Publicado em 15 Sep 2020

As especificações dos cabos ópticos aéreos dielétricos autossustentados

Redação

A fibra óptica é um meio de transmissão que utiliza a luz para transportar a informação através de uma rede de comunicação. Constitui-se em uma estrutura cilíndrica composta por um material dielétrico, geralmente plástico ou vidro. A transmissão por fibra óptica é realizada pelo envio de um sinal de luz codificado, dentro do domínio de frequência do infravermelho, por meio de um cabo óptico. A fibra óptica é formada por duas partes: o núcleo e a casca. O núcleo é a parte por onde se propaga a luz. A casca é responsável por confinar a luz no interior do núcleo. A fibra também possui um revestimento plástico que lhe dá proteção mecânica contra o meio externo. Para a transmissão de sinais através de fibras ópticas são utilizados emissores e receptores ópticos que são responsáveis pela conversão dos sinais elétricos para sinais luminosos e vice-versa. As fibras ópticas são classificadas segundo suas características básicas de transmissão, influenciadas essencialmente pelo perfil dos índices de refração da fibra e pela sua habilidade em conduzir um ou vários modos de propagação. Esses aspectos influem principalmente na capacidade de transmissão (banda passante) da fibra e nas suas facilidades operacionais em termos de conexões e acoplamento com fontes e detectores luminosos. A fibra multimodo é de construção mais simples e foi o primeiro tipo a ser desenvolvido. Refere-se à possibilidade de que vários feixes de luz, em diferentes ângulos de incidência, propaguem-se por meio de diferentes caminhos pela fibra. O cabo óptico autossustentado, em seu processo de instalação, possui na sua estrutura um elemento de sustentação metálico que é utilizado para a fixação em postes, fachadas, etc. Conheça os requisitos técnicos para a fabricação dos cabos ópticos aéreos dielétricos autossustentados.

Da Redação – 

As características de transmissão de uma fibra óptica podem ser descritas essencialmente pelas suas propriedades quanto à atenuação e dispersão dos sinais por ela transmitidos. Entre as causas mais importantes de interferências em sistemas ópticos destacam-se a absorção pelo material, irradiação devido a curvaturas, espalhamento pelo material linear e não linear, perdas por modos vazantes, perdas por microcurvaturas, atenuações em emendas e conectores e perdas por acoplamento no início e no final da fibra.

A atenuação pode ser definida como a diminuição da intensidade de energia de um sinal ao se propagar através de um meio. Ela está diretamente associada às perdas que ocorrem na transmissão do feixe de luz, afetando o alcance máximo da transmissão do sinal luminoso. Nas fibras ópticas, a atenuação varia de acordo com o comprimento de onda da luz utilizada. Essa atenuação é a soma de várias perdas ligadas ao material que é empregado na fabricação da fibra e à estrutura do guia de onda. A atenuação experimentada pelos sinais luminosos propagados através de uma fibra óptica é uma característica fundamental para a determinação da distância máxima entre um transmissor e um receptor óptico.

As perdas de transmissão são avaliadas pelo valor da atenuação que o link oferece entre a potência de saída do sinal em relação à potência de entrada. Dessa forma, a atenuação de uma fibra óptica costuma ser definida em termos da relaç...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica