Publicado em 26 Jul 2022

A Qualidade das peças faciais dos equipamentos de proteção respiratória

Redação

Nos ambientes em que o trabalhador é exposto a atmosferas nocivas a sua saúde, dependendo da atividade realizada, é possível a exposição a uma série de poluentes, como fumos, poeiras, neblinas, micro-organismos. A proteção também se faz essencial para entrada em espaços com deficiência de oxigênio, com a presença de contaminantes atmosféricos em concentrações desconhecidas ou imediatamente perigosas. Assim como para atendimento a emergências que envolvam liberações de gases, vapores ou presença de produtos de combustão de materiais orgânicos em geral. O uso de respiradores em cada uma dessas situações pode ser o único meio de proteção viável para garantir a saúde e a vida do trabalhador ou a última barreira de controle, considerando que a empresa já adote controles na fonte e na propagação, com uso de enclausuramentos e ventilação exaustora localizada. Assim como os demais equipamentos de proteção individual (EPI), eles devem ser fornecidos gratuitamente pelo empregador, em perfeito em estado de conservação e funcionamento, seguindo uma hierarquia de controle. Ou seja, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes ou doenças laborais, ou enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas e para atender a situações de emergência. Um equipamento de proteção respiratória é individual projetado para a proteção do trato respiratório do usuário contra a inalação de atmosferas perigosas e a peça semifacial é a que cobre a boca, o nariz e o queixo. A peça um quarto facial é a que cobre a boca e o nariz e se apoia sobre o queixo. A peça facial cobre no mínimo o nariz e a boca e proporciona vedação adequada sobre a face, estando a pele úmida ou seca, e o usuário executando movimentos com a cabeça ou conversando. O ar entra na peça facial, passando diretamente para a área do nariz e da boca. O ar exalado flui diretamente para a atmosfera ambiente através da válvula de exalação ou por outro meio apropriado. Existem requisitos normativos mínimos para as peças semifacial e um quarto facial utilizadas como parte de equipamentos de proteção respiratória.

Da Redação – 

Os respiradores que cobrem o nariz e a boca são chamados de respiradores de meia máscara e aqueles que cobrem o rosto, incluindo os olhos, são chamados de respiradores de rosto inteiro. Ambos os tipos usam qualquer combinação de pré-filtros, filtros e cartuchos. O tipo de filtro ou cartucho necessário depende do perigo.

Não se deve usar meia-máscara ou respirador de rosto inteiro se estiver exposto a gases e vapores contra os quais o cartucho não pode proteger. Também não se deve usar em locais com deficiências de oxigênio ou outras situações imediatamente perigosas à vida ou à saúde.

A máscara cobre sempre a boca e o nariz. Também pode cobrir os olhos. Uma válvula embutida ajuda a expirar facilmente enquanto mantém o ar contaminado fora quando se inspira. Pré-filtros, filtros e cartuchos são fixados na parte externa da máscara. Estes capturam as partículas, os gases e os vapores. Os respiradores de meia máscara e de rosto inteiro com filtros, cartuchos ou ambos são usados para tarefas como soldagem, limpeza pesada e em fabricação de alta tecnologia.

Cada peça facial comercializada deve estar ac...

Artigo atualizado em 26/07/2022 05:43.

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica