Publicado em 28 Sep 2021

O gerenciamento do ciclo de vida do software é estratégico para os negócios

Redação

Quanto maior o nível de maturidade de uma área de TI, maior o controle e o apoio nas tomadas de decisões da empresa, otimizando o negócio. Assim, irá existir o ganho financeiro que vai diretamente melhorar a vantagem competitiva e o desempenho da empresa, já que ela deixará de investir em licenças e passará a olhar a infraestrutura, o diferencial tecnológico e a transformação digital.

Gabriela Camano – 

De acordo com um estudo publicado pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), em parceria com o IDC, em 2019, o mercado brasileiro de software cresceu 10,5%, com uma movimentação de R$ 161,7 bilhões (US$ 44,3 bilhões), se considerados os segmentos de software, serviços, hardware e as exportações do segmento. Com o mercado aquecido, as organizações perceberam que ter um envolvimento proativo com o ciclo de vida de software (SLM) é extremamente necessário para fornecer informações que permitem que as empresas promovam mudanças, economizem e mantenham sua propriedade de software protegidas.

O SLM nada mais é do que a gestão do ativo de softwares, que visa proteger a propriedade intelectual e o capital financeiro das companhias. Hoje em dia, as empresas precisam estar preparadas para realizarem as análises de suas licenças e contratos aceitos pela empresa, pelos fabricantes, para não sofrerem eventuais multas.

Com a evolução da área de TI, SLM deixou de visar apenas auditoria, buscando entender o todo das suas licenças, a gestão de ativos e a governança corporativa com processos muito...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica