Uma abordagem com as oito disciplinas

A execução de ações corretivas usando o modelo 8 D.

progress2Frazier Pruitt

Nada provoca ansiedade para uma equipe como a liberação de uma Ação Preventiva do Sistema de Ação Corretiva (corrective and preventive action – CAPA) e acompanhamento do modelo das oito disciplinas (8 D). As questões de valor são imediatas e consistentes. A fase de negação é inevitável, mas a equipe pode acelerar o progresso da formação, tempestade, normalização e emergir com a execução de uma estratégia.

Tranquilize sua equipe que será fácil fazer o 8 D – tudo o que precisa ser feito é ajustar a rotina de solução de problemas nas oito disciplinas. Isso é apenas formatar o quadro de referência para organizar ideias e lembrar passos importantes.

Siga esta explicação passo a passo do 8 D para tranquilizar sua equipe e obter resultados:

D0: planejar – Descreva o problema original que geralmente é uma reclamação do cliente. Avalie o tempo, as pessoas e outros recursos necessários para resolver e corrigir o problema.

D1: trabalho em equipe – Não faça isso sozinho – os resultados do projeto serão melhores se você formar uma equipe. Escolha os membros com vários conjuntos de habilidades que vêm de diferentes áreas da empresa. Como todas as abordagens de solução de problemas, o trabalho em equipe torna as soluções mais específicas e robustas, resolvendo assim o problema de uma perspectiva humana, financeira e técnica.

D2: defina e descreva o problema – Definir o problema foca seu escopo. Às vezes, as declarações originais do problema são ambíguas ou até inapropriadas. Corrija isso usando o conhecimento específico de sua equipe para esclarecer e determinar o problema real. Escrever uma boa definição do problema vale a pena. Entender o projeto reduzirá o alcance indesejado e manterá a equipe na tarefa.

D3: desenvolver e executar um plano de contenção provisório – Proteja seus clientes de quaisquer efeitos adicionais, estabelecendo uma solução temporária para conter o problema.

D4: determine, identifique e verifique as causas raiz – Este é um passo crítico. Tenha cuidado com pessoas que vêm com causas ou, pior, com soluções. A chave é encontrar as causas básicas usando ferramentas de qualidade, como três aspectos de cinco, por quê? Ou um mapa de causa. As ferramentas organizam os dados e facilitam a troca de conhecimento. Além disso, você pode encontrar um defeito fundamental ou capturar um detalhe que de outra forma só poderia ter dado uma olhada.

D5: escolha e verifique as correções permanentes – Este é o passo em que as pessoas tentam iniciar o processo 8D. Resista à mentalidade não fique aí, faça algo. Guarde seus julgamentos e ações até que as etapas D0 a D4 estejam completas. A solução deve ser permanente, sistêmica e abordar a causa raiz. A equipe deve entender o problema e as causas básicas antes de poder fazer isso.

D6: implementar e validar ações corretivas – Não apenas verifique se as ações foram concluídas – valide-as também. Ocasionalmente, as ações corretivas são levadas pelo vento, mas é muito melhor verificar se a ação causa uma melhoria. Medir a melhoria irá verificar não apenas a execução, mas também a eficiência. Evite especular, use evidências objetivas como gráficos de variação, alcance uma meta por três meses seguidos ou use um teste T para testes estatísticos.

D7: tome medidas preventivas – Impedir que o problema aconteça no futuro. Isso, justificadamente, é a parte difícil da metodologia 8D. Procure por falhas sistêmicas e olhe além dos problemas atuais. Corrija o problema em potencial para diferentes linhas de produtos ou departamentos.

D8: Parabenize sua equipe. Reconheça os membros da equipe mostrando seu agradecimento a eles e suas contribuições. Se isso é um desafio, organize um reconhecimento de almoço/jantar para a equipe, mas algo mais significativo é melhor. Não subestime o reconhecimento: pode ser a parte mais importante da criação da aceitação do modelo 8 D e do sistema CAPA.

Frazier Pruitt é engenheiro e supervisor de controle de qualidade na Southco Inc. na área de Rochester, Nova York. Ele se formou em engenharia mecânica e elétrica pelo Rochester Institute of Technology. Pruitt é um candidato a um MBA na Kelley School of Business na Indiana University em Bloomington, e na Alliance Manchester Business School no Reino Unido. Como membro sênior da ASQ, Pruitt é engenheiro de qualidade e six sigma black belt certificado pela ASQ.

Fonte: Quality Progress/2019 May

As oito disciplinas (8 D)

progress3

  1. Equipe de abordagem

Estabelecer um pequeno grupo de pessoas com o conhecimento, tempo, autoridade e competência para resolver o problema e implementar ações corretivas. O grupo deverá selecionar um líder de equipe.

  1. Descrever o problema

Descrever o problema em termos mensuráveis. Especifique o problema do cliente interno ou externo e descrevê-lo em termos específicos.

  1. Implementar e verificar a curto prazo as ações corretivas

Definir e implementar as ações intermediárias que vai proteger o cliente do problema até que a ação corretiva permanente é implementada. Verifique com os dados da eficácia dessas ações.

  1. Definir e verificar as causas

Identificar todas as causas potenciais que poderiam explicar o porquê ocorreu o problema. Teste cada causa potencial contra a descrição do problema e dos dados. Identificar alternativas de ações corretivas para eliminar a causa raiz.

  1. Verifique as ações corretivas

Confirmar que as ações corretivas selecionadas resolvem o problema para o cliente e não irão causar efeitos colaterais indesejáveis. Definir outras ações, se necessário, com base na gravidade potencial do problema.

  1. Implementar as ações corretivas

Definir e implementar as ações corretivas necessárias permanentes. Escolha os controles para garantir que a causa seja eliminada. Acompanhar os efeitos a longo prazo e implementar controles adicionais, se necessário.

  1. Prevenir a recorrência

Modificar as especificações, o treinamento de atualização, o fluxo de trabalho de revisão, melhorar as práticas e procedimentos para prevenir a recorrência deste e de todos os problemas semelhantes.

  1. Felicitar a equipe

Reconhecer os esforços coletivos da equipe. Divulgue sua realização. Compartilhe o seu conhecimento e aprendizado.



Categorias:Qualidade

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. Eu sempre utilizo o termo “obstáculo” ao invés do termo “problema”, pois obstáculo, mentalmente, nos leva a uma ação para retirá-lo. Diferentemente de problema, que nos remete a dificuldades. Parabéns pelo artigo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: