Publicado em 05 Jan 2021

As novas tecnologias podem melhorar o tratamento de água no Brasil

Redação

No caminho para tornar o acesso à água tratada cada vez mais universal e igualitário, a tecnologia exerce um papel cada vez mais importante. A privatização de empresas de tratamento de água entre a década de 1990 e os anos 2000 exerceu um impulso fundamental para a modernização de redes de tratamento. Para se ter uma ideia, nos últimos 20 anos foram investidos mais de R$ 15 bilhões em iniciativas tecnológicas pelas empresas privadas deste setor.

Alexandre da Silveira Serain – 

O acesso à água limpa parece um conceito básico em 2020 - especialmente nas torneiras de quem mora nas regiões centrais de metrópoles - mas a verdade é que isso ainda está longe de ser uma realidade para todos os brasileiros. Hoje, mais de 35 milhões de pessoas não possuem acesso a esse líquido de forma tratada em território nacional, de acordo com estimativas de 2018 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Mudar esse cenário não é tarefa fácil e depende da cooperação de agentes públicos e privados a fim de garantir a infraestrutura e processos necessários para que o acesso à água limpa seja cada vez mais popular no país. Muito já foi feito, é verdade - mais de 83% dos brasileiros são atendidos pelas redes de água tratada, ainda segundo o SNIS - mas esse esforço não pode parar.

No caminho para tornar o acesso à água tratada cada vez mais universal e igualitário, a tecnologia exerce um papel cada vez mais importante. A privatização de empresas de tratamento de água entre a década de 1990 e os anos 2000 exerceu um impulso fundamental para a modernização de redes de ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica