Publicado em 05 Jan 2021

A regulamentação da geração elétrica híbrida pode gerar 475.000 empregos

Redação

Eletricistas, engenheiros eletricistas, instaladores de painéis fotovoltaicos e operadores de drones serão os profissionais mais requisitados no novo mercado. Os trabalhadores devem começar a planejar a sua qualificação. Os especialistas apontam que a implantação de painéis fotovoltaicos nos 109 GW das usinas hidrelétricas ampliaria a oferta para 128 GW, atrairia R$ 76 bilhões em dez anos, abrindo caminho para a criação de 475.000 empregos no Brasil. A solução passa pela otimização dos investimentos e ganha mais relevância como mitigação do impacto da pandemia sobre a economia.

Luiz Piauhylino Filho - 

Desde 21 de outubro, o setor energético analisa proposta da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que vai normatizar e dar segurança jurídica para a instalação dos novos parques de geração sobre lâminas d’água no gigantesco complexo de hidrelétricas em todo o país. A instalação das chamadas fazendas solares flutuantes tem impacto econômico, social, ambiental e de eficiência do modelo de geração.

Os especialistas apontam que a implantação de painéis fotovoltaicos nos 109 GW ampliaria a oferta para 128 GW, atrairia R$ 76 bilhões em dez anos, abrindo caminho para a criação de 475.000 empregos no Brasil. A solução passa pela otimização dos investimentos e ganha mais relevância como mitigação do impacto da pandemia sobre a economia.

A União Europeia projeta instalação de 3.350 GW adicionais até 2050 em energias renováveis na meta do carbono zero. A substituição da geração fóssil pelas tecnologias renováveis será responsável por um salto na sustentabilidade e na geração de empregos. A pandemia ampliou a necessidade de medidas de recuperação da economia.

O Brasil é um caso ímpar benef...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica