Gestão por processo: uma estratégia para resultados

A visão por processos é conhecida desde a época medieval com a atuação dos artesãos.

mariangela

Mariângela Vilanova

De acordo com a NBR ISO 9000 de 09/2015 – Sistemas de gestão da qualidade – Fundamentos e vocabulário que descreve os conceitos fundamentais e princípios de gestão da qualidade que são universalmente aplicáveis a: – organizações que buscam sucesso sustentado pela implementação de um sistema de gestão da qualidade; – clientes que buscam confiança na capacidade de uma organização prover consistentemente produtos e serviços em conformidade com seus requisitos; – organizações que buscam confiança de que, em sua cadeia de fornecedores, requisitos de produto e serviço serão atendidos; – organizações e partes interessadas que buscam melhorar a comunicação por meio da compreensão comum do vocabulário utilizado na gestão da qualidade; – organizações que fazem avaliação da conformidade com base nos requisitos da NBR ISO 9001; – provedores de treinamento, avaliação ou consultoria em gestão da qualidade; – desenvolvedores de normas relacionadas, processo é um conjunto de atividades inter-relacionadas ou interativas que transforma insumo (entradas) em produtos (saídas). É evidente que para uma organização funcionar de maneira eficaz ela tem que identificar e gerenciar seus processos.

A aplicação da gestão por processos em uma organização possibilita a mesma atuar com eficiência, o que leva a bons resultados e a implementação de estratégias que auxiliam na gestão de mudanças. A visão por processos é conhecida desde a época medieval com a atuação dos artesãos – responsáveis por todas as etapas do processo de produção.

Com o advento da Revolução Industrial e da administração científica, ocorreu a produção em escala e a divisão do trabalho, criando assim a especialização e a necessidade de coordenar lateralmente: comunicações + atividades. Esta lógica da divisão do trabalho produziu as organizações funcionais que têm por objetivo a otimização dos indicadores de desempenho departamental em que atividades, indicadores e efeitos resultam numa distorção de percepção.

É através da visão por processo que se procura entender o que precisa ser feito e como fazê-lo. Nela, as tarefas não são definidas exclusivamente em função dos departamentos da organização. Ao se decidir o que precisa ser feito, tem-se em mente as atividades que agregarão valor para a organização sem se preocupar inicialmente em saber qual o departamento que as executar.

O cenário atual, caracterizado por clientes cada vez mais exigentes e pela concorrência cada vez mais acirrada tem levado as empresas a empenharem esforços implacáveis, visando a maximização do desempenho do seu negócio aplicando programas capaz de diminuir custos, melhorar a produtividade, aumentar a flexibilidade, diminuir o tempo do ciclo e sobretudo melhorar a qualidade dos serviços.

Assim, dentro desse novo contexto organizacional surge a gestão por processos que evidencia, com a sua implantação, as organizações mais competitivas. Atualmente, a forma de enxergar a organização segue sob a ótica de processos e geri-los de forma a promover resultados mais alinhados às expectativas do cliente e dos acionistas.

Essa ótica tem se mostrado uma prática extremamente compatível com as demandas empresariais existentes nos mais diversos nichos de mercados. De indústrias a prestadoras de serviço, de micro a grandes empresas, são muitos os exemplos de aplicações bem sucedidas da nova filosofia gerencial que procura identificar os processos multifuncionais de uma empresa e prover valor e eficiência às organizações.

Conhecer seus processos é uma necessidade de toda e qualquer organização de qualquer segmento e porte. Podemos afirmar que a gestão por processos é uma forma de trabalhar, na qual os profissionais mantêm o foco na essência de suas atividades, não perdendo tempo com procedimentos secundários, que a tecnologia pode realizar.

Essa maneira de trabalho organiza bem os papéis de cada um, o tempo que cada atividade levará, a sequência das mesmas, as necessidades e as informações importantes para que tudo seja feito com eficiência e qualidade. Os benefícios da gestão por processos são inúmeros, entre eles podemos citar a visualização transparente que adquirimos através do mapeamento  dos processos  onde todas as atividades da organização identificas bem como todos os seus processos, suas entradas, saídas, seus fornecedores, auxiliando para implementação estratégia organizacional, o ganho da flexibilidade, a facilidade na gestão do conhecimento, a redução de custos e erros na execução das suas atividades.

Mariângela Vilanova é consultora empresarial, está cursando mestrado na área de Gestão da Informação na UFS e é diretora executiva na MVG Consultoria e Treinamento – mvgconsultoria@outlook.com



Categorias:Opinião

Tags:, , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: