Publicado em 07 Sep 2021

As proteções da mão dianteira em motosserras manuais portáteis

Redação

A colheita da madeira no campo tem grande influência na realização das operações subsequentes e engloba as etapas de derrubada, desgalhamento e traçamento da árvore. No Brasil, um dos métodos mais difundido é a utilização de motosserras, para a colheita florestal. Porém, atualmente, o uso da motosserra não é restrito somente às essas operações, sendo também utilizada na operação de desdobro, que é a transformação das toras em peças serradas. Com o uso de motosserras para operações de desdobro no próprio campo, os pequenos produtores eliminam o transporte de toras, viabilizando trabalho em pequenos volumes de árvores e o transporte da madeira serrada pode ser feito por tração animal, minimizando os impactos ambientais. Além disso, a utilização da motosserra pode contribuir substancialmente para inserir o pequeno produtor na cadeia produtiva florestal, agregando valor econômico e ambiental a sua propriedade, contribuindo para geração de empregos e aumento de renda. O desdobro com motosserra tem alguns inconvenientes, por exemplo, baixo rendimento, qualidade e produtividade, quando comparado com as técnicas de desdobro em serrarias fixas. Entretanto, tem baixo custo de aquisição e manutenção. Para o desdobro com motosserra, torna-se imprescindível ao proprietário obter informações que contribuam para a escolha da melhor alternativa de desdobro, identificando os pontos críticos e mostrando se seu desempenho é rentável. Para tal, a estimativa do custo de produção é uma ferramenta importante da análise econômica, e que vem se tornando um instrumento indispensável para auxiliar na análise da eficiência e viabilidade de processos produtivos. Os operadores devem entender as dimensões e os espaços livres para proteções da mão dianteira e suas aberturas em motosserras manuais portáteis.

Da Redação – 

O corte florestal é a primeira etapa da colheita de madeira e tem grande influência na realização das operações subsequentes. As etapas do corte florestal são: derrubada, desgalhamento, traçamento e empilhamento. O método de corte mais difundido no Brasil ainda é o semimecanizado, utilizando motosserras, apesar da crescente utilização de diferentes máquinas no setor.

O surgimento e a evolução das motosserras livrou o trabalhador florestal de uma atividade rudimentar (corte com machado ou serra manual) e foi o primeiro passo para a aplicação gradual de máquinas na colheita de madeira. Entretanto, o corte florestal com motosserra ainda é uma atividade perigosa e de elevada exigência física, merecendo, portanto, estudos no sentido de melhorar as condições de segurança, conforto e bem-estar do trabalhador.

Ideais para a poda ou corte de árvores e até mesmo no processamento de madeiras, as motosserras exigem alguns cuidados básicos quanto aos requisitos de segurança para o seu correto uso. Considerada uma ferramenta essencial na poda e corte de árvores e também no processamento de madeiras, a motosserra é ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica