Você está satisfeito no seu trabalho?

Uma nova reviravolta na hierarquia de necessidades de Maslow ajuda a entender o que faz os funcionários felizes.

progress5Ray Harkins

Em um episódio da série televisiva Better Call Saul, Jimmy McGill pede ao seu assistente, Omar, que pegue um folha de papel enquanto dita um punhado de frases desarticuladas para apresentar sua renúncia de sua posição lucrativa no escritório de advocacia Davis & Main (1). Durante uma pausa entre os pensamentos de Jimmy, Omar diz: eu não percebi o quão infeliz você estava aqui.

A resposta de Jimmy, embora intrigante e um pouco cômica, descreve uma chave conceitual para entender a natureza da satisfação no trabalho. Ele responde a Omar: não é infeliz, por si só. Mais como não feliz.

À primeira vista, isso soa como um estranho jogo de palavras. Mas as pesquisas demonstram repetidamente que os fatores que contribuem para a satisfação no trabalho são muitas vezes diferentes dos fatores que contribuem para a insatisfação no trabalho (2). Em outras palavras, o oposto da satisfação no trabalho (ou felicidade, no caso de Jimmy) não é a insatisfação com o trabalho, mas a falta de satisfação. E o oposto da insatisfação no trabalho é simplesmente a falta de insatisfação. Os funcionários podem, portanto, sentir satisfação no trabalho e insatisfação simultaneamente, deixando-os com sentimentos ambivalentes e desengajados.

Em seu artigo Abraham Maslow – Uma Teoria da Motivação Humana, no qual ele publicou pela primeira vez o agora onipresente conceito chamado de hierarquia das necessidades humanas – fornece pistas para compreender mais completamente esse dilema (3) Embora a validade dessa teoria tenha sido criticada e debatida por sete décadas, ela continua sendo uma estrutura popular para entender e discutir os fatores que motivam as ações das pessoas.

Na hierarquia de Maslow, as necessidades humanas são exibidas graficamente como uma pirâmide de cinco níveis com as necessidades mais fundamentais, como sono, alimentação e cuidados médicos básicos, formando a base da pirâmide e necessidades progressivamente mais sofisticadas formando cada nível ascendente. Maslow concluiu que, à medida que as necessidades de nível inferior das pessoas são atendidas, elas são motivadas a buscar a satisfação de necessidades de alto nível (4). Maslow também reconheceu que as pessoas podem buscar realização em múltiplos níveis simultaneamente, dependendo das circunstâncias (5).

Na hierarquia de Maslow, depois de satisfeitas as necessidades fisiológicas das pessoas, elas podem se concentrar melhor em suas necessidades de segurança, que podem incluir moradia estável, uma escola e vizinhança seguras, cuidados médicos preventivos e outras medidas para se proteger de danos. Depois que as necessidades de segurança das pessoas são atendidas suficientemente, elas podem buscar melhor o que Maslow se referiu como pertencimento. Essas necessidades – que incluem aceitação, intimidade, amizade e confiança – são satisfeitas por meio de relacionamentos pessoais ou sociais.

Maslow referiu-se ao seu quarto nível de necessidades humanas como necessidades de estima, que são divididas em duas categorias: autoestima e estima dos outros. As necessidades de autoestima incluem o desejo de força, de realização, de adequação, de confiança na cara do mundo, e de independência e liberdade (6), enquanto as necessidades relacionadas à estima dos outros incluem reconhecimento, valorização e status social.

Maslow denotou esses primeiros quatro níveis como necessidades de deficiência porque surgem da privação. Quando as pessoas não têm comida, por exemplo, sentem fome, quando não têm conexões pessoais, sentem-se sozinhas e assim por diante. Satisfazer essas necessidades de nível inferior é impulsionado pelo desejo de evitar os efeitos e sentimentos desagradáveis associados à sua deficiência. Maslow referiu-se a pessoas cujas necessidades foram essencialmente satisfeitas nestes quatro primeiros níveis como basicamente satisfeitas (7).

Quando as pessoas perguntam como você está? Respostas como eu sou bom, eu não posso reclamar e bem, eu acordei no lado direito da cama indicam vários graus de satisfação entre as suas necessidades de deficiência. Da mesma forma, quando Jimmy disse a Omar que ele não estava infeliz, por si só, ele estava indicando que suas necessidades básicas de carreira foram atendidas – ele foi bem pago, apreciou seus colegas e foi reconhecido por suas conquistas. Mas, quando ele disse que era mais como não feliz, ele também estava indicando que queria mais de sua vida e carreira – algo que traria um significado maior para sua vida.

Maslow se referiu ao pico de sua hierarquia como necessidades de autoatualização. Quando as pessoas falam sobre alcançar seu pleno potencial ou cumprir o propósito de sua vida, elas estão se referindo às suas necessidades de autorrealização.

De 1980 a 2001, o Exército dos EUA usou o slogan seja tudo que você pode ser como um meio de apelar para as necessidades de autorrealização de seus potenciais recrutas. No filme Chariots of Fire, quando Eric Liddell disse: Deus me fez rápido. E quando eu corro, sinto o Seu prazer (8) ele estava falando de um profundo chamado que sentiu em sua vida. Cumprir suas necessidades de autorrealização versus apenas suas necessidades de deficiência é a diferença entre sentir-se feliz e simplesmente não se sentir infeliz.

Aplicando a hierarquia de Maslow ao local de trabalho

A aclamada escritora e poeta Annie Dillard disse: como passamos nossos dias, é claro, como gastamos nossas vidas (9). Considerando que a pessoa comum gasta mais de 11.000 dias trabalhando, não é surpreendente que a hierarquia de Maslow também tenha aplicações significativas no local de trabalho.

Em uma versão do local de trabalho da hierarquia de Maslow, o nível fundamental das necessidades dos funcionários provavelmente incluiria um salário suficiente, emprego estável, intervalos periódicos e outras características que tornem o emprego continuado sustentável. (Veja a Figura 1 para uma comparação da hierarquia de necessidades de Maslow e a hierarquia de necessidades do local de trabalho.) Uma organização que não atende a essas necessidades básicas quase certamente terá funcionários insatisfeitos.

progress6

O nível de segurança das necessidades do local de trabalho pode incluir equipamentos de proteção individual adequados, práticas de trabalho justas e um número suficiente de dias por doenças. Também pode incluir um plano de aposentadoria e seguro de invalidez de curto prazo. A falta desses benefícios básicos também deixaria muitos funcionários insatisfeitos e provavelmente procurando um emprego alternativo.

Como sua contraparte na hierarquia de Maslow, as necessidades encontradas no nível de pertinência da hierarquia do local de trabalho são satisfeitas por meio de relacionamentos com subordinados, colegas e superiores. Essas relações de trabalho podem ser uma fonte de satisfação e insatisfação. As organizações que realizam piqueniques anuais e reconhecem os marcos pessoais dos funcionários estão tentando promover um senso de comunidade e atender às necessidades de pertencimento de seus associados. Mas, os supervisores mal-humorados, os gerentes e os companheiros incompetentes dos cubículos alienam esses mesmos associados e podem romper rapidamente o senso de comunidade.

Os profissionais também podem obter uma tremenda satisfação por meio do cumprimento de suas necessidades de estima. Os profissionais que dominam seu ofício e continuamente fornecem valor às suas organizações sentem uma sensação de realização e esse sentimento em si é uma recompensa para eles. Da mesma forma, os profissionais podem sentir satisfação de suas necessidades de estima quando seus esforços são reconhecidos por seus empregadores através de promoções, elogios públicos e bônus de mérito.

A grande maioria dos profissionais, que encontra suas necessidades de trabalho recorrentemente atendidas nesses quatro primeiros níveis, sente um alto grau de satisfação, um baixo grau de insatisfação e provavelmente permanecerá na organização por muito tempo. Para alguns profissionais, talvez aqueles como Jimmy McGill, isso não é suficiente. Eles querem que seu trabalho em tempo integral reflita o propósito mais profundo que sentem em suas vidas.

Muitas vezes, esses são os profissionais que orientam os funcionários mais jovens, completam suas tarefas com uma integridade tremenda e fazem trabalho extra sem serem solicitados. As organizações que empregam esses profissionais de autorrealização beneficiam-se muito mais do que imaginam.

O que tudo isso significa?

Na pesquisa Work and Workplace de 2018 da Gallup (10), apenas 48% dos profissionais em tempo integral entrevistados relataram sentir-se completamente satisfeitos com seus empregos. Portanto, os 52% restantes lidam com algum nível de descontentamento. Para eles, a resolução desses problemas começa com a identificação das bases específicas de sua insatisfação.

Para as pessoas que se sentem insatisfeitas porque o seu trabalho não consegue satisfazer as suas necessidades mais básicas de um salário estável, a sua solução é encontrar outro emprego ou tomar medidas para se tornar qualificado para um emprego melhor. Para as pessoas cujo trabalho não lhes oferece a segurança que desejam, consultar um especialista de carreira pode fornecer alguma orientação necessária. Muitas vezes, uma melhor compreensão do mercado e das habilidades que os empregadores exigem pode levar a oportunidades melhores e mais seguras.

Em algum momento, todo mundo se sente dividido sobre seus relacionamentos no trabalho. Eles amam seus colegas de trabalho, mas desprezam seu chefe, ou gostam de seu supervisor, mas colidem com alguém em um departamento vizinho. Como os relacionamentos determinam muito a qualidade do tempo gasto por alguém no trabalho, eles muitas vezes se tornam fontes proeminentes de insatisfação.

As soluções para pessoas que lutam com relacionamentos no local de trabalho são tão variadas quanto as próprias relações. As correções potenciais incluem fazer amizade com colegas de trabalho anteriormente conhecidos apenas à distância, desenvolver uma base mais profunda de habilidades leves ou encontrar novas maneiras de se comunicar com os adversários. Em casos extremos de insatisfação, a resposta pode ser mudar para uma nova organização.

O atendimento das necessidades no nível de estima da hierarquia do local de trabalho pode incluir a adoção de um movimento lateral na organização, o aprofundamento de seu treinamento formal ou a busca de um contratempo. Também pode incluir solicitar feedback específico de seu superior ou apresentar seu caso para um aumento ou promoção.

Os profissionais em meio de carreira frequentemente enfrentam esse problema. Eles essencialmente dominaram a sua função e não têm mais desafios a enfrentar. No entanto, algo neles ainda quer aprender e crescer. Um novo desafio, seja dentro ou fora do local de trabalho, geralmente abre novas perspectivas.

Ao entregar o discurso de formatura da Universidade de Stanford em 2005, Steve Jobs disse: seu trabalho vai preencher uma grande parte de sua vida e a única maneira de estar realmente satisfeito é fazer o que você acredita ser um ótimo trabalho. E a única maneira de fazer um ótimo trabalho é amar o que você faz (11).

Esta mensagem veio de um visionário que claramente amava o seu trabalho. Porém, muitas pessoas não amam seu trabalho. A maioria dos profissionais trabalha para suprir a maior parte de suas necessidades de deficiência e busca essa verdadeira satisfação em outros lugares. Os raros e poucos, que procuram combinar sua profissão de trabalho com o que realmente amam, o fazem através de cuidadosa reflexão, visão e sacrifício.

Bibliografia

(1) “Inflatable”, “Better Call Saul,” AMC, March 28, 2016.

(2) Frederick Herzberg, “One More Time: How Do You Motivate Employees?” Harvard Business Review, January 2003.

(3) Abraham Maslow, “A Theory of Human Motivation”, Psychological Review, Vol. 50, No. 4, 1943, pp. 370-396.

(4) Ibid.

(5) Ibid.

(6) Ibid.

(7) Ibid.

(8) “Chariots of Fire”, TCF/Allied Stars/Enigma, 1981.

(9) Annie Dillard, The Writing Life, Harper Perennial, 2013.

(10) “Work and Workplace”, Gallup, https://news.gallup.com/poll/1720/work-work-place.aspx.

(11) “Steve Jobs’ 2005 Stanford Commencement Address”, YouTube, March 7, 2008, www.youtube.com/watch?v=UF8uR6Z6KLc.

Ray Harkins é gerente de qualidade da Ohio Star Forge Co. em Warren, OH. Ele obteve seu diploma de bacharel em engenharia mecânica pela Universidade de Akron, em Ohio. Ele é um membro sênior da ASQ e do Institute of Industrial and Systems Engineers, e engenheiro de qualidade com certificação ASQ, auditor de qualidade e técnico em calibração.

Fonte: Quality Progress/2019 August

Tradução: Hayrton Rodrigues do Prado Filho



Categorias:Qualidade

Tags:, , , , , , ,

1 resposta

  1. Excelente!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: