Publicado em 30 Nov 2021

Os procedimentos para a realização do exame de urina no laboratório clínico

Redação

Um exame de urina (elementos anormais do sedimento - EAS) em um laboratório clínico compreende um grupo de testes físicos, químicos e microscópicos, que visam detectar e/ou medir as várias substâncias na urina, como subprodutos do metabolismo normal e anormal, células, fragmentos celulares e bactérias. A urina é produzida pelos rins, dois órgãos do tamanho de um punho localizados em cada lado da coluna, na parte inferior da caixa torácica. Eles filtram os resíduos do sangue, ajudam a regular a quantidade de água no corpo e conservam as proteínas, os eletrólitos e outros compostos que o corpo pode reutilizar. Tudo o que não é necessário é eliminado na urina, indo dos rins, através dos ureteres, para a bexiga e, em seguida, através da uretra, para fora do corpo. A urina é geralmente amarela e relativamente clara, mas cada vez que uma pessoa urina, a cor, a quantidade, a concentração e o conteúdo da urina serão ligeiramente diferentes por causa da variação dos constituintes. Muitos distúrbios podem ser detectados em seus estágios iniciais, identificando as substâncias que normalmente não estão presentes na urina e/ou medindo níveis anormais de certas substâncias. Alguns exemplos incluem glicose, proteína, bilirrubina, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, cristais e bactérias. Eles podem estar presentes porque há um nível elevado da substância no sangue e o corpo responde tentando eliminar o excesso na urina; a doença renal está presente; há uma infecção do trato urinário presente, como no caso de bactérias e glóbulos brancos. Dessa forma, uma análise de urina completa consiste em três fases distintas de teste: exame visual que avalia a cor e clareza da urina; exame químico que testa quimicamente cerca de nove substâncias que fornecem informações valiosas sobre saúde e doença e determina a concentração da urina; e um exame microscópico para identificar e contar o tipo de células, cilindros, cristais e outros componentes, como bactérias e muco, que podem estar presentes na urina. Um exame microscópico é normalmente realizado quando há um achado anormal no exame visual ou químico, ou se um profissional de saúde o solicitar especificamente. Achados anormais em uma urina podem levar à repetição do teste para ver se os resultados ainda estão anormais e/ou podem ser seguidos por exames adicionais, como por exemplo no sangue, para ajudar a estabelecer um diagnóstico. Os profissionais responsáveis pela análise devem entender os critérios e os requisitos para a realização do EAS no laboratório clínico, para que os profissionais estabeleçam e apliquem as diretrizes padronizadas na execução do processo.

Da Redação – 

Para a realização do EAS, de 30 a 60 ml de urina são coletados em um recipiente limpo, sendo que uma amostra é suficiente para os resultados precisos. A urina para um exame de urina pode ser coletada a qualquer momento. Em alguns casos, uma amostra da primeira manhã pode ser solicitada por ser mais concentrada e com maior probabilidade de detectar anormalidades.

Às vezes, pode ser solicitado a coletar uma amostra de urina limpa. Para isso, é importante limpar a área genital antes de coletar a urina. Bactérias e células da pele ao redor podem contaminar a amostra e interferir na interpretação dos resultados do teste.

Nas mulheres, o sangue menstrual e as secreções vaginais também podem ser fontes de contaminação. As mulheres devem abrir os lábios vaginais e limpar de frente para trás e os homens devem limpar a ponta do pênis. Comece a urinar, deixe cair um pouco de urina no vaso sanitário e, em seguida, reúna a quantidade de urina no recipiente fornecido e esvazie o restante no vaso sanitário.

Uma amostra de urina só será útil para um exame de urina se for levada ao consultório ou laboratório do ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica