Publicado em 05 Oct 2021

As empresas podem reduzir os custos com energia no mercado livre de energia

Redação

Como o próprio nome já diz, o mercado livre de energia nada mais é que um ambiente de negócios onde vendedores e compradores negociam livremente a sua energia elétrica, contratando o serviço diretamente de geradoras e de comercializadoras. O mercado já pode ser considerado um grande aliado de empresas e indústrias quando o assunto é economia e sustentabilidade.

Braz Justi – 

Em 1998 foi instituído o mercado livre de energia no mandato do então presidente Fernando Henrique Cardoso, porém, só em 2004 a iniciativa foi regulamentada pelo decreto 5.163. Hoje, 16 anos depois, o mercado livre de energia, ou o Ambiente de Contratação Livre (ACL), já corresponde à 30% da energia consumida no país, segundo levantamento da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), totalizando em 2020 mais de 8.300 consumidores no país, o que representa um aumento de 22% comparado à 2019.

Como o próprio nome já diz, o mercado livre de energia nada mais é que um ambiente de negócios onde vendedores e compradores negociam livremente a sua energia elétrica, contratando o serviço diretamente de geradoras e de comercializadoras. O mercado já pode ser considerado um grande aliado de empresas e indústrias quando o assunto é economia e sustentabilidade.

Além disso, a pandemia intensificou a busca de empresas por projetos que ofereçam economia que impactem diretamente os negócios. A condição de contratar energia livre comprova inúmeras vantagens para os consumidores, tais como previsi...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica