Publicado em 16 Nov 2021

O gerenciamento do risco integrado em um programa espacial

Redação

O processo de gerenciamento risco inclui todas as atividades do projeto relacionadas com a identificação, avaliação, redução, aceitação e realimentação de informações sobre os riscos. Além disso, é um processo sistemático e iterativo de otimização de recursos de acordo com a política de gerenciamento do risco do projeto. É integrado através de funções e responsabilidades definidas nas atividades diárias em todas as áreas do projeto. O gerenciamento dos riscos auxilia os gerentes e os engenheiros quando aspectos dos riscos são incluídos nas atividades e decisões de gerenciamento e de engenharia em todo o ciclo de vida do projeto. É realizado de maneira integrada e holística, maximizando os benefícios gerais, em áreas como concepção, construção, ensaios, operação, manutenção e eliminação, junto com suas interfaces; controle sobre as consequências dos riscos; e gerenciamento, custos e cronograma. Este processo adiciona valor aos dados que são rotineiramente desenvolvidos, mantidos e relatados. Na verdade, os sistemas espaciais são veículos e infraestrutura trabalhando juntos para realizar uma tarefa no ambiente espacial. Atualmente, a sociedade depende dos sistemas espaciais todos os dias para serviços de comunicação, navegação e previsão do tempo. Eles melhoram o conhecimento do universo físico por meio da observação celestial e da exploração planetária e também fornecem inteligência e vigilância essenciais para a defesa nacional. Os sistemas espaciais normalmente exibem altos níveis de interação do subsistema, têm baixa s margens de desempenho e exigem alta confiabilidade. A autonomia é cada vez mais importante para os sistemas espaciais, especialmente para aqueles que operam longe da Terra. Um sistema espacial consiste em muitos elementos, inclui não apenas um veículo de lançamento e satélites, mas também segmentos terrestres, como as várias instalações terrestres. O sucesso da missão depende do funcionamento do sistema como um todo, não das funções discretas de seus elementos. Quando se fala em indústria espacial, os riscos são substanciais, tanto internos quanto externos. O custo do erro é sempre crucial. O cronograma é igualmente essencial. Qualquer projeto espacial deve ser calculado em dezenas de passos à frente. Mesmo uma ligeira mudança no projeto pode levar ao fracasso de programas internacionais e à destruição de contratos importantes. Dessa forma, deve-se entender os princípios e requisitos para o gerenciamento do risco integrado em um programa espacial e esclarece o que é necessário para implementar uma política de gerenciamento do risco integrada a um projeto, por qualquer participante do projeto e em qualquer nível, como, por exemplo, os clientes e os fornecedores nos diversos níveis.

Da Redação – 

Em um projeto espacial, um risco é uma falha potencial que pode ocorrer durante o projeto, construção, transporte, lançamento ou operação de uma espaçonave em órbita. Durante o período até o lançamento, uma falha pode resultar em estouro de custos, atrasos na programação e, potencialmente, a perda de uma função crítica da espaçonave.

Durante e após o lançamento, uma falha pode resultar na perda parcial ou total da espaçonave ou de uma função da espaçonave. Dependendo da gravidade, isso pode levar a uma perda total da missão ou a uma redução no desempenho ou na vida útil da espaçonave.

Além disso, os sistemas essenciais - como comunicações, transporte aéreo, comércio marítimo, serviços financeiros, monitoramento do clima e defesa - dependem fortemente da infraestrutura espacial, incluindo satélites, estações terrestres e conexões de dados a nível nacional, regional e internacional. Essa dependência representa um dilema de segurança muito sério, mas frequentemente subestimado - especialmente as ameaças cibernéticas - para provedores de infraestrutura crítica e formuladores de políticas.

Como qualq...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica