Publicado em 04 May 2021

A conformidade das fibras poliméricas para uso em concreto e argamassa

Redação

O concreto consiste em um material compósito com propriedades típicas de materiais cerâmicos como, por exemplo, a fragilidade. Sua composição básica apresenta uma matriz cimentícia, formado por cimento e água, que envolve os agregados graúdos e miúdos. O concreto possui uma resistência à compressão, adequada para o uso na construção civil. No entanto, possui baixos valores para a resistência a tração, o que leva a necessidade de reforçar o material para esse tipo de esforço. A utilização de fibras como adição no concreto tem como principal objetivo reduzir o surgimento de fissuras e diminuir suas aberturas. A influência das fibras poliméricas no comportamento do concreto foi analisada e estudada por diversos especialistas sobre diferentes aspectos. A adição de fibras de polipropileno melhora significativamente as propriedades mecânicas do concreto, entre elas resistência à tração, tenacidade e resistência à abrasão. A resistência à compressão apresenta pouca ou nenhuma variação com adição de fibras poliméricas. O módulo de elasticidade do concreto também não apresenta variação significativa com adição de fibras. o aumento do uso da fibra se justifica pelo baixo custo e fácil disponibilidade. A resina de polipropileno é mais barata que outros polímeros e, além disso, o processo de fabricação das fibras de polipropileno também é mais barato. Soma-se a isto o fato de que o seu manuseio, tanto na fábrica como na obra, não oferece qualquer dano a saúde dos operários. As fibras poliméricas, quanto a sua geometria são divididas em microfibras e macrofibras. O uso de microfibras de polipropileno (diâmetro equivalente micrométrico e esbeltez próxima da unidade) já é comum para ajudar a reduzir a fissuração por retração e controle de exsudação, entretanto, essas microfibras não têm função estrutural. Enquanto que as macrofibras de polipropileno (diâmetro equivalente milimétrico e esbeltez variando entre 20 e 100) são definidas como fibras estruturais e competem com as fibras aço. Deve-se entender os requisitos e métodos de ensaio para fibras poliméricas para uso estrutural e não estrutural em concreto e argamassa.

Os especialistas garantem que a redução da fissuração e exsudação com a adição das fibras poliméricas se deve ao fato de que elas dificultam a movimentação da água no interior do concreto, aumentando a sua coesão. Esse aumento pode ser desejável para alguns usos específicos como o concreto projetado ou pré-moldado, minimizando os riscos de desplacamentos e garantindo a estabilidade dimensional do concreto recém desformado.

As fibras de aço são as mais usadas e mais eficientes para concreto, e as fibras poliméricas podem ser mais apropriadas para situações específicas. Por exemplo, concretos arquitetônicos ou decorativos requerem fibras com um mínimo impacto visual, neste caso fibras de polipropileno, de poliéster ou de náilon podem ser mais apropriadas. A comparação do custo das fibras versus o desempenho esperado pode ser relevante na escolha das fibras. Entre as fibras estruturais poliméricas e as fibras de aço, o desempenho das fibras de aço é geralmente superior.

O concreto com fibras contém cimento hidráulico, água, agregados miúdos, agregados graúdos e fibras discretas descontínuas, podendo também ter aditivos químicos e adições minerai...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica