Publicado em 21 Sep 2021

A gestão das boas práticas de combate à degradação da terra e desertificação

Redação

A urbanização, o desenvolvimento da infraestrutura (por exemplo, rodovias), a substituição da vegetação por superfícies impermeáveis e edifícios rígidos e contínuos e o desenvolvimento agrícola afetam o funcionamento dos ecossistemas e a resiliência de degradação da terra. A agricultura ocupa a maior área do que qualquer outro uso da terra e tem causado graus de degradação variados em muitas regiões do mundo. A troca do uso da terra por ecossistemas de floresta, savana ou pradaria naturais afetou a integridade e o funcionamento de ecossistemas. A agricultura trouxe a remoção da vegetação, o cultivo do solo, a queimada, a introdução de novas espécies vegetais e animais e o uso excessivo de agrotóxicos aos ecossistemas. Em regiões áridas e semiáridas, os fatores naturais muitas vezes tornam as regiões vulneráveis à degradação, quando as atividades humanas perturbam o equilíbrio natural dos ecossistemas. Em regiões com maior produtividade, os sistemas de cultivo focados no desenvolvimento de variedades de culturas com alto rendimento, cultivo intensivo e uso de pesticidas e herbicidas químicos causaram problemas, incluindo: a perturbação excessiva pela lavoura mecânica; a queda dos estoques de carbono do solo; a degradação da qualidade biológica do solo e das populações microbianas do solo; a redução do armazenamento de umidade do solo; o uso excessivo de fertilizantes minerais; a infiltração pobre de água e aumento do escoamento; a compactação e os sistemas radiculares mal desenvolvidos; e a diminuição dos níveis de nutrientes. Por isso, deve-se entender as diretrizes para o estabelecimento de boas práticas para o manejo da terra, para evitar ou minimizar a degradação da terra e a desertificação.

A degradação da terra é a forma de deterioração do potencial natural da terra que afeta a integridade do ecossistema, seja em termos de redução de sua produtividade ecológica sustentável ou em termos de sua riqueza biológica nativa e manutenção da resiliência. A desertificação é o processo de degradação da terra em áreas áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultante de vários fatores, incluindo variações climáticas e atividades humanas. A terra é degradada quando não pode mais suportar o mesmo crescimento de plantação que sustentava no passado, e a mudança é permanente em uma escala temporal humana.

Dessa forma, a interação entre os fatores naturais e antropogênicos de degradação da terra é complexa, envolvendo os fatores biofísicos, sociais e econômicos. As pessoas mais pobres, para as quais a produção de alimentos costuma ser uma necessidade imediata, tendem a cultivar em terras mais íngremes e com solos mais rasos, menos férteis e com menor pluviosidade. Estes ambientes frágeis são mais suscetíveis à degradação da terra, e é provável que os pobres tenham menos capacidade de adotar práticas de manejo sustentável da ter...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica