eficiente, prático e quando de boa qualidade bem resistente exigindo pouca manutenção, embora de tempos em tempos possa existir necessidade de trocar algum dispositivo interno.

Um botão acionador fica na parte frontal da válvula para acionar a descarga sobre a privada. Tanto o botão da válvula como a ela própria, são cobertas por uma peça de acabamento, que contém uma capa para o botão e um espelho ou peça emoldurante que cobre a válvula.

Esta peça de acabamento, é vendida pelo próprio fabricante da válvula, podendo ser cromada ou em cores. Embora a válvula seja um dispositivo técnico, cuja escolha é feita segundo padrões igualmente técnicos, a escolha deste acabamento fica ao por conta do gosto dos proprietários da obra, em ressonância com o estilo dos revestimentos de piso, azulejos e demais louças e metais sanitários. Em outras palavras, o acabamento, desde que fornecido pelo fabricante para tal válvula, pode ser escolhido pensando em termos estéticos ou decorativos. Quando a válvula é acionada, ao pressionar o botão, esta permite que a água flua vindo da coluna de água acima da mesma, e após passar pela válvula siga para a privada.

A ligação entre válvula e vaso pode ser feita com um tubo de descarga apropriado, que já vem com uma curva para conectar-se ao vaso. Entretanto, pode-se também utilizar um tubo de 50 mm seguido de uma curva curta, e conectar o vaso através de um tubo de ligação. Existem peças e conexões para estas variações. A conexão com o vaso sanitário propriamente dito, como está mostrado no desenho, é feita através de uma peça, chamada bolsa de ligação. Para receber o vaso sanitário, no piso já deve existir um orifício para receber os detritos com a água da descarga. Este orifício de esgoto, que fica na superfície do piso, é uma das extremidades de uma curva curta de 100mm de 90º.

Imediatamente acima da curva, e conectado a ela, é colocada uma peça de 100mm chamada de ligação para saída de vaso sanitário. Na outra extremidade desta curva, é ligado um tubo rígido de esgoto primário de 100mm, que corre na direção horizontal com ligeira inclinação, levando o esgoto do vaso para a etapa seguinte. A fixação ou assentamento da privada no piso do banheiro, para torná-lo firme, evitando movimentar-se, é feita com longos parafusos próprios para tal fim, e vendidos em lojas de ferragens ou materiais de construção.

Na própria base do vaso sanitário, já existem furos para tal fim, e o encanador instalador, deverá fazer um furo no piso com furadeira elétrica. Dentro do furo é colocada uma bucha de pressão, dentro da qual entra o parafuso que deixara o vaso firme e pronto para o uso. Como arremate da instalação, ao longo de toda a base do vaso que fica em contato com o piso, é passada uma pequena camada de rejuntamento, feita com cimento branco.

 



Categorias:Normalização

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: