Boxes de banheiro podem estourar?

Não é comum acontecer o estouro do box do banheiro, mas pode acontecer. O problema pode estar na fabricação do vidro, no armazenamento (das processadoras ou vidraçarias) ou, ainda, na instalação da peça na casa. Um exemplo é quando há fendas ou bolhas no vidro, imperfeições que, dependendo do tamanho e da localização, podem contribuir para a quebra espontânea.

box2Um problema relacionado com os boxes de banheiros é o armazenamento ou os detalhes como manter um vidro diretamente apoiado no outro, ou deixá-lo encostado na parede, o que pode favorecer que eles se desfaçam repentinamente. O que acontece é que, às vezes, por motivos como esses os vidros acabam sofrendo impactos que, na hora, podem não resultar na quebra, mas a energia do movimento fica acumulada internamente na peça, a desequilibrando e resultando em uma quebra posterior (e sem motivo aparente naquele momento).

Mais uma causa comum para a quebra espontânea, especialmente no caso de vidros temperados, é a variação de temperatura. É por isso que muitas vezes o acidente acontece na hora do banho, porque é quando o ambiente está aquecido. O que ocorre é que o vidro também pode sofrer choque térmico (comum, por exemplo, quando o banheiro está frio e o chuveiro é ligado bem quente), tensionando as superfícies.

Deve-se acrescentar que qualquer box precisa de manutenção, pois os especialistas em vidros recomendam que, pelo menos a cada 12 meses, um profissional da vidraçaria seja contatado para verificar as condições do material. Quando você for escolher o box para o seu banheiro, vai ver que existem tipos diferentes de vidro para essa finalidade: temperado, laminado e com película. Esses são os modelos permitidos pelos órgãos reguladores. A diferença entre um e outro está no processo de fabricação.

No caso do vidro temperado, a peça é exposta ao aquecimento e, em seguida, ao resfriamento rápido, o que garante um material até cinco vezes mais forte que os demais. Com isso, ao quebrar, os fragmentos são pedaços pequenos e sem pontas.

Já o vidro laminado é formado por diversas lâminas interligadas. O diferencial dele é que, em caso de quebra, os cacos ficam todos presos na superfície do meio, evitando o contato com as pessoas.

Esse efeito é parecido com o que os vidros laminados fabricados com película de segurança propõem. Ao quebrar, os cacos também ficam presos à estrutura (embora temporariamente, por cerca de duas horas). Um cuidado é que a aplicação da película deve ocorrer antes da instalação do vidro.

Além dos cuidados na compra e na escolha do vidro do box, uma dica muito importante é sempre fiscalizar o banho do seu filho. Crianças pequenas precisam de acompanhamento constante de um adulto responsável, e isso não é diferente na hora do banho (mesmo que o filhote já saiba se limpar sozinho).

E, também, mantenha a porta do banheiro destrancada (e oriente o seu filho a fazer o mesmo, especialmente na hora do banho). Essa medida é importante para poder oferecer ajuda imediatamente em caso de necessidade.

A NBR 14207 de 01/2009 – Boxes de banheiro fabricados com vidros de segurança especifica os requisitos mínimos, em termos de segurança, para os materiais utilizados no projeto e na instalação de boxes de banheiro fabricados a partir de painéis de vidro de segurança para uso em apartamentos, casas, hotéis e outras residências. Dentro do escopo desta norma estão incluídos os boxes com sistemas de portas de correr e de portas de abrir.

Deve-se evitar o contato entre o vidro e outros materiais que possam danificá-lo, colocando-se entre eles materiais intercalados que protejam sua superfície. Todo furo e recorte feito no vidro deve ter uma proteção (calço, bucha, etc.) feita com materiais não higroscópicos e imputrescíveis, que evite o contato das bordas das chapas de vidro entre si, com alvenaria ou peças metálicas. Todas as peças de vidro devem ser do mesmo tipo (ou laminado ou temperado). Devem estar de acordo com o indicado na tabela abaixo.

box3

Os requisitos de desempenho estabelecem critérios de aceitação para o boxe de banheiro, quando ele é submetido às condições severas de ensaio, visando desta forma garantir a durabilidade e a segurança na utilização do produto. Deve ser fornecido um boxe de banheiro completo e instalado para os ensaios que devem ser executados conforme o exposto na Seção 5. A avaliação final deve ser feita conforme a Seção 6.

Todos os acessórios e ferragens utilizados na fabricação de boxes de banheiro devem ser fabricados com materiais resistentes às forças mecânicas e à corrosão em ambientes úmidos. Devem ser submetidos ao ensaio de névoa salina, descrito em 5.1, as roldanas, dobradiças, parafusos e rebites utilizados nas instalações de boxes para ensaio. Após submetidos à névoa salina, os corpos-de-prova devem conservar suas características originais.

Não podem apresentar oxidação vermelha ou qualquer outra característica que denuncie alteração em sua funcionalidade. A avaliação deve ser feita visualmente. As partes móveis (conjunto da porta compreendido pelo vidro, dobradiças ou roldanas) devem atender às seguintes condições: os esforços aceitáveis são de no máximo 50 N no fechamento e na abertura; o vidro não pode se soltar ou quebrar durante o ensaio de ciclo.

O deslocamento vertical, quando ensaiado conforme 5.4, não pode exceder 8,8 mm. O conjunto deve ser reprovado se o vidro encostar no chão, mesmo que o deslocamento seja inferior a 8,8 mm. A película de segurança deve ser instalada do lado externo do boxe.

A instalação da película de segurança deve garantir o ancoramento do sistema da película de segurança/vidro temperado quebrado. Para isso a película deve ser instalada sob as peças responsáveis pela sustentação da peça de vidro. No caso da porta de correr, a película de segurança deve ser instalada sob as roldanas e, no caso da porta de abrir, a película de segurança deve ser instalada sob a dobradiça.

A película de segurança deve estar instalada até um limite máximo de 5 mm da extremidade do vidro. A instalação da película de segurança deve ser feita por profissionais devidamente treinados, seguindo os procedimentos de instalação e produtos de aplicação recomendados pelo fabricante da película de segurança. Após a instalação da película de segurança sobre o vidro, conforme orientação do fabricante da película de segurança é necessário aguardar um período mínimo de 2 h para a instalação do sistema de sustentação da peça de vidro.

Para o desenvolvimento correto dos ensaios, os passos abaixo devem ser cumpridos na seguinte ordem: ensaiar quimicamente as roldanas ou dobradiças do boxe e realizar o ensaio conforme 5.1; se reprovado nos requisitos estabelecidos em 4. 7.1 .1, encerrar os ensaios; montar o boxe com os componentes ensaiados quimicamente; realizar o ensaio de ciclo conforme 5.3; se reprovado nos requisitos estabelecidos em 4.7.1.2, encerrar os ensaios; realizar ensaio de resistência à deformação no boxe de canto conforme 5.4; se o boxe de canto for reprovado nos requisitos estabelecidos em 4.7.2, encerrar os ensaios; realizar o ensaio de impacto conforme 5.5; se reprovado nos requisitos estabelecidos em 4.7.3, encerrar os ensaios; no caso de vidro temperado com película de segurança, deve ser realizado o ensaio descrito em 5.6.

O vidro deve ter o nome ou logomarca de seu fabricante, e o boxe deve ter a identificação da empresa responsável pela instalação. Os fabricantes de boxes de banheiro devem fornecer informação em relação ao uso, manutenção e aos cuidados com o boxe, com folheto de instruções.

Essas informações devem incluir o seguinte: um sistema de identificação do modelo ou tipo de boxe; os seguintes avisos: se o vidro for lascado, deve ser substituído, pois incorre em risco de quebra; deve ser feita uma manutenção periódica, no mínimo anual, em todos itens do boxe, para verificar se eles estão em perfeitas condições de funcionamento; não bater no vidro com objetos duros ou pontiagudos; para limpeza do boxe, utilizar somente pano úmido com detergente neutro ou sabão neutro, secando-o a seguir; em caso de mau funcionamento do boxe ou quebra de algum componente, interromper o uso, pois pode incorrer na quebra do vidro e solicitar imediatamente a manutenção; em caso de o vidro da porta encostar no chão no movimento de abrir e fechar, deve-se isolar imediatamente o boxe e chamar um técnico responsável pela manutenção do produto; toda manutenção deve ser solicitada pelo cliente final e executada por pessoa qualificada.

O projeto de instalação do boxe de banheiro é essencial para o seu bom funcionamento e longevidade. O Anexo A aborda os principais pontos a serem considerados. O instalador, por sua vez, para instalar o boxe de banheiro corretamente, deve ter um conhecimento específico básico, que é abordado no Anexo B.

Recomenda-se fornecer certificado de garantia do boxe. No caso de boxe com vidro temperado com película de segurança, recomenda-se fornecer também um certificado de garantia da película de segurança, com o código dela instalada, assim como o seu número de lote para garantir a rastreabilidade do produto, no caso de uma eventual necessidade.

Enfim, o boxe de banheiro deve ser projetado e instalado levando em consideração o tipo de estrutura e a resistência da parede ou alvenaria, com atenção especial ao prumo e ao nível do conjunto. Também deve ser dada atenção à posição das peças sanitárias e detalhes de rebaixas, bem como às instalações embutidas, para evitar ocorrência de problemas na instalação, visando atender às necessidades de segurança do usuário na utilização do boxe de banheiro.

Nos boxes com porta de abrir somente para dentro, um dos vidros deve ser de fácil remoção. Os fabricantes devem orientar, no manual do boxe, como proceder para remover essa parte em caso de acidente. Para evitar a passagem de água de dentro para fora do conjunto, os vidros fixos devem ser vedados com silicone e/ou borracha de vedação ou qualquer outro material a ser desenvolvido que impeça a passagem de água.

Os espaços entre os alumínios e a alvenaria devem ser vedados com silicone ou qualquer outro material impermeabilizante. O boxe montado deve ter dreno que dê vazão à água acumulada dentro da guia inferior, voltado para a parte de dentro do boxe. Quando o chuveiro estiver localizado em posição perpendicular ou contrária à posição da porta do boxe, o transpasse mínimo exigido é de 50 mm. Se o transpasse for menor, recomenda-se a instalação de perfil de vedação.

Hayrton Rodrigues do Prado Filho

hayrton@hayrtonprado.jor.br



Categorias:Editorial, Normalização

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: