Publicado em 11 Dec 2018

Os riscos à saúde nos salões de beleza

Redação

Será que as manicures, pedicuros e podólogas que atuam nos salões de beleza submetem os instrumentos que utilizam a processos de limpeza e esterilização adequados antes do uso? Se os instrumentos perfurocortantes como alicates de unha e cutícula, espátulas de metal, dentre outros, que provocam abrasões na derme ou epiderme, não forem devidamente processados há o risco de transmissão de microrganismo como vírus, fungos e bactérias. Podem também gerar infecções e se constituírem em veículos para a transmissão de doenças infectocontagiosas como as onicomicoses, as hepatites B e C, as quais se têm proliferado de forma alarmante, e até o vírus Human Immunodeficiency Virus (HIV) causador da Acquired Immunodeficiency Syndrome (AIDS).

beleza2Hayrton Rodrigues do Prado Filho –

Normalmente, os salões de beleza poderiam evitar a transmissão de agentes infectantes com a esterilização de seus instrumentos, com uma lavagem com detergente enzimático, escovação e enxague abundante para que os resíduos orgânicos não fiquem impregnados. Depois de secos devem ser embalados antes do processo de esterilização, o que impede a reprodução de todos os organismos presentes.

A esterilização pode ser realizada com a utilização de calor seco, em estufa ou forno de Pasteur, a 170 °C durante 60 minutos; mas pode ser feito usando-se o vapor saturado sob pressão, em autoclaves, a 134 °C por 15 minutos. As embalagens adequadas utilizadas nos dois casos devem ser abertas apenas por ocasião do uso dos instrumentos, com técnica asséptica, para evitar eventuais contaminações. Isso seria o ideal.



Lixas, espátulas e até mesmo o palito de madeira podem transmitir fungos e bactérias originando micose e, ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica