Publicado em 08 Jun 2021

A gestão da análise de riscos de incêndio e de explosão

Redação

A proteção da vida humana é essencial e o negligenciamento neste aspecto do planejamento não pode ser admitido em qualquer hipótese. A proteção do patrimônio, por sua vez, é relativa e normalmente determinada segundo uma conjunção de interesses de ordem econômica. Adicionalmente outros fatores podem ainda contribuir para definições de interesse como a preservação histórica ou cultural e manutenção de serviços essenciais. A importância das perdas econômicas e de vidas humanas, envolvidas em incêndios, possibilitou o incremento das pesquisas e investigações nesta área do conhecimento nas últimas décadas. Portanto, diante das tendências mundiais, há que se criticar: a atitude do projetista que considera segurança contra incêndios um simples problema de atendimento a códigos e leis (atitude até compreensível, dentro da realidade brasileira). Isso deveria ser convertido em um perfeito domínio dos conceitos de segurança contra incêndio. Assim, seria possível projetar cada edifício com suas peculiaridades. Existem algumas crenças, comuns entre empresários ou construtores, de que os incrementos do nível de segurança contra incêndio são investimentos sem retorno. Além disto, que existe a ideia de que o incêndio é um risco a ser simplesmente coberto por um seguro. Deve-se conhecer a metodologia e as técnicas usadas na análise de riscos de incêndio e de explosão para identificar e analisar as causas e suas consequências, bem como avaliar os eventos de incêndio e/ou explosão em projeto de processos de instalações industriais, com sistemas de prevenção de deflagração, nas fases de estudos de viabilidade e preliminar, nos projetos básico e executivo, e também nas instalações existentes.

Da Redação – 

Os transtornos sociais derivados dos incêndios são significativos, pois 20% das organizações atingidas pelo fogo desaparecem definitivamente. A perda de mercado e o desemprego para muitas pessoas são outros efeitos derivados dos incêndios. Além disto, o tratamento de queimados exige largos períodos de tempo.

As consequências das queimaduras restringem a vida social das vítimas. Na área patrimonial, a destruição de um objeto histórico, um marco moral ou espiritual para um país, é uma perda irreparável. O conhecimento do valor econômico dos bens destruídos em incêndios é muito difícil.

Os valores indenizados pelas companhias de seguro são mensurados com enormes variações de referências. As cifras aparentes são relativas. Os danos ocasionados em atividades agrícolas, nas residências, nos bens públicos e privados que não foram segurados tornam os valores restritos a uma pequena fatia do todo.

Os danos indiretos, por sua vez, resultam em mais dificuldade de mensuração. Estes podem ser maiores que os danos diretos. As consequências indiretas de um incêndio variam de 25% até muitas vezes os danos diret...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica