Publicado em 30 Mar 2021

A Qualidade dos dispositivos anticoncepcionais intrauterinos de cobre

Redação

O dispositivo intrauterino de cobre (DIU) é bastante eficaz no controle da natalidade e possui ação por até 12 anos. Existe o DIU T Cu 380A onde o número se refere à área de superfície em mm² do íon exposto na superfície endometrial. Ele é constituído por polietileno coberto com cobre na haste vertical e horizontal a não há látex na sua composição. É um método eficaz, de longo prazo, reversível e que não depende de atitudes das usuárias para seu efetivo mecanismo de ação, além de possuir poucos efeitos adversos e excelente custo benefício. Em usuárias que fazem revisão médica periódica, as taxas de gravidez são inferiores a 1 em 100 mulheres/ano. mecanismo de ação do DIU de cobre ainda é desconhecido, sugerindo a presença de vários fatores5 (C). Admite-se que o cobre promova mudanças bioquímicas e morfológicas no endométrio e muco cervical (citocinas, como aumento das prostaglandinas endometriais). Com isso o DIU afetará adversamente a ascensão dos espermatozoides. O processo ovulatório não é inibido pelo DIU, mas o cobre na cavidade endometrial pode provocar danos aos oócitos ou óvulos femininos. Deve-se conhecer as orientações sobre projeto e condução de estudos clínicos para determinar as características de desempenho dos dispositivos intrauterinos, além de entender as recomendações sobre análise de dados quando o estudo é completado, assim como a interpretação desses resultados por fabricantes, pesquisadores e órgãos regulamentadores.

 

Da Redação – 

Resumidamente, pode-se dizer que o DIU de cobre é uma opção para mulheres que desejam contracepção reversível, independente do coito e de longo prazo. É indicação interessante, por exemplo, em lactantes e em mulheres com contraindicação ao uso de estrogênio (história de câncer de mama por exemplo). Mulheres jovens e adolescentes podem utilizar o DIU de cobre, desde que selecionadas cuidadosamente. Devem estar em relações monogâmicas e apresentarem baixo risco em adquirirem doenças sexualmente transmissíveis (DST). O DIU é mais efetivo que outros métodos nas adolescentes. Aconselhar, sempre, o uso de condom (masculino ou feminino).

As nulíparas (mulheres que não tiveram filhos) podem utilizar DIU de cobre. A paridade não é um fator determinante na escolha deste método, apesar da probabilidade um pouco maior de expulsão e dismenorreia. Não é aconselhável a inserção do DIU imediatamente após o parto. Há maior risco de perfuração uterina e expulsão.

Os médicos recomendam a inserção do DIU quatro ou seis semanas após o parto, quando ocorreu a involução uterina, apesar do risco de as pacientes não retornare...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica