Publicado em 28 Jul 2020

As especificações do material rodante do VLT

Redação

O veículo leve sobre trilhos metálicos (VLT), em inglês light rail vehicle (LRV), é um sistema de transporte que está entre o metrô e o ônibus convencional, e, geralmente, não tem a sua faixa de tráfego exclusiva. Dependendo da tecnologia adotada, um sistema de VLT pode garantir uma capacidade de transporte que varia entre 15 mil e 35 mil passageiros/h/sentido. É necessário verificar alguns conceitos importantes quando se fala em VLT, tais como: leveza – que propicia menor consumo energético e desgaste da via –; acessibilidade – através do piso baixo e rampa de acesso para cadeiras de rodas –; e flexibilidade – com bom desempenho operacional tanto em via exclusivas (desenvolvendo maiores velocidades), como em meio ao tráfego rodoviário urbano com cruzamentos ao nível das ruas e operação por marcha à vista. A distribuição de peso por eixo de um VLT é cerca de 3 a 6 toneladas menor que a dos metrôs e pode ser movido com diesel ou eletricamente. Os VLT existem em inúmeras cidades do mundo, principalmente na Europa, e, comprovadamente, produzem significativos benefícios, tais como ordenação do tráfego urbano, redução dos níveis de poluição, melhoria da mobilidade urbana. Com composições variando de 22 a 60m de comprimento, o VLT é um bom modo intermediário para as necessidades de capacidade que variam de 3.000 a 11.000 passageiros por hora por sentido, como metrô, trem ferroviário pesado e em alguns casos Bus Rapid Transit (BRT) oferecendo similar ou maior capacidade. Com seu bom desempenho de aceleração, o VLT oferece boa velocidade de serviço e pode continuar a operar em condições climáticas adversas, levando em consideração que os veículos modernos, pistas bem implantadas e mantidas oferecem aos passageiros uma viagem tranquila e confortável. O VLT também tem a vantagem de ser ambientalmente amigável, consumindo em média sete vezes menos energia por passageiro do que os carros e não produzindo emissões a nível local. Enquanto isso, os recentes avanços tecnológicos estão abrindo o caminho para cada vez ganhos maiores em eficiência energética. Conheça os requisitos para o material rodante do sistema de veículo leve sobre trilhos metálicos (VLT) que trafega em vias urbanas compartilhadas com outros tipos de veículos e/ou pedestres, mas podendo também transitar em área confinada; a céu aberto, em túnel ou em via elevada.

Da Redação – 

O VLT pode operar em ambientes urbanos e suburbanos, no tráfego misto ou em vias segregadas, ao nível do solo, mas também no subsolo ou elevado e tem flexibilidade comprovada no atendimento a áreas de pedestres. Além do mais, os regimes de VLT não são apenas projetos de transportes, também são projetos de urbanização: com infraestrutura permanente e altamente visíveis, eles testemunham, um compromisso político de forte e longo prazo para a sustentabilidade e contribui para a regeneração e modernização das áreas em que atuam.

Pode carregar até quatro vezes mais pessoas do que um ônibus pela metade do custo da implantação de uma linha de metrô, já que não possui paradas subterrâneas. O VLT normalmente trafega na altura das vias ou sobre trilhos elevados. Considerado um meio de transporte sustentável, estes veículos utilizam materiais ecologicamente amigáveis e são movidos à energia elétrica ou a biodiesel, por isso não emitem poluentes. Além disso, são muito mais silenciosos e ecológicos do que os transportes convencionais e possuem controle automatizado, que os torna mais seguros.

Os especialistas em transporte urbano consideram o veículo leve a melhor alternativa aos problemas de locomoção das grandes cidades brasileiras. Entre as vantagens do VLT estão a diminuição da poluição sonora, a pontualidade (com poucas paradas o trem trafega mais facilmente), integração com outros meios de transporte, o conforto interno e a...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica