Publicado em 19 Oct 2021

Gestão em saúde: contra as hepatites virais, diagnóstico preciso e vacina

Redação

Dados publicados pelo Ministério da Saúde (MS) indicam que as hepatites virais causam aproximadamente 1,4 milhões de mortes no mundo todos os anos, seja por infecção aguda, câncer hepático ou cirrose. Ainda segundo o MS, a taxa de mortalidade da hepatite C chega a ser comparada ao HIV e tuberculose. Por isso é tão importante o diagnóstico rápido e preciso do tipo de vírus. Diante da variedade de sintomas e formas de transmissão da doença, ele é essencial para a assertividade da decisão clínica e início do tratamento.

Luciana Rodrigues Pires de Campos – 

Causadas por diferentes tipos de vírus, as hepatites têm formas distintas de transmissão e manifestação. Os avanços da medicina mapearam até o momento cinco tipos de vírus que provocam as hepatites: A, B, C, D e E. Somados superam mais de 673.000 casos registrados no Brasil, entre os 1999 e 2019, de acordo com o Boletim Epidemiológico 2020 apresentado pelo Ministério da Saúde.

Segundo o relatório, destes, 168.036 (25%) são casos de hepatite A e 247.890 (36,8%) de hepatite B. Os casos de hepatite C somam 253.307 (37,6%) e e 4.156 (0,6%) de hepatite D. Ainda, de acordo com o boletim, nos últimos dez anos, a região Nordeste foi a que concentrou mais casos de infecções do vírus A (30,1%).

Na região Sudeste os principais casos registrados foram de hepatites B e C, com 34,5% e 59,3%, respectivamente. A hepatite D apresenta uma maior prevalência na região Norte, com 74% dos casos do país. 

Preocupantes, os índices apontam para a importância de se prevenir contra a doença. Assim, deve-se atentar para dois fatores fundamentais: diagnóstico precoce para avaliação da adoção do t...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica