Publicado em 23 Mar 2021

A Qualidade dos vidros termoendurecidos planos

Redação

A fabricação do vidro temperado é realizada por meio de um forno de têmpera horizontal ou vertical. O vidro float (comum) é submetido a um processo de aquecimento e resfriamento rápido que o torna mais resistente mecanicamente (até cinco vezes mais do que o vidro comum) e a choques térmicos. É considerado um vidro de segurança, uma vez que, em caso de quebra, fragmenta-se em pequenos pedaços, diminuindo o risco de ferimentos. Tais características fazem com que ele esteja muito presente na construção civil, na indústria automotiva e também na decoração. Já o vidro termoendurecido, assim como o temperado, é um vidro tratado termicamente para adquirir resistência mecânica superior à do float — dependendo da espessura, é até duas vezes e meia mais forte. Ambos também precisam passar pelo pré-processamento (corte, lapidação, furação, lavagem etc.) antes de irem ao forno. No entanto, a semelhança acaba por aí. Diferente do temperado, o termoendurecido não pode ser considerado um vidro de segurança: fragmenta-se em pedaços um pouco maiores quando partido e, normalmente, é usado na composição de laminados ou insulados. Deve-se conhecer os requisitos gerais, os métodos de ensaio e as precauções necessárias para assegurar a segurança, a durabilidade e a qualidade do vidro termoendurecido plano.

Da Redação – 

A expressão vidro tratado termicamente vem sendo utilizada para descrever o vidro que passou por um forno de têmpera a fim de alterar suas características de resistência a variações térmicas e mecânicas. Esse processo ajuda as propriedades do vidro comum (float), fazendo com que obtenha padrões de quebra adequados a aplicações em envidraçamentos de segurança quanto a este aspecto. Por isso, esse tipo de vidro é conhecido também como vidro reforçado por calor.

Existem dois tipos de tratamento por calor: o que produz vidros termoendurecidos e o que produz os temperados. O tratamento por calor ocorre da seguinte forma: uma peça de vidro comum é cortada no tamanho desejado, transferida para um forno e aquecida a uma temperatura de cerca de 620º C. Após atingir essa temperatura, a peça é resfriada rapidamente por um sistema que faz com que o ar seja soprado em ambas as superfícies do vidro ao mesmo tempo.

O processo de resfriamento cria um estado de alta compressão nas duas superfícies do vidro, enquanto o núcleo da peça exerce uma tensão compensadora. As características físicas do vidro alteradas, assim, ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica