Uma fórmula para a aprendizagem

Como aplicar a teoria da aprendizagem de adultos ao treinamento em gestão da qualidade.

progress2Alex Tielker

O treinamento é necessário em todas as organizações por quatro razões principais:

– Informações críticas devem ser repassadas à equipe para atividades de integração e melhoria contínua;

– A equipe deve entender as ferramentas e os sistemas, reter as informações e aplicá-las efetivamente;

– A equipe deve ajudar os outros a preencher lacunas de conhecimento e adaptá-los à maneira atual de trabalhar;

– O treinamento define e melhora a cultura da organização.

Muitas vezes, porém, o treinamento pode ser doloroso para se ficar sentado em uma sala de aula. Os adultos aprendem de maneira diferente das crianças, que é um princípio fundamental da teoria da aprendizagem de adultos. Portanto, bombardear adultos com informações em uma longa apresentação de powerpoint pode ser ineficaz, mesmo se uma combinação criativa de imagens e texto for usada. Este tipo de apresentação deve ser usado com moderação ao treinar adultos.

abq

O evento contará com a participação de executivos de empresas e organizações líderes brasileiras, órgãos de fomento e autoridades para discutir os desafios contemporâneos da competitividade e o papel da governança para as organizações ultrapassá-los.

O VI Seminário ABQ Qualidade – Século XXI acontecerá no Espaço Nobre da FIESP, em São Paulo, no dia 6 de novembro.

Veja a Programação

Clique para se inscrever para participar online. É gratuito

O evento será transmitido pela internet, com livre acesso

Informações:

Natascha Vieira –N8 Eventos

11 9.9926-4441

natascha@n8eventos.com.br

MAIS INFORMAÇÕES: www.abqualidade.org.br/Eventos

Normalmente, os adultos gostam de dicas visuais, exercícios práticos, trabalho em grupo, feedback instantâneo, compartilhando suas experiências e maximizando o tempo de treinamento com valor agregado. Então, como esses elementos podem ser incorporados ao treinamento? Comece com uma fórmula simples:

– Inicie com uma breve apresentação do powerpoint para capturar os pontos-chaves;

– Divida a turma em equipes e peça a elas que encontrem informações relevantes usando os computadores, os livros ou folhetos sobre o assunto em treinamento. O exercício pode ser um jogo de palavras cruzadas, uma sátira ou qualquer coisa que ajude as equipes a aprender e a entender o tema;

– Peça que cada grupo compartilhe suas descobertas com os outros grupos;

– Encoraje as piadas e as risadas;

– Peça às pessoas que compartilhem suas experiências, especialmente aquelas que são bem informadas sobre o tema.

Esta fórmula permite realizar várias coisas que são críticas para a aprendizagem de adultos. Primeiro, ajuda a equipe a reconhecer quem tem um forte entendimento da matéria em discussão. Isso estabelece as redes informais de aprendizado que podem ser usadas fora do treinamento quando as pessoas estão de volta às suas mesas tentando aplicar o que aprenderam. Os estudos mostram que 75% (1) da aprendizagem ocorre a partir das redes informais de pessoas, como os especialistas presentes no local, e não o instrutor.

Em segundo lugar, essa fórmula permite que os membros trabalhem em equipe e compartilhem suas experiências, além de criar novas amizades (redes informais). Terceiro, isso faz com que as pessoas trabalhem diretamente com o material em vez de ouvir e tentar absorvê-lo. Por fim, esse método força as pessoas a aprenderem sobre o tema porque precisam compartilhar suas descobertas com todos os outros.

Nenhum curso estaria completo sem um formulário de avaliação, portanto, peça feedback. Eles deve apontar para uma pontuação média de pelo menos 8.5/10. Encontre um facilitador que seja conhecedor e apaixonado pelo tema e possa brincar e pedir às pessoas que compartilhem suas experiências. Observe a proporção do tempo de exercício para slides do powerpoint, que deve ser de cerca de 1: 1. Assim, se tiver uma sessão de treinamento de duas horas, por exemplo, um máximo de uma hora deve ser de powerpoint.

Mantenha apresentações curtas e coloque as pessoas em movimento. Em vez de usar 30 slides para apresentar todos os elementos do manual de qualidade, use um slide para cobrir as principais seções e peça aos treinandos que trabalhem em equipes para pesquisar e entender as outras seções. Cada grupo compartilha o que encontrou com as outras equipes.

Enfim, há muitas maneiras de incorporar os fundamentos em um curso de treinamento – é preciso ser criativo.

Referência

(1) Sian Halliday-Wynes and Francesca Beddie, Informal Learning: At a Glance, National Centre for Vocational Education Research, 2009.

Bibliografia

Cross, Jay, Informal Learning—the Other 80%, America Learning & Media, https://tinyurl.com/y3pkbzfl.

Knowles, Malcolm, Adult Learning: Linking Theory and Practice, Jossey-Bass, 2013.

Pant, Mandakini, 12 Participatory Training Methodology and Materials, pp. 157-172, https://tinyurl.com/y4gerhw3.

WikiBooks,  Learning Theories/Adult Learning Theories, https://tinyurl.com/y5edvgu4.

Wikipedia, Informal learning, https://tinyurl.com/y57ntvwz

Alex Tielker é diretor de qualidade da Dometic em Vancouver, British Columbia. Ele se formou em ciência aplicada em engenharia mecânica pela University of British Columbia e é membro sênior da ASQ e gerente de qualidade/excelência organizacional certificado pela ASQ.

Fonte: Quality Progress/2019 July



Categorias:Opinião, Qualidade

Tags:, , , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: