Publicado em 22 Jun 2021

O projeto para a função de parada de emergência em máquinas

Redação

A função de parada de emergência se destina a evitar o surgimento ou reduzir os riscos existentes às pessoas, danos às máquinas ou à ação em curso, e — ser iniciada por uma única ação humana. Dessa forma, um dispositivo elétrico de parada de emergência deve aplicar o princípio da ação de abertura direta com travamento mecânico. Os dispositivos elétricos de parada de emergência devem estar de acordo com a NBR IEC 60947-5-5. Um exemplo da aplicação do princípio da ação de abertura direta é um dispositivo de parada de emergência que empregue contatos elétricos que sejam abertos por meio de uma conexão rígida direta com o botão. De acordo com a NBR IEC 60947-5-1, a ação de abertura direta (de um elemento de contato) é a realização da separação de contatos como resultado direto de um movimento específico do atuador interruptor por meio de membros não resilientes (por exemplo, não dependentes de molas). Os dispositivos de parada de emergência pneumáticos ou hidráulicos devem aplicar o princípio da ação mecânica positiva (direta) (ver NBR ISO 12100:2013, 6.2.5) com travamento mecânico. Os sistemas pneumáticos e hidráulicos normalmente atuam no fechamento direto de uma válvula sem depender de molas. A atuação do dispositivo de parada de emergência deve gerar um comando de parada de emergência, mesmo que o atuador do dispositivo de parada de emergência não seja retido (trava). O atuador do dispositivo de parada de emergência deve ser na cor vermelha. Na medida em que existe um fundo por trás do atuador e, tanto quanto possível, o fundo deve ser na cor amarela. Os dispositivos de parada de emergência devem ser projetados e montados de tal forma que a atuação possa não ser facilmente bloqueada por meios simples. Isso pode acontecer quando objetos caem sob sua superfície de atuação ou quando há a intenção de burla. Recomenda-se evitar o dispositivo de parada de emergência que requeira uma chave para que o atuador seja desengatado (destravado). Quando um atuador de parada de emergência somente puder ser destravado com o uso de uma chave, para evitar ferimentos nas mãos, as instruções de uso da máquina devem descrever o uso correto da chave e informar que deve ser fornecido um aviso recomendando que a chave esteja no atuador do dispositivo somente durante a ação de destravamento do atuador. Deve-se entender os requisitos funcionais e os princípios de projeto para a função de parada de emergência em máquinas, independentemente do tipo de energia utilizada.

Geralmente, o dispositivo de parada de emergência deve ser projetado para evitar atuação não intencional. Na medida em que for praticável, a atuação não intencional deve ser evitada pela localização e não pelo uso de outras medidas de projeto. A atuação do dispositivo de parada de emergência não pode ser prejudicada.

Para evitar a atuação não intencional do dispositivo de parada de emergência, convém que algumas precauções sejam tomadas, por exemplo posicionar o dispositivo de parada de emergência longe de áreas com muito tráfego de pessoas, selecionar o tipo de dispositivo de parada de emergência, selecionar o tamanho ou forma apropriados do dispositivo de parada de emergência, ou montar o dispositivo de parada de emergência sobre uma superfície rebaixada nas proximidades do painel de comando. Recomenda-se que o uso de uma capa protetora ao redor do dispositivo de parada de emergência seja evitado, exceto quando outras medidas não forem viáveis para prevenir a atuação não intencional.

Uma capa protetora não pode ter cantos ou bordas afiadas ou superfícies ásperas, que possam levar a ferimentos. Os cantos e bordas devem ser desbastados e as s...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica