Amplie as suas escolhas

Já torceu a toalha? Não tem mais o que enxugar? Mude a toalha!

camanho

Roberto Camanho – 

Na cesta inevitável das variáveis que a vida nos traz, existem aquelas que podemos atuar, prever, calcular o risco; e existem as que fogem ao nosso controle. Então, o princípio básico da sanidade mental: não coloque sua felicidade na condicional das variáveis que não controla e não dependem de você.

As variáveis não controláveis trazidas para nossa vida atualmente têm nos roubado a força e a capacidade de agir. Essa sensação de que já torcemos toda a toalha e não sobrou mais uma gota de água, nos desperta o lado instintivo de sobrevivência. Nos sentimos ameaçados.

É preciso usar desse lado animal para contornar as pedras do caminho. Direcionar nossa motivação, normalmente voltada para o alcance do provável, focar atenção em mapear e valorizar a busca do possível.

Ao ajustar a régua para a realidade em todos os campos da vida promoverá estímulos reais e, com isso, a força de reação e o bem-estar de se sentir vivo. Não fique preso em um cenário cujo filme já acabou. Não faça isso com sua vida, nem com sua empresa, nem com sua carreira ou relacionamentos.

O filme da vida não tem rewind, pois ele é evolutivo e continuo! Tentar descobrir em que coqueiro tem mais coco é uma pergunta que não cabe mais na situação. A pergunta mudou. Em que praia tem coqueiro ou outra fruta? Como eu chego lá antes de naufragar?

Percebo um movimento nas últimas semanas de organizações e gestores que já entenderam que é preciso remar com as condições que o mar apresenta hoje. Não dá mais para ficar parado esperando que as condições melhorem ou pior voltem a ser como antes. Felizmente, na vida, nada volta a ser como antes, caso contrário morreríamos de tédio.

Então, avalie as opções que existem e que não estavam sendo consideradas. Se eu aceitar mudar de cidade, posso me recolocar mais rapidamente no mercado? Aceitar um cliente menos rentável do que normalmente tenho como alvo me permite sobreviver no mercado até os ventos mudarem?

O que não é possível é ficar inerte até que todos os seus recursos se esgotem. Sejam eles financeiros, estruturais ou até psicológicos. É fundamental recalibrar suas expectativas, sonhos e cronogramas para um plano de felicidade e de realizações possíveis. Orgulho é como colesterol, existe o bom e o ruim. O orgulho ruim trava e cega. Mantenha-o sobre controle.

A vida exige movimento, respostas, iniciativas e senso de responsabilidade. A economia criativa está fazendo caminho, marcas como Uber, Airbnb e outras tantas nos mostram que é possível empreender e ser bem-sucedido olhando-se para outras direções, abrindo-se outras janelas.

Fomos criados para crer que não devemos ser vulneráveis. Não é bem assim, devemos criar uma relação amigável e pacífica com as nossas deficiências e limitações. Uma delas é aceitar que para melhorar precisa mudar.

Aceitar as vulnerabilidades gera força para prosseguir. Se o mundo não se transforma, variáveis fora de controle continuam chegando em sua vida, transforme-se. Mude as crenças, amplie as suas escolhas Troque de toalha!

Roberto Camanho conduz decisões que envolvem orçamentos de bilhões de reais, participa de projetos de pesquisa em processos decisórios e publica trabalhos em congressos internacionais. No Brasil, é pioneiro na aplicação de metodologias de apoio a decisões estratégicas. Desde 1996, atua em empresas dos setores financeiro, aeroespacial, petroquímico, de energia, papel e celulose, mineração, de infraestrutura e agências governamentais – camanho@robertocamanho.com.br



Categorias:Opinião

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: