Publicado em 29 Dec 2020

A conformidade dos sistemas de blindagem balística

Redação

A blindagem balística é um dos métodos criados com o objetivo de proporcionar segurança na proteção de equipamentos e pessoas. Trata-se do processo de reforço, que se utiliza de tecnologia para aprimorar o desempenho de determinados itens. Atualmente, ela se expandiu para diferentes segmentos, incluindo itens como os óculos, luvas, vidros, fios elétricos, peças automobilísticas e, além, é claro, de veículos civis e militares. Dessa forma, conhecer qual o nível de blindagem balística é o mais adequado para cada situação, é fundamental para eficiência na proteção de pessoas e veículos. No Brasil são quatro os níveis de proteção: I, II-A, II e E III-A, sendo que cada um desses níveis implica em um valor e também um peso, variando para mais ou para menos: o menor custa menos e pesa menos e o maior, custa mais e pesa mais. Esses níveis de proteção foram estabelecidos de acordo com normas e regras internacionais, estão especificados em tabela onde é possível saber exatamente o grau de resistência de cada um e a aplicação para qual cada um deles se destina. São dois os tipos de componentes de blindagem balística, sendo eles a opaca (itens metálicos e compostos balísticos) e transparente como os vidros, ambos de fundamental relevância, no entanto o segundo implica em uma área mais vulnerável e por isso exige uma atenção toda especial. Deve-se entender a terminologia aplicável aos sistemas de blindagem balística, materiais, compósitos (construções), componentes e produtos resistentes a impactos balísticos, incluindo armas, munições e ensaios, além da classificação, os requisitos e os métodos de ensaio para os materiais planos opacos e/ou transparentes, destinados a oferecer proteção balística.

A utilização de blindagem é de extrema importância no atual cenário de guerra moderno, assim como no cenário de guerrilha urbana. Compreender o nível de proteção balística em diferentes cenários (projéteis, estilhaços, armas brancas, etc.) é uma necessidade para garantir a segurança das forças militares e policiais. Deste modo, o desenvolvimento de metodologias de avaliação do comportamento mecânico de blindagens são ferramentas para permitir selecionar as proteções balísticas mais adequadas ao cenário de guerra da missão em causa.

A possibilidade de reproduzir diferentes situações de tiro real em condições laboratoriais controladas, onde seja possível variar a energia de impacto ou a forma como o projétil colide com a blindagem, associada à monitorização das principais variáveis físicas da interação entre o projétil e a blindagem, é de importância fundamental para a compreensão do mecanismo de dissipação da energia de impacto. Procura-se igualmente criar condições para a realização de ensaios balísticos em diferentes acessórios de proteção, como os coletes balísticos, capacetes, escudos antitumulto, etc.

Igualmente, é fundamental conhecer um...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica