Publicado em 04 Jan 2022

A Qualidade das rochas e dos granitos para revestimentos

Redação

As rochas têm sido um elemento básico dos materiais de construção desde o início dos tempos e os principais benefícios do revestimento com rochas são sua resistência, durabilidade e apelo estético. Com uma infinidade de possibilidades que podem melhorar a aparência de qualquer exterior ou interior, ter um conhecimento sólido do revestimento com rochas é fundamental para garantir o uso adequado no projeto. Para alcançar um sistema de fixação seguro e confiável para revestimento com rochas, é essencial considerar totalmente as implicações do peso e das propriedades das rochas naturais, no início do trabalho do projeto, pois o peso é a principal preocupação ao construir com rochas. Basicamente, pode-se estar falando sobre aderir ou prender um material muito pesado a uma superfície vertical. Muitos tipos de rochas naturais são excelentes materiais de revestimento e eles podem ser divididos em três grupos geológicos: rochas sedimentares como calcário e arenito, rochas metamórficas como ardósia e mármore e, por último, rochas ígneas como o granito. Ao selecionar o melhor tipo de rocha, os projetistas devem considerar uma série de fatores, incluindo a aparência, o uso pretendido, o tamanho do projeto e, o mais importante, o composto que fornecerá a resistência e durabilidade adequadas. Os especialistas recomendam se deve evitar o excesso de água na preparação das argamassas de fixação, bem como evitar a adição de cal nessas argamassas, pois apesar de a cal proporcionar maior trabalhabilidade à mistura, pode provocar o surgimento de eflorescências em pisos e paredes. Se não houver excesso de água na preparação das argamassas cimentícias, bem como suprimento de água a partir de outras fontes externas, o processo de carbonatação do hidróxido de cálcio esgota-se dentro do sistema rocha/argamassas, sem nenhum efeito externo visível. Respeitar os tempos de cura das bases, o emboço ou o contrapiso, antes da aplicação do revestimento, cumpre a finalidade de permitir a carbonatação do hidróxido de cálcio e, portanto, reduzir ou eliminar totalmente, pela reação de cura ou evaporação, o excesso de água das argamassas. Uma função semelhante é atribuída à espera na execução do rejuntamento, após aplicação da argamassa de assentamento, por serem as juntas o caminho mais fácil para a saída de água. Por isso, é importante entender os parâmetros para elaboração de projeto, execução e fiscalização de revestimento de fachadas com placas de rochas por meio de insertos metálicos, além das as características físicas e mecânicas típicas de granitos destinados a revestimentos de edificações.

As rochas para revestimentos, ígneas, metamórficas ou sedimentares, podem ser diferenciadas por meio das descrições petrográficas, considerando suas peculiaridades texturais. Elas podem ser classificadas para aplicações ornamentais e de revestimento, com base em elementos que compõem uma análise petrográfica, tais como: conteúdo mineralógico, coloração, presença ou ausência de estruturas planares e lineares, forma e tamanho dos grãos.

Em termos de produção, dentre os principais tipos de rochas com aproveitamento no setor de rochas ornamentais e de revestimento no Brasil, destacam-se as ocorrências de maciços granitoides, com grande diversidade de tipos, como os gnaisses, migmatitos, granitos, etc.), inúmeros depósitos de rochas quartzíticas, inúmeras lentes de calcários e de mármores, raras ocorrências de esteatitos ou pedra sabão e de serpentinitos, diques e corpos gabroicos, depósitos de xistos diversos, rochas miloníticas e depósitos de folhelhos que não são ardósias.

As rochas para revestimento podem ser consideradas produtos do desmonte de materiais rochosos em blocos e de seu subsequente desdobramento em chapas, posteriormente polidas e...

Artigo atualizado em 16/12/2021 06:42.

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica