Publicado em 05 Oct 2021

A qualificação e a prática dos ensaios não destrutivos por líquido penetrante

Redação

Esse ensaio não destrutivo (END) pode detectar defeitos de quebra de superfície, como rachaduras finas, porosidade superficial, vazamentos em novos produtos e rachaduras por fadiga. Ele pode transformar defeitos invisíveis em defeitos visíveis usando um corante líquido. O mecanismo deste ensaio é baseado na ação capilar, já que o líquido penetrante de baixa tensão é aplicado em defeitos de quebra de superfície limpos e secos para se espalhar. Depois de decorrido o tempo apropriado, deve-se remover o excesso de penetrante e retirar pelo revelador. Em seguida, aparecem os defeitos de forma visível. Esse END pode ser aplicado a materiais não metálicos que não sejam porosos, no entanto, é impossível detectar defeitos internos. Deve ser selecionado o método adequado dependendo da peça de teste - imersão do corante líquido, remoção do excesso e extração pelo desenvolvedor. Esse END está um passo à frente da inspeção visual e oferece muitas vantagens, como velocidade, cobertura de grande área e baixo custo. Geralmente, é um processo de seis estágios: limpeza da superfície (desengorduramento, etc.); aplicação de um líquido penetrante (imersão, spray e pincel); remoção do excesso de penetrante (solvente ou água); aplicação do revelador; inspeção da superfície de teste (visual ou câmera de televisão); e limpeza pós-inspeção (soluções anticorrosivas). Existem três grupos principais de processo de penetrante: solúvel em água, pós-emulsionável com enxágue com água, e removível com solvente, sendo a diferença o método utilizado para remover o excesso de penetrante. Em cada um deles, a solução penetrante pode conter um corante para tornar a indicação visível sob luz branca, ou um material fluorescente que fica fluorescente sob luz ultravioleta (UV) adequada. Deve-se entender os requisitos para uma sistemática de qualificação do procedimento de ensaio não destrutivo por líquido penetrante tipos I e II (fluorescente e colorido), técnicas “a” e “c” (removível com água e com solvente), com revelador tipo "d" (úmido não aquoso), para o nível de sensibilidade especificado (nível 1 ou 2). Igualmente, compreender os parâmetros para conduzir ensaios por líquido penetrante em metais não porosos e componentes não metálicos.

Da Redação – 

Os END de líquido penetrante verificam se há falhas de material na superfície, fluindo um líquido muito fino para a falha e, em seguida, retirando o líquido com um revelador semelhante a giz. As soldas são o item mais comum inspecionado, mas placas, barras, tubos, peças fundidas e forjadas também são comumente inspecionados usando exame de líquido penetrante. Ele é sempre aplicado quando o material não é ferromagnético e, portanto, o método de teste de partícula magnética não pode ser usado.

Em uma primeira etapa o objeto a ser inspecionado deve ser cuidadosamente limpo. Após a limpeza completa da superfície, um líquido vermelho (na maioria das vezes) (penetrante de tinta) é disperso na área de inspeção. Devido à ação capilar, o líquido penetra nas fissuras existentes.

Após um tempo de penetração de aproximadamente 10 min (o tempo depende do tipo de material e do tamanho do defeito a ser detectado) a superfície é limpa novamente com cuidado. O penetrante deve permanecer nas fissuras. Em seguida, um revelador branco é pulverizado como uma película fina na superfície que suga o penetrante para fora da f...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica