Publicado em 29 Oct 2019

Os perigos dos cabos de aço fora dos requisitos normativos

Redação

Os cabos de aço são feitos de arames que são obtidos por um processo de esticamento ou trefilação e produto siderúrgico inicial é o fio máquina que é produzido por laminação a quente de um lingote de aço na qualidade e peso escolhido pelo fabricante. Os teores de carbono variam e cada fabricante escolhe de seu jeito, mas se situa entre 0,60% a 0,80%. O teor de manganês gira ao redor de 0,60% e o de fósforo e enxofre juntos não devem exceder 0,03 para se ter um arame maleável. A carga de ruptura mínima agregada calculada da alma é o valor da carga de ruptura mínima agregada obtida por meio do cálculo da área da seção transversal (baseado no diâmetro nominal do arame) e na categoria de resistência à tração de cada arame na alma, conforme fornecido no projeto do cabo do fabricante.

editorial2O cabo de aço, na forma como é conhecido hoje, surgiu há 150 anos na Alemanha, sendo um cabo 3×4, ou seja, três pernas sem alma, denominado atualmente como compacto e quatro arames de 3,50 mm em cada perna. Era torcido lang, ou seja, os arames para o mesmo lado da perna. Era torcido à mão, em lances de 17 a 38 metros e foi usado como substituto para os cabos de cânhamo e correntes, principalmente no setor da mineração.

Atualmente, os produtos são fabricados com arames de aço provenientes de fornos elétricos, sendo que o teor de carbono não é escolhido pelo comprador do cabo, mas sim pelo fabricante que, de acordo com suas instalações escolherá o mais apropriado. Outros componentes são o manganês, silício, fósforo, enxofre e em raros casos cobre como proteção adicional contra corrosão. Em caso de cabos de aço inoxidável as ligas mais usadas são as AISI 304 e 316.



Os arames normalmente são redondos e os diâmetros dos mesmos variam de 0,10 mm a 4,0 mm. São ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica