Publicado em 26 Jan 2021

Medindo a resistividade do solo por meio da sondagem geoelétrica

Redação

O aterramento é a ligação intencional da parte eletricamente condutiva à terra, pois a corrente elétrica no sistema de fiação consiste em um fluxo de elétrons dentro dos fios do circuito de metal. A corrente vem em duas formas, uma carga negativa e outra positiva, e esse campo elétrico carregado é criado por enormes geradores operados pela concessionária, às vezes a centenas de quilômetros de distância. É essa carga polarizada que efetivamente constitui o fluxo de corrente elétrica e chega à sua casa por meio de uma vasta rede de cabos de alta tensão, subestações e transformadores. A física do fluxo elétrico é mais complicada do que a maioria das explicações pode transmitir, mas, essencialmente, a eletricidade busca retornar seus elétrons ao solo, ou seja, descarregar sua energia negativa e retornar ao equilíbrio. Normalmente, a corrente retorna ao aterramento por meio dos fios neutros do sistema elétrico. Mas se ocorrer alguma quebra do caminho, a corrente quente pode fluir através de outros materiais, como estruturas de madeira, canos de metal ou materiais inflamáveis. Isso é o que pode acontecer em uma situação de curto-circuito, onde se originam a maioria dos choques e incêndios elétricos. Um curto-circuito ocorre quando a eletricidade se espalha para fora dos fios pelos quais deveria fluir - em outras palavras, quando leva um caminho mais curto para o aterramento. Assim, o condutor de aterramento é o condutor ou elemento metálico que faz a ligação elétrica entre uma parte de uma instalação aterrada e o eletrodo de aterramento. A resistividade aparente do solo é a resistividade equivalente de um volume de subsuperfície sondado por um método geofísico. Para um volume de subsuperfície homogêneo, este parâmetro representa a resistividade real, enquanto para um volume de subsuperfície multidimensional, representa a resistividade do volume semiesférico uniforme equivalente, sendo uma função da técnica adotada e da geometria dos eletrodos de sondagem. A sondagem geoelétrica é um termo que expressa o conceito de medição da resistividade do solo por meio de métodos geofísicos. Deve-se entender os métodos de sondagem geoelétrica e as técnicas de determinação do modelo geoelétrico 1D correspondente (camadas horizontais, planas e paralelas).

Da Redação – 

Os equipamentos utilizados para as medições pelo método da eletrorresistividade e utilizando a técnica de sondagens elétricas verticais (SEV) podem ser assim agrupados: terrômetro que é utilizado pelos profissionais da área elétrica com o arranjo de Wenner, para projetos de aterramentos elétricos; o resistivímetro que é usado pelos geofísicos com o arranjo de Schlumberger; e os equipamentos que operam com muita baixa frequência (VLF), abaixo dos 15 Hz ou quase DC (até décimos de hertz), que é um recurso que permite minimizar erros em locais que apresentem baixa relação sinal/ruído nos eletrodos de potencial. Os terrômetros e os resistivímetros são compostos, basicamente, por uma fonte de tensão (contínua ou alternada), um amperímetro e um galvanômetro ou voltímetro, sendo que o mostrador do equipamento pode ser calibrado para fornecer a relação entre a tensão e a corrente medidos, que tem dimensão de uma resistência aparente.

Os equipamentos possuem quatro bornes, que são interligados a quatro eletrodos cravados na superfície do solo, sendo dois de corrente e dois de potencial. O terrômetro foi desenvolvido...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica