Publicado em 12 Jan 2021

As empresas estão adotando a manufatura digital direta em seus processos

Redação

A manufatura digital é o processo de utilizar diretamente CAD ou outros dados para alimentar uma máquina de manufatura aditiva, por exemplo, uma impressora 3D, para fabricar peças finais e utilizáveis. Ou seja, componentes de produtos vendáveis, peças de máquinas de produção, peças de substituição ou ferramental de manufatura, como gabaritos e fixadores, por exemplo.

Anderson Soares – 

Nos últimos 20 anos, a tecnologia de manufatura aditiva migrou do uso em prototipagem rápida para uma solução completa de manufatura, chamada "manufatura digital direta" (ou manufatura rápida). As empresas estão empregando cada vez mais a manufatura digital em aplicações de manufatura e, a cada êxito, provam que se trata de uma alternativa viável.

Embora o conceito geral de manufatura aditiva seja o mesmo de quando foi introduzido há 20 anos, no caso da manufatura digital, a mudança está na pretensão de uso, ou seja, na produção efetiva e na funcionalidade, e não apenas na prototipagem. Com isso, mesmo que o conceito de manufatura digital direta já exista há algum tempo, para muitos ainda pode ser uma coisa nova e, às vezes, difícil de entender.

Para facilitar o entendimento, em linhas gerais, a manufatura aditiva é o nome genérico dado aos processos que criam uma peça, construindo-a em camadas, em oposição à fresagem ou usinagem, que são processos subtrativos. A manufatura aditiva foi desenvolvida como uma maneira de automatizar a criação de protótipos e, com isso, foi originalmente chamada de p...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica