Publicado em 28 Dec 2021

Os laringoscópios para intubação traqueal devem obedecer a norma técnica

Redação

Os laringoscópios podem ser usados para realizar exames de laringe e para ajudar na intubação endotraqueal do paciente a fim realizar a ventilação dos pulmões. Ele é formado por um cabo, que, por suas dimensões, pode ter uso pediátrico ou adulto, bem como uma cabeça em forma de lâmina. O cabo, além de ser o local onde se insere a bateria, também é por onde o profissional maneja o equipamento em sua utilização. A finalidade da bateria é acender a lâmpada que fica na ponta da lâmina (no aparelho convencional) ou no próprio cabo no equipamento de fibra óptica, que permite visualizar minuciosamente a laringe. A escolha entre uma lâmina curva ou reta é feita baseada na experiência e predileção do profissional da saúde. A lâmina para um determinado paciente deve ser grande o suficiente para conter a língua e atingir as estruturas da glote. De acordo com a experiência médica, a intubação mostra mais possibilidades de êxito na primeira tentativa, quando o comprimento da lâmina utilizada para a laringoscopia fica a um centímetro da distância entre os incisivos superiores e o ângulo da mandíbula. A lâmina deve ser encaixada corretamente ao cabo para acionar a bateria. São vários modelos de lâmina para os mais diversos tipos de pacientes e patologias. A laringoscopia é o exame é considerado simples, com duração entre 5 e 45 minutos, podendo ser realizado de forma direta ou indireta. Na forma direta, o paciente é anestesiado e um tubo especial é colocado em sua garganta, introduzido pelo nariz ou pela boca. Assim, o médico consegue ter uma visão mais detalhada da laringe e também pode coletar amostras de material e remover tumores ou objetos. Na forma indireta, o paciente não precisa ser deitado. Basta ficar sentado com postura ereta, enquanto o médico borrifa um anestésico em sua garganta. Deve ser colocada uma gaze em cima da língua, para imobilizá-la impedindo que deslize. Em seguida, com o uso de um espelho, o médico examina a região, podendo pedir para o paciente fazer certos sons para movimentar a laringe. Por isso, deve-se conhecer os requisitos normativos para a fabricação dos laringoscópios com lâminas não flexíveis, com fontes de energia operadas por bateria interna, usadas para iluminar a laringe durante a intubação.

Da Redação – 

O laringoscópio é um instrumento composto por um cabo, que comporta pilhas de tamanho médio para alimentação de uma lâmpada, e articula-se a uma lâmina reta ou curva. O conjunto é constituído basicamente por aço inoxidável e/ou latão, portanto termorresistente e os fabricantes pedem no manual do aparelho a necessidade da retirada das pilhas e por vezes das lâmpadas antes do processamento. Este equipamento é destinado ao acesso ventilatório em intubações traqueais, observação de vias respiratórias e procedimentos cirúrgicos da laringe.

Durante um procedimento de laringoscopia, a lâmina do equipamento é introduzida na cavidade oral do paciente, sendo, portanto, classificada como material semicrítico. Entretanto, a classificação de acordo com o potencial de causar infecções e o tipo de processamento indicado para o cabo do equipamento tem gerado polêmica na literatura internacional, pela compreensão equivocada de que cabo e lâminas consistem em equipamentos diferentes e de que o cabo, por não entrar em contato direto com o paciente, pode ser classificado como material não crítico.

Considerar o cabo do la...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica