Os serviços para construção de edifícios

Os serviços técnicos necessários à elaboração de planejamento, projetos, fiscalização e condução das construções.

edificio-construcao

Guilherme Papa –

A construção de edifícios envolve uma grande quantidade de fatores a serem considerados. Desde os primeiros projetos, em nível de esboço, uma série de aspectos devem ser colocados no papel antes mesmo de mover a primeira pedra do edifício.
A qualidade e a quantidade dos materiais e profissionais envolvidos, ferramentas a serem utilizadas, instalações, etc. são os pontos básicos e muitos importantes na lista.

Assim como os demais tópicos, eles devem obedecer um padrão de qualidade para que tudo saia nos conformes e o edifício seja construído de uma maneira adequada.
Ignorar os processos de gestão de qualidade, seja por qualquer motivo, é um erro gravíssimo e inconsequente. Um acidente pode ocorrer, por exemplo, o que em uma construção de grande porte potencializa a probabilidade de lesões e mortes.

O prejuízo humano é incompensável, além claro de poder levar à falência empresa responsável pela obra, ou ao menos gerar grande desconfiança no mercado e queda das ações. Ter em mãos todos os serviços da construção devidamente estruturados diminui também a chance de os custos serem inflacionados. Evidentemente que eventos climáticos podem ocorrer e causar problemas e/ou atrasos, mas tendo todos os pontos estabelecidos evita um aumento de capital para concluir o edifício, valor este que a empresa teria de absorver ou repassar para o consumidor.

A NBR 12722 – Discriminação de serviços para construção de edifícios discrimina os serviços técnicos necessários à elaboração de planejamento, projetos, fiscalização e condução das construções, destinados especialmente às edificações de propriedade pública ou privada, residenciais, comerciais, industriais ou agrícolas. Abrange os serviços técnicos relacionados com as quatro fases que se podem distinguir na realização de um empreendimento de construção de edificações: estudos preliminares, projeto, construção e recebimento. Os diversos serviços técnicos estão discriminados sob os capítulos correspondentes às diversas fases.

A fase de planejamento do empreendimento deve constar de: análise da viabilidade técnico-econômico-financeira do empreendimento; escolha do lugar (região, estado, município, distrito, local da implantação); levantamento topográfico; estudos geotécnicos; caracterização física da edificação; seleção dos profissionais ou equipe de profissionais que devem participar de sua execução; serviços complementares necessários ao empreendimento; ligação e integração com serviços públicos federais, estaduais, municipais, autárquicos, etc.; previsão orçamentária do empreendimento; programação das diversas fases do empreendimento através de cronogramas, inclusive com a indicação das providências necessárias à sua concretização racional; e vistoria preliminar.

Os desenhos representativos do levantamento devem ser executados em escala adequada a seus fins (1:50, 1:100, 1:500 ou 1:1000), em papel copiativo, acompanhados das respectivas cadernetas topográficas do caminhamento. Nos desenhos, devem ser indicadas as datas da execução dos trabalhos no campo, além daquelas exigidas pela legislação do exercício profissional.

Para os estudos geotécnicos, os processos a serem empregados dependem das características do terreno e da obra em questão. Sempre que forem julgados necessários, devem ser efetuados ensaios geotécnicos de laboratório (em amostras representativas e/ou indeformadas) e/ou de campo, a fim de melhor determinar as propriedades das camadas do terreno ou do maciço rochoso.

A caracterização física da edificação consiste no esboço da edificação, em grandes linhas, no terreno escolhido. A seleção dos profissionais ou equipe de profissionais que devem participar de sua execução deve ser feita à vista de demanda de conhecimento especializado, experiência profissional e da legislação profissional em vigor.

Os serviços complementares necessários ao empreendimento; ligação e integração com serviços públicos federais, estaduais, municipais, autárquicos, etc. devem ser feitos tendo em vista a legislação em vigor e as conveniências do empreendimento. Para a previsão orçamentária do empreendimento, deve ser feita estimativa, à base de elementos os mais atualizados disponíveis e em itens que permitam sua detalhada apreciação e atualização. Os cronogramas são a programação das diversas fases do empreendimento, através de cronogramas, inclusive com a indicação das providências necessárias à sua concretização racional.
Enfim, no projeto definitivo deve constar de uma solução do anteprojeto, representada por plantas, cortes e elevações, esclarecendo todos os pormenores de que se constitui o projeto a ser executado; escolha e distribuição de todos os materiais a serem usados; desenhos detalhados de todos os recursos acústicos utilizados e sua distribuição, como sejam, ressoadores, refletores, etc.; fixação definitiva do tempo de reverberação.

No caso de auditórios ao ar livre, indicar as providências necessárias à segregação do ruído externo (mascaramento). No isolamento de ruído: plantas, cortes e elevações, com a indicação de todos os pormenores do projeto, incluindo a escolha, distribuição e espessura dos materiais a serem empregados.



Categorias:Normalização

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: