Os requisitos gerais para a segurança de máquinas

A apreciação de riscos é seguida, sempre que necessário, pela sua redução e a interação deste processo pode ser necessária para eliminar o máximo de perigos possíveis, assim como, reduzir adequadamente os riscos por meio da implementação de medidas de proteção.

marinheiro-de-maquinas

Da Redação –

A segurança para o trabalhador que opera máquinas evoluiu muito desde o seu surgimento na primeira revolução industrial. O uso inadequado de uma máquina era capaz de gerar o mesmo resultado que um cutelo na mão de uma criança. Amputar membros e/ou lesões gravíssimas, muitas vezes irreversíveis, foram perdendo frequência gradativamente. Evidentemente que a tecnologia tem seu papel importante na segurança do proletário, mas a melhor capacitação do profissional também merece destaque.

As máquinas modernas possuem diversos mecanismos de segurança, entre eles os que pararam qualquer movimento de motores e laminas ao entrarem em contato com a pele humana. Mas antes de se estruturar qualquer vetor deste tipo, é necessário um projeto sólido, visando quesitos básicos gerais para segurança e reduzir os riscos de acidentes.

A NBR ISO 12100 – Segurança de máquinas – Princípios gerais de projeto – Apreciação e redução de riscos especifica a terminologia básica, princípios e uma metodologia para obtenção da segurança em projetos de máquinas. Ela explicita princípios para apreciação e redução de riscos que auxiliam projetistas a alcançar tal objetivo. Estes princípios são baseados no conhecimento e experiência de projetos, uso, incidentes, acidentes e riscos associados a máquinas.

Os procedimentos são descritos para auxiliar na identificação de perigos, assim como na estimativa e avaliação de riscos relativos a todas as fases da vida útil da máquina, além de auxiliar na eliminação dos perigos ou prover suficiente redução do risco. São fornecidas orientações para documentação e verificação do processo de apreciação e redução de riscos. Também deve ser utilizada como base para elaboração de normas de segurança tipo B ou tipo C. Não considera riscos ou danos relacionados a animais domésticos, bens ou ao meio ambiente.

Dessa forma, essa norma foi elaborada para auxiliar os projetistas, os fabricantes e quaisquer pessoas, ou organismos interessados, a interpretarem as exigências essenciais de segurança de máquinas no âmbito do Mercosul. A metodologia adotada prevê o estabelecimento de uma hierarquia no processo de elaboração de normas, dividido em diversas categorias, para evitar a repetição de tarefas e para criar uma lógica que permita um trabalho rápido, facilitando a referência cruzada entre estas.

Para executar a apreciação de riscos e, consequentemente, a sua redução, o projetista deve levar em consideração as seguintes etapas: determinação dos limites da máquina, considerando seu uso devido, bem como quaisquer formas de mau uso razoavelmente previsíveis; identificação dos perigos e situações perigosas associadas; estimativa do risco para cada perigo ou situação perigosa; avaliação do risco e tomada de decisão quanto à necessidade de redução de riscos; eliminação do perigo ou redução de risco associado ao perigo por meio de medidas de proteção. A primeira e a penúltima etapa compõem o processo de apreciação de riscos, enquanto que a última, o processo de redução de riscos.

A apreciação de riscos é um processo composto por uma série de etapas que permite, de forma sistemática, analisar e avaliar os riscos associados à máquina. A apreciação de riscos é seguida, sempre que necessário, pela redução de riscos. A interação deste processo pode ser necessária para eliminar o máximo de perigos possíveis, assim como, reduzir adequadamente os riscos por meio da implementação de medidas de proteção.

As medidas que podem ser incorporadas durante o projeto da máquina são preferíveis em relação às implementadas pelo usuário e usualmente comprovam maior efetividade. O objetivo a ser atingido é a melhor redução de risco possível, levando-se em consideração os quatro fatores mencionados a seguir. A estratégia definida neste parágrafo está representada pelo fluxograma de uma figura disponível na norma.

O processo em si é iterativo, e diversas sucessivas aplicações deste podem ser necessárias para se reduzir o risco, fazendo-se o melhor uso das tecnologias disponíveis. Para conduzir este processo, é necessário levar em consideração estes quatro fatores, na seguinte ordem de preferência: a segurança da máquina durante todas as fases do seu ciclo de vida; a capacidade da máquina de executar suas funções; a operacionalidade da máquina; e os custos de fabricação, operação e desmontagem da máquina.



Categorias:Normalização

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: