Publicado em 06 Jul 2021

Determinando os vários gases que exalam dos escapamentos dos veículos leves

Redação

Um veículo rodoviário automotor leve é aquele que transporte passageiros, de carga ou de uso misto, com capacidade para transportar até 12 ocupantes, incluindo o condutor, e com massa total máxima inferior a 2.800 kg. O gás de escapamento emitido é o conjunto de substâncias emitidas pelo tubo de escapamento do veículo para a atmosfera. Em linhas gerais, os motores a gasolina são alimentados com dois compostos químicos, gasolina e ar. A gasolina é composta por dois elementos, hidrogênio (H2) e carbono (C). Na forma de gasolina, esses dois produtos químicos se combinam para formar o que chamamos de hidrocarboneto (HC). O ar é feito principalmente de dois elementos, oxigênio (O2) e nitrogênio (N2).?Se os motores a gasolina queimassem seu combustível da forma mais eficiente possível, eles produziriam três subprodutos: vapor d'água (H2O), dióxido de carbono (CO2) e nitrogênio (N2).? Nenhum desses compostos químicos é prejudicial, mas os ambientalistas argumentam que quantidades excessivas de dióxido de carbono promovem a formação do efeito estufa. No entanto, H2O, CO2 e N2 são os subprodutos mais desejáveis da combustão e os engenheiros automotivos se esforçam para criar sistemas de controle de emissões que permitam a um veículo produzir apenas esses três grupos químicos. Infelizmente, os motores não funcionam perfeitamente e, como resultado, eles também produzem três subprodutos comumente chamados de poluentes automotivos que incluem o monóxido de carbono (CO) que é um gás tóxico, inodoro e insípido, e que pode causar uma variedade de problemas de saúde e até a morte. Muitas áreas urbanas experimentam níveis criticamente elevados de monóxido de carbono, especialmente durante os meses frios de inverno, quando os motores demoram mais para aquecer e funcionar de forma limpa. Outro produto são os hidrocarbonetos não queimados, responsáveis por causar uma variedade de problemas respiratórios e que também podem causar danos às plantações e promover a formação de poluição. Por fim, os óxidos de nitrogênio (NOX) que causam problemas respiratórios e promovem a formação de poluição. Dessa forma, é importante conhecer um método para a determinação de hidrocarbonetos totais (THC), não metano (NMHC), gases orgânicos não metano (NMOG), monóxido de carbono (CO), óxido de nitrogênio (NOx), dióxido de carbono (CO2) e material particulado emitidos pelo motor de veículos rodoviários automotores leves, funcionando sobre um dinamômetro de chassi que simule uma condição de uso em vias urbanas.

Da Redação – 

A fumaça do escapamento de um veículo pode irritar os olhos e o trato respiratório e é um risco à saúde ao respirar. A fumaça do motor movida a gasolina contém monóxido de carbono, um gás venenoso. A exposição prolongada a vapores de diesel, especialmente fumaça azul ou preta, pode causar tosse e falta de ar. A exposição repetida de longo prazo a esses vapores por um período de cerca de 20 anos pode aumentar o risco de câncer de pulmão.

Os gases dos escapamentos podem atingir rapidamente concentrações prejudiciais, particularmente de motores frios ou de funcionamento intermitente (quando funcionam em ambientes internos sem ventilação de exaustão). Não se pode confiar em conversores catalíticos para operar os motores com segurança em ambientes internos, pois eles são menos eficazes quando os gases de escape são relativamente frios, por exemplo, de veículos em marcha lenta por longos períodos ou usados intermitentemente por curtos períodos. Os conversores catalíticos não removem óxidos tóxicos de nitrogênio.

Dessa forma, entre os desafios da transição energética, reduzir as emissões de CO2 do setor...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica