Como você se comporta na procura do emprego?

Na hora de procurar um novo emprego: você está exposto a perdas e ganhos e irá decidir em função de um ponto de referência.

camanho.jpg

Roberto Camanho

Na vida profissional, pessoal e até nas horas de lazer temos perdas e ganhos. Nosso comportamento é similar, somos mais ou menos prudentes em função do ambiente.

Lembra quando começou a andar de bicicleta? Primeiro você tentou pôr o pé no chão. Ficou mais seguro. Logo depois mais atrevido.

E começou a descer ladeiras, fazer curvas inclinando a bicicleta. À medida que evoluía, foi criando coragem. Até cair e se ralar todo. Só a partir de então você começou a entender melhor os seus limites.

Os tombos e as raladas são lembrados facilmente, mas não temos a mesma facilidade para lembrar os momentos de sucesso descendo ladeiras em alta velocidade. Essa é uma tendência natural: sentimos com mais intensidade nossas falhas do que nossos trunfos.

A propensão aos riscos te levou a novas acrobacias ou a ser mais conservador como ciclista. As escolhas por perdas ou ganhos são tomadas em função de um ponto de referência. O que é um ponto de referência?

Ao decidir testar os limites e arriscar novas acrobacias você pensa: estou bem e vou em frente. O ponto de referência é o status quo, o estado em que as coisas estão. Com essa perspectiva, faz sentido correr novos riscos.

Em momentos de incerteza – e cada acrobacia é uma incerteza – os mais propensos ao risco adotam como referência o estado atual das coisas. O histórico das ocorrências boas ou ruins não é considerado.

Se ao decidir pensar nas raladas e tombos, seu ponto de referência é o histórico de insucessos. Dessa forma, você tenderá a ser cauteloso nas suas evoluções acrobáticas.

A propensão ao risco muda de acordo com o ambiente. Por exemplo, o ciclista conservador pode ser muito atrevido nas compras com cartão de crédito.

Na viagem de férias ao exterior, depois de uma semana de compras e passeios, você encontra aquela câmera digital. Seu sonho de consumo. Avalia que não vai encontrar aquela câmera no Brasil por aquele preço. Ao passar o cartão, está feliz pela compra e nem lembra, ou nem quer lembrar, do parcelamento da passagem já assumido antes de viajar.

Nas compras com o cartão de crédito entra em ação o mesmo mecanismo de perdas e ganhos e a decisão é realizada com relação a uma referência: a do prazer da compra e da oportunidade de pagar um preço menor do que havia imaginado pela câmera. Ou seja, vive o momento, carpe diem, o status quo.

Quando retorna ao Brasil, chega a fatura. Você descobre que existe o efeito 3Rs – Remorso, Raiva e Rancor. Muitos picam ferozmente o cartão! Como se ele fosse o único culpado. É o instinto de criar um mecanismo de proteção.

A mesma ideia vale na hora de procurar um novo emprego: você está exposto a perdas e ganhos e irá decidir em função de um ponto de referência. Nós, brasileiros, temos medo do fracasso nos negócios. Por isso, costuma vir primeiro a sensação da falha do que a de sucesso, pela falta da previsibilidade desejada. Nesta hora, saiba que você é mais competente do que imagina.

A melhor forma de lidar com isso é entender duas coisas: a sensação da possível falha na escolha do novo emprego é natural e o controle sobre o futuro não existe. A primeira atitude a tomar é definir, com clareza, quais são os desejos e as necessidades a serem atendidas. Isso permitirá definir os critérios para a seleção do novo emprego.

Avalie a opção de emprego que atende aos seus anseios futuros. O que vai acontecer no futuro não está vinculado por forças divinas ao do passado, como às vezes tentamos racionalizar a coisa.

Ao contrário, as divindades, que você evoca, privilegiam as incertezas. O que nos dá novas chances de sucessos.

Roberto Camanho conduz decisões que envolvem orçamentos de bilhões de reais, participa de projetos de pesquisa em processos decisórios e publica trabalhos em congressos internacionais. No Brasil, é pioneiro na aplicação de metodologias de apoio a decisões estratégicas. Desde 1996, atua em empresas dos setores financeiro, aeroespacial, petroquímico, de energia, papel e celulose, mineração, de infraestrutura e agências governamentais – camanho@robertocamanho.com.br



Categorias:Opinião

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: