Publicado em 09 Feb 2021

A Qualidade dos sistemas eletrônicos e de automação para edificações

Redação

A ideia de tornar uma edificação inteligente, tanto residencial como industrial, é fazer a gestão dos recursos, reduzir custos e promover a melhor qualidade de vida dos usuários. Uma edificação que conta com a tecnologia eletrônica e de automação tende a gastar menos com energia, água e outros bens, já que pode ter todo o sistema smartizado, como luzes que se apagam sem ninguém no ambiente ou o ar condicionado que desliga automaticamente quando entende que uma reunião acabou ou quando não há pessoas naquele espaço. Além disso, a promoção de um ambiente mais saudável com experiências positivas para os habitantes pode ir desde o reconhecimento facial, desafogar a portaria de um prédio até mesmo o celular que mostra uma vaga disponível na garagem. Sem contar a segurança, que deve ganhar muito com o conceito de smart building. Em resumo, tornar uma edificação inteligente é utilizar a tecnologia para compartilhar informações sobre o que está acontecendo no próprio prédio a partir de dados em tempo real utilizando automação para otimizar os serviços e até futuras construções. Por exemplo, com a tecnologia de monitoramento é possível detectar riscos de falhas nos sistemas e construção dos edifícios. Com o processamento desses dados através de inteligência artificial, ações preventivas são feitas antes que um problema apareça ou tome a melhor solução em causa de pane. O maior benefício dos smarts buildings são os dados coletados. Eles podem proporcionar as ações e as medidas exatas - com base no processamento da inteligência artificial a experiência dos usuários é aprimorada e essas soluções são mais imediatas e assertivas. A gestão de uso da água é uma preocupação que pode ser otimizada nos edifícios inteligentes. É preciso monitorar o uso de água e evitar o desperdício com torneiras abertas, além de identificar desvios fora do padrão. Igualmente, a gestão de uso da energia com monitoramentos especializados e sistemas inteligentes que desligam os aparelhos. A economia energética é um grande diferencial. Dessa forma, quando um espaço é pensado nas pessoas que vão utilizá-lo, ele se torna mais produtivo. Esses tipos de edificação oferecem mais conforto e se preocupam com o valor gerado às pessoas, por isso é sinônimo de aumento de produtividade e bem-estar. Por isso, a importância dos sistemas eletrônicos para residências e edificações (home and building electronic systems - HBES) e sistemas de automação e controle de edificações (building automation and control systems - BACS). Assim, deve-se conhecer uma norma da família de produtos que estabelece o nível mínimo de desempenho EMC para a rede HBES/BACS, além das normas de electromagnetic compatibility (EMC) de produtos aplicáveis aos dispositivos HBES/BACS.

Hayrton Rodrigues do Prado Filho – 

As edificações inteligentes oferecem mais controle sobre o ambiente e as operações da construção. Os benefícios de ter mais controle são numerosos - imagine ser capaz de tirar os ocupantes de um espaço se o nível de partículas aumentar ou cortar milhares de dólares em sua conta de energia elétrica simplesmente operando o ar-condicionado de forma mais estratégica. Os resultados produzidos por essas ações são tangíveis e incrivelmente benéficos para seus ocupantes, sua lucratividade e para o meio ambiente da Terra.

Não é de admirar que 70% das organizações pretendem aumentar seus investimentos em tecnologia de construção inteligente em um futuro próximo. Os edifícios inteligentes usam os dispositivos de internet das coisas (IoT) - sensores, software, conectividade online, etc.- para monitorar várias características da edificação, analisar os dados e gerar insights sobre padrões de uso e tendências que podem ser usados para otimizar o ambiente e as operações do edifício.

Quando se deseja garantir o funcionamento contínuo dos equipamentos críticos, pode-se usar sensores para med...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica