Os ensaios de conformidade dos prensa-cabos

Os prensa-cabos são definidos como os dispositivos mecânicos de entrada de cabos, usados em conjunto com cabos e fiação para sistemas elétricos, instrumentação e controle e sistemas de automação, incluindo iluminação, energia, dados e telecomunicações. As principais funções da prensa-cabos são atuar como um dispositivo de vedação e terminação para garantir a proteção dos equipamentos elétricos e gabinetes.

prensa-cabo2Da Redação –

Os prensa-cabos têm a função de fornecer a proteção ambiental vedando a bainha externa do cabo, excluindo poeira e umidade do gabinete elétrico ou do instrumento. No caso de cabos blindados, quando o prensa-cabo tem uma construção metálica, eles podem ser ensaiados para garantir que possam suportar uma corrente de falha de curto-circuito de pico apropriada.

Eles ajudam na força de retenção no cabo para garantir níveis adequados de resistência ao seu arrancamento. Também fornecem vedação adicional na parte do cabo que entra no gabinete, quando é necessário um alto grau de proteção contra entrada, além de vedação ambiental adicional no ponto de entrada do cabo, mantendo a classificação de proteção de entrada do gabinete com a seleção de acessórios aplicáveis dedicados a executar esta função.

Os prensa-cabos podem ser construídos com materiais metálicos ou não metálicos (ou uma combinação de ambos) que também podem ser resistentes à corrosão, conforme determinado pela seleção de um padrão ou por testes de resistência à corrosão. Quando usado em atmosferas explosivas em particular, é crucial que os prensa-cabos sejam aprovados para o tipo de cabo selecionado e que mantenham o nível de proteção do equipamento ao qual estão conectados.

Assim, os prensa-cabos são os acessório que desempenham um papel fundamental na proteção da instalação elétrica. Ele evita, por exemplo, o contato direto com água e poeira, além de evitar perdas de energia com anéis de vedação, conferindo resistência mecânica.

Além disso, é um ótimo aliado para a finalização do seu painel ou caixa de passagem, deixando a instalação com um visual mais organizado. É é composto por três partes: porca plana e cônica e o anel de vedação. Essa estrutura é importante pois permite a fixação dos cabos na entrada da caixa, sejam eles do tipo PP ou cabos singelos. É importante destacar que existem diferentes tamanhos, dando liberdade assim, para cada cliente escolher o ideal para seu projeto elétrico.

Para o uso do prensa-cabo, pode-se precisar de um serra copo para fazer o furo no painel ou na caixa de passagem. Depois disso, o processo é ainda mais simples e eficiente: desrosqueie o prensa-cabo, separando a tampa. Após, encaixe o cabo na tampa, para em seguida, conectá-lo com o resto do prensa-cabo. Feito isso, é preciso rosquear e, consequentemente, prensar o cabo.

A NBR IEC 62444 de 12/2015 – Prensa-cabos para instalações elétricas fornece os requisitos e os ensaios para a construção e o desempenho de prensa-cabos. Abrange os prensa-cabos como fornecidos pelo fabricante ou pelo fornecedor responsável pela colocação do produto no mercado. Não abrange os prensa-cabos destinados aos cabos com isolação mineral.

Abrange os prensa-cabos com roscas de entrada métricas, conforme a IEC 60423. Pode ser utilizada como guia para prensa-cabos com outros tipos de roscas de entrada. Alguns prensa-cabos também podem ser utilizados em atmosferas explosivas. É recomendado que sejam levados em consideração outros requisitos necessários para que o invólucro seja instalado em tais condições, por exemplo, como especificado na série NBR IEC 60079.

O prensa-cabo é um dispositivo projetado para permitir a entrada de um cabo, cabo flexível ou de um condutor isolado em um invólucro, e que assegura a vedação e a retenção. Ele também pode assegurar outras funções, como o aterramento, a ligação, a isolação, a proteção do cabo, a redução de esforços mecânicos ou uma combinação destes.

São indispensáveis para garantir o grau de proteção das caixas de conexões, tanto dos distribuidores de campo quanto dos sensores de proximidade. Devem ainda estar corretamente especificados e apropriados para o diâmetro dos cabos utilizados, a fim de promover o aperto adequado evitando que líquidos escorram pelos cabos e cheguem aos terminais de conexão.

O prensa-cabo deve ser marcado de modo legível e durável, em um local visível, com as seguintes informações: o nome, o logotipo ou marca registrada do fabricante ou do fornecedor; e identificação do produto. Se não for possível colocar a marcação diretamente no produto, então a marcação deve ser colocada na menor embalagem de fornecimento. A conformidade é verificada por inspeção. A marcação no produto que não for feita por prensagem, moldagem ou gravação é ensaiada de acordo com 7.2.

Quanto à durabilidade e legibilidade, o ensaio é feito friccionando a marcação manualmente por 15 s com um pedaço de pano de algodão embebido em água e novamente por 15 s com um pedaço de pano de algodão embebido em derivado de petróleo. Recomenda-se que o derivado de petróleo utilizado seja composto de hexano como solvente com um teor máximo de compostos aromáticos de 0,1 % em volume, um índice de kauri-butanol de aproximadamente 29, ponto de ebulição inicial de aproximadamente 65 °C, ponto de ausência de umidade de aproximadamente 69 °C e massa específica aproximada de 0,68 g/cm³.

Após este ensaio, a marcação deve ser legível à visão normal ou corrigida sem ampliação adicional. A marcação deve permanecer legível após todos os ensaios não destrutivos desta norma. Não pode ser possível remover as etiquetas facilmente e elas não podem apresentar ondulação ou enrolamento. A conformidade é verificada por inspeção.

As partes de um prensa-cabo destinadas a serem apertadas ou mantidas apertadas durante a instalação devem ser adequadas para prender sem ocasionar danos ao prensa-cabo ou ao cabo, com ferramentas de uso comum ou de acordo com as instruções do fabricante. Para os tamanhos até M110 inclusive, a rosca de entrada, se existir, deve ser construída de acordo com a IEC 60423. A conformidade é verificada por medição ou por ensaio manual.

Todas as bordas e cantos salientes externos dos componentes do prensa-cabo devem ser lisos para evitar o perigo de lesão ao manusear o prensa-cabo. A conformidade é verificada por inspeção e por ensaio manual. Os prensa-cabos devem ser construídos para evitar danos ao cabo, quando instalados de acordo com as instruções do fabricante ou do fornecedor. A conformidade é verificada por inspeção.

Os prensa-cabos declarados com uma ancoragem do cabo devem liberar os condutores dos esforços, sem torção. A conformidade é verificada pelos seguintes ensaios. Para os prensa-cabos munidos de um sistema de vedação, um mandril de ensaio equivalente ao valor mínimo da faixa de ancoragem do prensa-cabo, como declarado pelo fabricante ou fornecedor, é fixado na amostra.

Para os prensa-cabos munidos de um sistema de vedação, um mandril de ensaio equivalente ao valor mínimo da faixa de ancoragem do menor orifício do prensa-cabo é fixado no menor orifício da amostra e cada orifício restante é fechado com um tampão equivalente ao valor mínimo de sua faixa de vedação. O mandril de ensaio é marcado quando ele está sem carga, de modo que qualquer deslocamento relativo ao prensa-cabo possa ser facilmente detectado.

O mandril de ensaio é tracionado 50 vezes, na cadência de 1 s, sem golpes, na direção do seu eixo, com esforço de tração adequado, como especificado na Tabela 2. Após este tempo, o deslocamento não pode ser superior a 2 mm. A medição deve ser realizada após a remoção da carga de tração no mandril de ensaio.

Para o ensaio da ancoragem do cabo para cabo armado, duas amostras, constituídas de dois prensa-cabos cada uma, são montadas. Na primeira amostra, os prensa-cabos são equipados, um em cada extremidade, com um cabo de 300 mm de comprimento, com o diâmetro da armadura máxima, como declarado pelo fabricante ou fornecedor.

Na segunda amostra, os prensa-cabos são equipados, um em cada extremidade, com um cabo de 300 mm de comprimento, com o diâmetro de armadura mínima como declarado pelo fabricante ou fornecedor. Para cada amostra, um prensa-cabo é fixado e o outro prensa-cabo é carregado de acordo com o valor apropriado definido na Tabela 2 (disponível na norma). O cabo é marcado de maneira a poder detectar facilmente qualquer deslocamento relativo em relação a cada um dos prensa-cabos.

A carga é mantida durante 5 min e, ao final deste período, o deslocamento não pode ultrapassar 3 mm em cada um dos prensa-cabos. Uma montagem típica para o ensaio da ancoragem do cabo para cabo armado é representada na Figura 4 (ver na norma). Em seguida ao ensaio, as amostras de prensa-cabos devem então ser submetidas ao ensaio de acordo com 10.2. Em seguida ao ensaio, as amostras de prensa cabos classificados de acordo com 6.3.1.3 são então submetidas ao ensaio de acordo com 10.2, seguido do ensaio de acordo com 10.3.2.



Categorias:Metrologia, Normalização

Tags:, , , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: