A avaliação da medição de ruído em tratores

A exposição a altos níveis de ruído pode causar danos permanentes à audição, muitas vezes sem que o doente esteja ciente disso até que seja tarde demais. Pode levar a zumbido nos ouvidos ou surdez e pode ser um risco à segurança no trabalho, interferindo na comunicação e dificultando a audição de alerta de perigos. Os empregadores devem fornecer a seus trabalhadores as informações, as instruções e o treinamento adequado e, em determinadas circunstâncias, realizar vigilância em saúde. Os funcionários e os trabalhadores independentes também têm deveres legais para se protegerem contra ruídos. Informe-se sobre um método para a medição e elaboração de relatório de ruído na posição do(s) operador(es) de um trator utilizado na agricultura e silvicultura. O ruído medido refere-se somente à máquina básica e se aplica aos tratores com os operadores a bordo da máquina.

trator2Da Redação –

O ruído é medido em decibéis (dB) e os níveis de ação são definidos em termos de exposição diária ao ruído (a média diária) e pico de exposição ao ruído (ruídos repentinos). Os valores de ação de exposição mais baixos são 80 dB para exposição diária e 135 dB para pico de ruído. Os níveis de ação de exposição superior são 85 dB para exposição diária e 137 dB para pico de ruído. Os limites, que não devem ser excedidos, são 87 dB para exposição diária e 140 dB para pico de ruído.

Deve-se lembrar que a exposição a muitas fontes diferentes de ruído (por exemplo, tratores, motosserras, secadores de grãos e armas) tem um efeito cumulativo e pode causar danos, mesmo que você só possa ser exposto a uma única fonte por curtos períodos de tempo. A melhor maneira de se proteger contra ruídos é controlá-lo na fonte. Obtenha níveis de ruído avaliados por uma pessoa competente e mantenha um registro.

Para reduzir a exposição, deve-se escolher as máquinas ou processos silenciosos ao selecionar métodos de produção ou novas máquinas. Deve-se incluir as máquinas ou processos barulhentos com painéis de isolamento acústico ou ser colocados em locais separados. Deve-se colocar silenciadores nos sistemas de escapamento; reduzir a duração da exposição por rotação de trabalho, fornecendo refúgio contra ruídos ou organizando o trabalho para que ninguém precise ficar na área barulhenta.

Os tratores podem ser considerados como fontes de poluição sonora e a intensidade da poluição sonora causada por essas fontes foi pode ser determinada no ponto em que ficam os motoristas. A influência das velocidades do motor e das engrenagens de transmissão nos níveis de ruído pode ser determinada. O nível de incômodo depende não apenas do nível do ruído, mas também da posição do operador e da duração.

Os níveis de ruído quando o trator está em ponto morto também pode ser medidos. O nível máximo de ruído medido no escapamento chega a 91,7 dBA, enquanto o nível mínimo de ruído fica no entorno do operador do trator como 79,7 dBA. Assim, o problema do ruído na agricultura advém do progresso tecnológico, que visa ganhar velocidade na produção, diminuir a carga de trabalho físico dos homens, mas tem alguns efeitos negativos no aumento do problema mental, ao mesmo tempo em que aumenta a produção.

O objetivo da mecanização agrícola, formado pelas aplicações na produção agrícola de tecnologia, fornece um aumento na carga mental dos homens, enquanto a carga de trabalho físico diminui. O ruído causa corrupção na comunicação, desconforto e reduz o desempenho físico ou mental. Principalmente na oficina e especialmente em máquinas, os homens expõem a alto ruído. Estes representam a forma mais grave de perigos acústicos. O ruído nesses locais pode danificar seriamente a funcionalidade.

Primeiro de tudo, podem ocorrer deficiências auditivas. As deficiências auditivas causadas por ruído alto podem ser temporárias ou permanentes. Cerca de 85 dBA e acima podem comprometer a audição se continuar por muito tempo. Se for muito impetuoso, pode até causar surdez.

Dessa maneira, as deficiências auditivas começam primeiro em altas frequências e, em seguida, a frequência da fala e as frequências mais baixas podem ser afetadas. Depois disso, a pessoa afetada pode reconhecer sua deficiência auditiva. Geralmente os efeitos do ruído ficam ocultos entre 30 a 65 dBA. Sons de 65 a 85 dBA podem causar efeitos físicos além dos efeitos fisiológicos. Esses efeitos adversos no sistema nervoso autônomo podem ser resumidos como aumento da pressão arterial e nos pulsos cardíacos, enfraquecendo os músculos.

A NBR ISO 5131 de 01/2017 – Tratores agrícolas e florestais – Medição de ruído na posição do operador – Método de avaliação especifica um método para a medição e elaboração de relatório de ruído na posição do(s) operador (es) de um trator utilizado na agricultura e silvicultura. O ruído medido refere-se somente à máquina básica e aplica-se aos tratores com os operadores a bordo da máquina. Os resultados fornecem informações a(os) operador(es), a fim de evitar expô-lo(s) a níveis de ruído que poderiam colocar sua audição em risco.

As condições especificadas para a operação das máquinas durante as medições são definidas para fornecer uma avaliação realista e repetível do ruído máximo que um operador pode ser submetido ao operar uma máquina. Os procedimentos de ensaio especificados nesta norma são métodos de controle, conforme definido na ISO 12001.

Pode-se definir um trator agrícola como um veículo autopropelido que possui pelo menos dois eixos e rodas, ou esteiras contínuas, especialmente projetado para tracionar reboques agrícolas e tracionar, empurrar, transportar e operar implementos utilizados para o trabalho agrícola (incluindo o trabalho florestal), que pode ser fornecido com uma plataforma de carregamento removível. O veículo agrícola possui uma velocidade máxima de projeto não inferior a 6 km/h e pode ser equipado com um ou mais assentos.

Deve ser utilizado um medidor de nível sonoro com qualidade de precisão que atenda ou exceda os requisitos da IEC 61672-1 para um instrumento de classe 1. Se um equipamento de medição alternativo for utilizado, as tolerâncias não podem exceder as fornecidas nas seções relevantes da IEC 61672-1 para um instrumento de classe 1. A medição deve ser realizada com uma rede de ponderação de frequência de acordo com a curva A e ajustada para fornecer resposta lenta conforme descrito na IEC 61672-1.

A calibração do equipamento no momento da medição deve estar de acordo, em todos os aspectos, com as especificações da IEC 61672-1 para um instrumento de classe 1. A checagem da calibração deve ser realizada em intervalos adequados e pelo menos antes e após cada sessão de medição, utilizando um calibrador acústico de acordo com as especificações da IEC 60942 para um instrumento de classe 1. O calibrador deve ser inspecionado anualmente para verificar o seu sinal de saída, e a sua calibração deve ser rastreável por um laboratório de padrões nacionais.

Uma descrição técnica adequada do equipamento de medição deve ser fornecida no relatório de ensaio. As medições devem ser realizadas em uma área suficientemente silenciosa, plana e aberta. Os últimos 20 m próximos à área de ensaio devem estar essencialmente nivelados, e não pode haver obstáculo algum nesta área, que possa refletir um ruído significativo, como um edifício, cerca sólida, árvore ou outra máquina.

A superfície da área de ensaio deve ser de um tipo onde os pneus ou esteiras contínuas de borracha não provoquem um ruído excessivo. A superfície deve ser fabricada de concreto, asfalto ou material similar, salvo especificado em contrário. A superfície deve estar limpa e seca, tanto quanto possível (por exemplo, livre de cascalho, folhas, neve, etc.).

Para esteiras contínuas metálicas, a superfície da área de ensaio deve ser de um tipo onde elas não provoquem ruído excessivo. Neste caso, a superfície deve ser uma camada de areia úmida, conforme especificado na NBR ISO 6395:2011, 5.3.2. As medições devem ser realizadas com boas condições climáticas e com pouco ou nenhum vento. O nível de ruído de fundo e o nível de ruído do vento no local do microfone devem ser pelo menos de 10 dB (A) abaixo do nível de ruído medido durante o ensaio.

Qualquer ruído estranho que ocorra durante a obtenção dos dados, que não esteja relacionado à medição geral do nível sonoro, não pode ser levado em consideração. Não podem ser realizadas correções nos resultados do ensaio para as condições atmosféricas ou outros fatores. A pressão atmosférica não pode ser inferior a 96,6 kPa. Se isto não for possível devido às condições de altitude, pode ser que uma regulagem modificada da bomba de injeção tenha que ser realizada, cujos detalhes serão incluídos no relatório.

Nenhuma pessoa, exceto o operador do trator, deve estar na cabine durante as medições. Entretanto, quando o ruído estiver sendo medido em posições adicionais do operador na máquina, o número habitual de operadores deve estar presente. Nenhuma pessoa, exceto o(s) operador (es), deve estar em uma posição que influencie as medições de ruído. O operador não pode vestir roupas anormalmente grossas ou qualquer traje adicional, como um chapéu ou lenço, que possam influenciar a medição sonora.

No caso de uma terceira parte realizar a avaliação, o fabricante e a terceira parte devem trabalhar em conjunto para selecionar um trator a ser submetido para ensaio. O trator deve estar em conformidade com a especificação de produto do fabricante e deve ser operado de acordo com as instruções do fabricante. O Anexo A especifica as condições para tratores agrícolas abrangidos por esta norma.

O trator deve ser novo e estar amaciado antes do ensaio, de acordo com as instruções habituais do fabricante. Se uma terceira parte for responsável pelo ensaio, a própria terceira parte pode amaciar o trator, desde que seja obtida a autorização do fabricante ou de seu representante, que ficará responsável pelo amaciamento. O ajuste do carburador ou da bomba de injeção, bem como a regulagem do regulador de rotação, deve estar de acordo com as especificações fornecidas pelo fabricante.

O fabricante pode efetuar ajustes de acordo com estas especificações antes do ensaio, porém os ajustes não podem ser efetuados durante o ensaio. Para operadores sentados, o microfone deve estar localizado a 250 mm ± 20 mm ao lado do plano central do assento, sendo o lado em que o nível de pressão sonora mais elevado é encontrado. O eixo do microfone deve ser horizontal e o diafragma deve estar voltado para frente. O centro do microfone deve estar a 700 mm ± 20 mm acima do ponto índice do assento (Seat Index Point – SIP) e a 100 mm ± 20 mm à frente deste ponto.

Para a localização e ajuste do assento, qualquer suspensão do assento deve ser abaixada até que o assento atinja o ponto médio de sua faixa dinâmica. Quando a posição do assento for ajustável somente no comprimento e verticalmente, o eixo longitudinal que passa pelo ponto índice do assento deve estar paralelo ao plano longitudinal vertical do trator que passa pelo centro do volante e a não mais que 100 mm desse plano.

Durante todo o ensaio, a alavanca do acelerador deve ser ajustada totalmente aberta, salvo se especificado em contrário. Uma vez que o ensaio tenha sido iniciado, o trator não pode ser operado de uma maneira que não esteja de acordo com as instruções publicadas pelo fabricante no manual do operador. Um período de 10 s de funcionamento estabilizado deve ocorrer antes que quaisquer medições sejam registradas.

Todas as medições de nível sonoro devem ser registradas em dB (A), com até três algarismos significativos. Efetuar pelo menos três medições em cada posição do microfone, conforme definido na Seção 8 e para cada condição de operação. Se a faixa dos resultados do nível sonoro obtidos em cada condição de medição exceder 3 dB, medições adicionais devem ser realizadas até que as leituras de três medições sucessivas estejam dentro de 3 dB. O valor máximo destas três leituras será utilizado como resultado do ensaio.

Quando as características da máquina fizerem com que os níveis de pressão sonora flutuem amplamente e o requisito de 3 dB para leituras sucessivas não puder ser atendido, o número de medições separadas deve ser maior do que a faixa de flutuação em decibéis. O valor máximo destas leituras será utilizado como resultado do ensaio. Em todos os casos, qualquer medição claramente fora da faixa, com os níveis de pressão sonora gerais sendo lidos, deve ser desconsiderada. Os ensaios não podem ser efetuados sem marchas nas quais a velocidade à frente exceda os limites de segurança do equipamento de ensaio.



Categorias:Metrologia, Normalização

Tags:, , , , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: