Publicado em 23 Nov 2021

A caracterização do material particulado em implantes para cirurgia

Redação

A resposta biológica a materiais na forma de pequenas partículas, como resíduos de desgaste, muitas vezes é significativamente diferente daquela para os mesmos materiais como componentes de implantes maiores. O tamanho e a forma ou morfologia das partículas podem ter um efeito importante na resposta biológica. Portanto, deve-se conhecer uma nomenclatura padronizada para descrever essas partículas. Essa nomenclatura unificada é valiosa na interpretação dos testes biológicos de respostas a partículas, pois facilitará a separação de respostas biológicas associadas à forma daquelas associadas à composição química dos detritos. A quantidade, o tamanho e a morfologia das partículas liberadas como resíduos de desgaste de implantes in vivo podem produzir uma resposta biológica adversa que afetará a sobrevivência do dispositivo a longo prazo. A caracterização de tais detritos fornecerá informações valiosas sobre a eficácia dos projetos de dispositivos ou métodos de processamento de componentes e os mecanismos de desgaste. A morfologia das partículas produzidas em testes de laboratório de desgaste e abrasão é freqüentemente afetada pelas condições de teste, como a magnitude e a taxa de aplicação de carga, configuração do dispositivo e ambiente de teste. A comparação da morfologia e do tamanho das partículas produzidas in vitro com aquelas produzidas in vivo fornecerá as informações valiosas sobre o grau em que o método simula a condição in vivo que está sendo modelada. Existe uma série de procedimentos para caracterização da morfologia, número, tamanho e distribuição de tamanho das partículas. Os métodos utilizados incluem peneiras, microscopia óptica, microscopia eletrônica de varredura, microscopia eletrônica de transmissão e eletro-óptica. Por isso, é importante conhecer os processos para a caracterização da morfologia, tamanho e distribuição de tamanho de materiais particulados.

Da Redação – 

A resposta biológica dos materiais sob a forma de pequenas partículas, como aquelas oriundas de resíduos de desgaste de um componente, muitas vezes é significativamente diferente daquela dos mesmos materiais, quando apresentados em maior tamanho, como em componentes de um implante. O tamanho e a forma (morfologia) das partículas podem ter um efeito importante sobre a resposta biológica.

A quantidade, o tamanho e a forma de partículas liberadas como resíduos de desgaste (debris) de implantes em uso clínico podem produzir uma resposta biológica adversa, que pode afetar sua funcionalidade e vida útil. A caracterização destes resíduos pode fornecer informações valiosas sobre a eficácia de projetos de produtos para a saúde, os métodos de processamento de componentes e os mecanismos de desgaste.

A morfologia das partículas produzidas em ensaios de desgaste e de abrasão é muitas vezes afetada pelas condições de ensaio, como a magnitude e a taxa de aplicação de carga, da configuração dos produtos para a saúde e do ambiente de ensaio. A comparação da morfologia e do tamanho das partículas dos resíduos produzid...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica