QUALITY PROGRESS: Aptidão natural

As dicas para se tornar um engenheiro da qualidade em qualquer etapa de sua carreira.

Por Scott A. Laman –

quality engineers

Vivemos em uma época em que diferentes gerações e uma ampla gama de idades trabalham juntas. Isso causa percepções comuns entre as gerações, como as pessoas mais velhas são definidas em seus caminhos, não querem mudar e não entendem de tecnologia. As pessoas mais jovens não querem trabalhar duro e devem ser mimadas. As pessoas mais velhas são leais. As pessoas mais jovens são pensadores livres.

Obviamente, os estereótipos podem não ser verdadeiros para um grupo ou um indivíduo. Ao mesmo tempo, é importante entender quais os tipos de suposições podem ser feitos sobre você e seus associados com base em informações demográficas.

Como a engenharia da qualidade atravessa muitos dados demográficos, ela realmente pode ajudar a unificar gerações. Indivíduos e organizações se beneficiam enormemente das habilidades e contribuições dos engenheiros da qualidade (quality engineers – QE) – não importa a idade deles.

O que exatamente é a engenharia da qualidade? Não é apenas um campo profissional – os QE podem ser encontrados no projeto de produtos, fabricação, fiscalização no pós-venda, desenvolvimento de fornecedores e auditoria, por exemplo. Algumas disciplinas da engenharia da qualidade são mais técnicas e algumas são mais interpessoais, mas todas possuem vários níveis de liderança e gerenciamento.

Muitas pessoas não se formam no ensino médio ou na faculdade sabendo que querem ser QE, embora ocasionalmente alguém faça isso. Mais frequentemente, alguém decide se tornar um QE depois de ser exposto a muitas funções em uma organização.

Aqui estão alguns insights sobre como você pode fazer a transição para a engenharia de qualidade, não importa onde você esteja em sua carreira.

O fundamento da educação

A maioria dos QE que conheço tem formação acadêmica em ciências ou engenharia, mas os QE vêm de muitos históricos educacionais. Um dos melhores QE que conheço tem experiência em negócios e trabalhou na indústria de eletrodomésticos por muitos anos.

Minha formação é em engenharia química, que é fortemente relacionada ao processo, como qualidade. Ao longo da minha formação universitária, os cursos que frequentei discutiram entradas e saídas, causas e efeitos, e problemas e soluções.

Muitos QE também vêm de contextos de engenharia mecânica e outros de praticamente qualquer campo científico. Quanto à educação, os QE podem ser bem-sucedidos sem qualquer experiência universitária, subindo de nível em uma organização ou ganhando um doutorado depois de ingressarem no mercado de trabalho. Um candidato bem-sucedido pode vir de praticamente qualquer lugar.

Aptidão natural

Uma coisa que pode prever o sucesso na engenharia da qualidade é como alguém é conectado ou suas tendências e personalidades naturais. Nos primeiros dez anos da minha carreira, recebi excelente formação no trabalho que me deu uma sensação de pensamento de qualidade. Mas, apesar do crescente uso das ferramentas, eu desconhecia as carreiras no campo da qualidade. Senti que estava sendo puxado para a qualidade e, olhando para trás, era evidente que eu tinha a aptidão natural para me tornar um QE.

Os QE são tipicamente lógicos e sistemáticos, mas idealmente não à custa de habilidades interpessoais. Eles devem liderar e ter uma postura forte em conformidade e melhores práticas. Ao mesmo tempo, eles não podem apenas ver o preto e branco dos problemas – eles também devem ver os tons de cinza. Os melhores QE não apenas identificam problemas e riscos, mas também identificam soluções, alternativas e planos de contingência.

Os QE querem clareza com relação aos objetivos e como eles estão vinculados a metas de alto nível. Para facilitar a obtenção dessa clareza, eles se concentram em fatos e dados, usam ferramentas estatísticas e de qualidade e, muitas vezes, estão interessados em princípios de gerenciamento de projetos. A engenharia da qualidade geralmente é feita em uma estrutura, mas os QE não querem, de forma alguma, ser vistos como seguidores de regras rígidas e pessoas divertidas.

Embora as funções da engenharia de qualidade normalmente apoiem a fabricação, o desenvolvimento de produtos ou o gerenciamento de fornecedores, os QE também desejam demonstrar liderança e influência. Eles apreciam aprendizado e crescimento e gostam de participar de equipes.

Os QE devem ser flexíveis. Um dia, eles podem estar sentados em um escritório, investigando a análise estatística ou o planejamento de processos, e no dia seguinte podem estar organizando, liderando e documentando uma reunião de análise de causa raiz. Em tudo isso, os QE querem fazer o que é certo do ponto de vista técnico e ético.

Dicas para você

Quando vejo minha própria vida através das lentes da engenharia da qualidade, havia muitos sinais iniciais de que essa seria uma boa trajetória profissional – embora eu certamente não soubesse disso na época. Lembro-me de aprender matemática básica na terceira série.

Eu achei estranho ter terminado 100 problemas de matemática na metade do tempo que levavam os meus colegas, mas era mais estranho ver o professor dar notas no teste de todos os outros usando o meu como chave.

Então, um sentimento positivo sobre o trabalho com números é importante. Nem sempre, mas geralmente. Os números podem ser um amigo do QE – muitos QE têm o dom de ver tendências em dados, seja informalmente ou usando métodos estatísticos válidos.

A solução sistemática de problemas pode ser tão simples quanto perceber que você deve identificar um problema antes de resolvê-lo e determinar uma causa antes de uma solução. Eu notei muitas vezes no início da minha carreira que os problemas não foram resolvidos completamente ou que o problema errado foi resolvido e sempre foi óbvio o porquê.

A engenharia da qualidade nos permite ser proativos na solução de problemas, garantindo que o método seja sólido. Isso está relacionado à facilitação. Eu sempre gostei de reunir pessoas para atingir um objetivo. No entanto, a facilitação é mais do que isso. Porque documentar claramente as reuniões e o trabalho são necessários e as habilidades de comunicação são importantes.

Traduzindo isso para obter um trabalho

A aptidão natural é fácil de se falar a partir do seu próprio ponto de vista e aparece em entrevistas. Do ponto de vista das pessoas que decidem se você deve contratá-lo como QE, existe outra ferramenta básica que pode ser usada para identificar se a engenharia da qualidade é uma boa opção – perguntas de entrevista baseadas em comportamento.

Cada tipo de posição de QE tem seu próprio conjunto de prioridades em relação ao conhecimento necessário. As perguntas da entrevista devem refletir essas prioridades. Os tópicos para um QE que apoia o recursos humanos, por exemplo, incluem: pensamento de qualidade; projeto de experimentos; gestão de riscos; determinação do tamanho da amostra; desenvolvimento do método de ensaio; facilitação da equipe; e gestão de projetos.

Eu gosto de começar perguntando a um entrevistado sobre o pensamento sobre a qualidade e isso vale para qualquer tipo de QE. Se você sabe conscientemente, todo mundo tem algum tipo de filosofia de qualidade ou ideia do que significa qualidade para eles, mesmo que nunca tenham ouvido falar dos gurus da qualidade.

Depois de perguntar a um candidato sobre o pensamento da qualidade, fico preocupado quando ele ou ela desenha um vazio total, aparentemente nunca tendo considerado a qualidade em sua vida, apesar de estar sendo entrevistado para um trabalho de qualidade. Essa pode ser uma boa pergunta para distinguir pessoas que querem um emprego em engenharia da qualidade daqueles que querem apenas um emprego.

Os outros assuntos variam de técnico para interpessoal. Um ponto importante é estar pronto para responder a perguntas abertas. Um bom entrevistador presumirá que você tem as histórias por trás das especificações no seu currículo, então esteja pronto para expor e impressionar.

Se você não tem a experiência, seja honesto – é pior inventar  alguma coisa. Como entrevistador, tomo notas sobre as respostas dos potenciais candidatos e tento atribuir uma classificação em uma escala de 1 a 10. Depois, somar as avaliações para comparar os candidatos.

Aqui está um conselho para os entrevistados: tome nota das perguntas que lhe foram feitas. Isso ajudará você a determinar se realmente quer o emprego, porque lhe serão feitas perguntas diretamente relacionadas às suas responsabilidades.

Outro teste

Supondo que um candidato tenha mostrado uma aptidão natural para ser um QE e tenha se saído bem durante a entrevista, ele pode ser solicitado a fazer um teste final.

Quando comecei a trabalhar em uma organização de dispositivos médicos em 2005, o RH tinha uma política que exigia que os candidatos finais ao cargo realizassem um teste escrito. O teste foi o Caliper Profile, uma avaliação de personalidade precisa e com correspondência de trabalho que mede se um indivíduo tem as forças naturais, motivações e potencial geral para ter sucesso em um emprego específico.

Simplificando, o teste determina o ajuste entre um indivíduo e um trabalho. Em última análise, o resultado descreve o grau em que o candidato exibe as características típicas de uma pessoa nesse emprego.

Eu usei o teste por anos e descobri que funciona. Não podemos estereotipar as pessoas de forma alguma – cada estereótipo tem uma exceção. No entanto, em geral, os QE, que sei serem bem-sucedidos, têm certas características. Por outro lado, certas características levaram a uma falta de sucesso também. Deixe-me contar sobre um caso.

De acordo com as etapas de desenvolvimento da equipe, as equipes passam por vários treinamentos, de formação, tempestade de ideias, normalizando e performance. Quando uma nova pessoa é adicionada a uma equipe, ela perturba o status quo e novas normas devem ser encontradas, para que a equipe volte a entrar temporariamente na fase de tempestade de ideias.

Eu adicionei novos QE a um departamento estabelecido várias vezes. Na maioria das vezes, vai bem. O novo QE não precisa ser como todo mundo – a diversidade é uma ótima maneira de otimizar a criatividade e tornar o ambiente de trabalho mais interessante. Neste caso, contratei os resultados do teste da Caliper porque fiquei impressionado com as qualificações e certificações do candidato.

Depois que a pessoa não deu certo, notei algumas diferenças entre ele e o resto do meu departamento. Apesar de ser altamente educado, o novo funcionário fez mal na parte de raciocínio abstrato do teste, que é a única parte relacionada ao QI e à resolução de problemas.

Quanto às características pessoais, o novo funcionário não era particularmente social, parecia ter muita confiança (talvez pensando muito em si mesmo) e preferia gerar suas próprias ideias em vez de participar de uma equipe. Existem certos tipos de trabalhos em que todas essas características seriam ótimas, mas meu departamento apoia os projetos liderados por outros departamentos e isso requer um certo nível de habilidade social e humildade.

Depois que você é contratado

Depois que um bom candidato entra em cena, há outra ferramenta sistemática que pode ajudar a determinar se ele se encaixa bem: a pesquisa de interesse-conhecimento. Esta é uma ferramenta simples que faz com que as pessoas classifiquem seu conhecimento e interesse em determinadas áreas que são fundamentais para seu trabalho.

A tabela 1 é para a posição de um QE que apoia o desenvolvimento de novos produtos na indústria de dispositivos médicos. A escala de classificação é de 1 a 10, em que 10 indica mais conhecimento e interesse. O valor está na análise, pois ações muito diferentes são tomadas dependendo de várias combinações de interesse e conhecimento.

progress1

Se há parte do seu trabalho para o qual você tem pouco conhecimento e pouco interesse, tudo bem. Nenhum trabalho é perfeito. Se o assunto se enquadra nessa categoria, no entanto, você deve questionar se você fez o trabalho certo.

Um fornecedor de QE que não gosta de trabalhar com compras ou realizar auditorias, por exemplo, pode querer considerar um tipo diferente de engenharia da qualidade. O mesmo vale para um QE de manufatura que não gosta de interagir com as pessoas que fazem o produto.

Outra tática é questionar os itens da lista. Talvez alguns não façam sentido ou não sejam tão importantes. Muitas organizações permitem que as pessoas que ocupam o cargo participem da descrição do trabalho. Há tarefas que devem ser feitas por outra função, mas, porque ninguém fez a pergunta, é assim que sempre foi?

Tenha cuidado, no entanto. Ter baixo conhecimento e baixo interesse não parece uma posição de grande alavancagem.

Se você tem pouco interesse, mas alto conhecimento em uma área, seu conhecimento pode ajudá-lo a assumir um papel mais ativo no treinamento de um sucessor, seja de dentro de seu departamento ou de outro. Pode ser recompensador delegar trabalho a outra pessoa que também possa fazê-lo, mas aproveite mais.

Se há um assunto em que você está muito interessado, mas tem pouco conhecimento, esse é um assunto para o seu plano de desenvolvimento. Hoje, a maioria das organizações vê o treinamento e o desenvolvimento dos funcionários como essenciais para retenção e contribuições de longo prazo. O aprimoramento do conhecimento pode ser obtido por meio de treinamento formal em salas de aula, online ou no trabalho. Por exemplo, um dos meus funcionários que está interessado em habilidades gerenciais tem me dado cobertura quando estou fora do escritório, aprovando documentos e entrevistando funcionários.

A interseção entre alto interesse e alto conhecimento é onde grandes contribuições podem ser feitas. Enfrentar os pontos fracos certamente é importante, mas fortalecer ainda mais os pontos fortes também pode render dividendos. Um dos meus funcionários estava interessado e tinha conhecimento de técnicas estatísticas e levou-o para o próximo nível, ganhando o seu mestrado.

À medida que você cresce como QE, aplique seus pontos fortes primeiro em seu departamento, depois em toda a empresa e depois nas empresas da organização. Existem também muitas oportunidades para publicar e apresentar trabalhos fora da sua organização. Se você ama o que está fazendo e é bom nisso, faça o seu mundo o maior que puder.

Plano de carreira

A engenharia da qualidade pode fornecer uma carreira ao longo da vida se for apreciado pela sua organização. A tabela 2 é um exemplo de uma possível carreira de engenharia de qualidade. (A coluna anos de experiência contém estimativas aproximadas porque isso depende da organização e do indivíduo.)

progress2

Cada organização é diferente, mas há algum nível de padronização com relação aos títulos de associado, sênior, staff e principal. Se esses títulos não existem em sua organização, eles provavelmente correspondem a QE I, QE II e assim por diante.

Muitas organizações podem dizer como seu nível na hierarquia técnica corresponde a um equivalente de gerenciamento. Normalmente, se você tiver alguns níveis acima do nível de entrada e mostrar boa versatilidade e habilidades pessoais, terá a chance de conversar com seu gerente sobre se deseja avançar na hierarquia técnica ou gerencial.

Entrar em gestão não precisa ser uma decisão permanente. Muitas vezes, você pode começar gerenciando apenas uma pessoa – uma temporária, por exemplo – para ver se está certa para você.

Certificações ASQ

Caminhos de carreira também podem ser traduzidos em certificações ASQ. Na tabela 3, os mesmos cargos encontrados na tabela 2 são listados com exemplos das certificações que se ajustam aproximadamente a cada nível. Existem certificações para todos, sejam iniciantes ou experientes, e nunca é cedo demais ou tarde demais para se beneficiar da certificação. É tudo sobre como obter e demonstrar conhecimento que pode ser aplicado ao seu trabalho para aumentar seu valor e suas contribuições.

progress3

Quando você tem experiência suficiente, é uma boa ideia examinar outras certificações gerais além da ASQ, como profissional de gerenciamento de projetos ou certificações específicas do setor, como profissionais de assuntos regulatórios. Independentemente do seu nível em uma organização, há certas sequências de certificação que podem ser úteis porque o conhecimento de uma delas ajuda a absorver o conhecimento da próxima. As certificações da ASQ estão listadas na tabela 4.

progress4

Algumas certificações ASQ têm requisitos educacionais e de experiência, mas outras não. Um bom ponto de partida é o exame associado de melhoria da qualidade certificada. É uma boa introdução à qualidade geral e deixa a pessoa confortável com a atmosfera de teste. O exame de analista de processo de qualidade certificada é semelhante. Se você for mais técnico, comece com as certificações relacionadas ao técnico. Não há sequências necessárias e cada exame tem seus próprios requisitos.

Se você tem um diploma de engenharia ou ciência, ou uma boa quantidade de experiência, não há nada de errado em fazer o exame de engenharia da qualidade certificada diretamente. Essa é a certificação mais popular há muitos anos, mas lembre-se de que muitas pessoas não se preparam adequadamente e lutam com ela.

Ética

Existem algumas armadilhas éticas a serem consideradas na engenharia da qualidade. Em primeiro lugar, tenha cuidado ao postar ou interagir em todos os tipos de mídia social. Não há problema em ter opiniões, mas você não sabe como essa opinião será recebida por alguém que está pesquisando você para um trabalho em potencial.

Isso não quer dizer que você não deve postar suas opiniões – apenas esteja ciente do risco quando estiver comentando sobre questões conflitivas. Além de opiniões, linguagem vulgar e gramática fraca são ainda mais propensas a causar uma percepção negativa. Hoje, quase tudo é mais público e permanente do que as pessoas pensam.

Seja sempre ético e honesto. Tenho visto que os candidatos a QE apresentam certificações expiradas como certificações de curso atuais, como certificações ASQ, e preparação para o exame em andamento como realmente tendo a certificação.

O código de ética da ASQ diz: “A ASQ exige que seus representantes sejam honestos e transparentes. Evite conflitos de interesse e plágio. Não prejudique os outros. Trate-os com respeito, dignidade e justiça. Seja profissional e socialmente responsável. Avance o papel e a percepção do profissional de qualidade.”

É difícil ser inocente, sem sequer uma sugestão ou aparência de uma questão ética aos olhos do observador mais crítico. Ainda assim, é melhor tentar esse tipo de limpeza estridente porque isso trará dividendos na percepção de todos, o que é bom por muitas razões, incluindo sua carreira.

Ponto final

Os fatores que contribuem para uma transição bem-sucedida para a engenharia da qualidade incluem inclinação natural, certas habilidades, experiência e certificação ASQ. As habilidades das pessoas e uma personalidade ética sólida são essenciais.

Em última análise, as diferenças geracionais não parecem mais tão importantes. A engenharia da qualidade é para qualquer um em qualquer momento de sua carreira. Os QE podem abranger várias gerações no mesmo departamento. Como é frequentemente o caso de estereótipos geracionais ou outros estereótipos no local de trabalho, verificou-se que temos mais em comum através da natureza do nosso trabalho do que através de quaisquer categorias demográficas.

Scott A. Laman lidera o departamento de engenharia de qualidade e gestão de risco na Teleflex Inc. em Reading, PA. Ele possui mestrado em ciências em engenharia química pela Universidade de Syracuse, em Nova York. Ele é membro da ASQ e é engenheiro da qualidade com certificação ASQ, engenheiro de confiabilidade, gerente de qualidade/excelência organizacional, Six Sigma Black Belt, auditor de qualidade, auditor biomédico e profissional de qualidade de fornecedores.

Fonte: Quality Progress/2018 June

Tradução: Hayrton Rodrigues do Prado Filho



Categorias:Qualidade

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: