Publicado em 21 Dec 2021

A gestão da energia em pequenas e médias empresas

Redação

Atualmente, é importante envolver todos os tipos de organizações e, em particular, as organizações de pequeno e médio porte na implementação em larga escala da gestão de energia por causa do potencial significativo que elas têm para a melhoria do desempenho energético, economias e reduções de custos de energia associadas nas emissões de gases de efeito estufa (GEE). Implementar uma estratégia eficaz de gestão da energia não é fácil, mas há três componentes de melhores práticas que precisam trabalhar juntos para o sucesso: a gestão dos riscos, a eficiência e a sustentabilidade ambiental. A gestão dos riscos pode ser vista como um processo proativo dos custos agora e no futuro. Aproveitar a experiência do mercado e fazer o monitoramento e relatórios para ajudar a mover a compra de energia para uma oportunidade baseada em valor, como o investimento, pode pagar dividendos significativos na estratégia geral de energia. O desenvolvimento de uma estratégia customizada de compra de energia e gás natural que aproveite a volatilidade do mercado pode fornecer uma gestão de risco significativa. A eficiência é o processo de redução efetiva do consumo e, portanto, dos gastos gerais. Isso pode assumir a forma de redução do uso por meio de programas de redução, aumento da eficiência da construção por meio de investimentos e monitoramento regular da demanda. Deve-se pensar em projetos como reforma da iluminação ineficiente, garantindo que todos os equipamentos estejam funcionando corretamente, investindo em motores com eficiência energética e rastreando o desempenho de energia para gerar economia de energia. A sustentabilidade ambiental envolve a manutenção dos fatores e práticas que contribuem para a qualidade do meio ambiente no longo prazo. Isso significa ser capaz de atender às metas de eficiência corporativa por meio de soluções de energia renovável, reduzindo o consumo para reduzir a pegada de carbono da instalação. No geral, é um plano no qual as demandas impostas ao meio ambiente podem ser atendidas sem reduzir a capacidade de permitir que todas as pessoas vivam bem, agora e no futuro. O desenvolvimento sustentável considera as questões sociais, econômicas, ambientais e de recursos naturais potencialmente afetadas pelos negócios. A sustentabilidade deve ser capaz de atender às metas de eficiência corporativa por meio de soluções que incluem energia renovável e iniciativas relacionadas. Em resumo, é importante considerar todos os fatores - não apenas o fornecimento de energia, mas o investimento de capital e a sustentabilidade - para ter uma estratégia de gestão de energia eficaz. Tão importante quanto é ter o fornecedor de energia certo ajudando a empresa a navegar para educar e fornecer o máximo de benefícios com base na estratégia geral da organização.

Da Redação – 

Segundo o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), a matriz energética brasileira, que engloba todas as fontes primárias e formas de consumo, é uma das mais renováveis do mundo, com 46% da oferta interna de energia proveniente de fontes renováveis, enquanto a média global é de apenas 12%, segundo dados do Balanço Energético Nacional. Estes números mostram que o Brasil possui uma matriz energética quase quatro vezes mais renovável que a média global.

Porém, o índice que mede o peso dos custos de produção para as micro e pequenas indústrias, por exemplo, vinha melhorando gradativamente, mas voltou a apresentar piora em junho, com forte contribuição das despesas com energia elétrica. Segundo a pesquisa, 69% das empresas consultadas tiveram alta significativa de custos entre maio e junho. O índice chega a 81% considerando somente as pequenas indústrias. Os maiores vilões na soma dos custos de produção são matéria prima e insumos (62%), incluindo água e energia elétrica. Em seguida, os itens mais citados são transporte e logística (4%) e mão de obra (3%).

Alguns especialistas explicam como as PME podem e...

Artigo atualizado em 15/12/2021 02:56.

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica