Publicado em 19 Oct 2021

A instalação de tubos para a proteção contra incêndio em chuveiros automáticos

Redação

Os tubos e conexões de poli (cloreto de vinila) clorado (CPVC) para uso em sistemas de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos são fabricados a partir do policloreto de vinila clorado, que possui alta resistência. Basicamente, a sua composição química é semelhante à do PVC, mas com a adição de cloro na fórmula. Isso torna o material mais resistente e maleável, o que se torna uma solução mais barata do que os tubos de cobre. O dimensionamento dos tubos e das conexões de CPVC é realizado com base em determinadas particularidades do sistema. Entre as características que devem ser analisadas estão a pressão, vazão, temperatura, os pontos de atendimento, a distribuição dos ramais e sub-ramais da rede, o tipo de fluído que será conduzido, entre outras. Conceitualmente, o CPVC é um homopolímero de PVC que foi submetido a uma reação de cloração. Normalmente, o cloro e o PVC reagem de acordo com um mecanismo básico de radicais livres, que pode ser provocado por várias abordagens que utilizam energia térmica e/ou raios UV. O CPVC é inerte a ácidos, bases, sais e hidrocarbonetos alifáticos, todos os quais tendem a corroer os metais. É essa resistência química inerente, associada à sua resistência à temperatura e à pressão, que permitem sua utilização em uma variedade de aplicações industriais e comerciais. Seja uma unidade unifamiliar ou um prédio com alta demanda, o CPVC oferece propriedades competitivas de chamas e fumaça e um método de junção mais simples do que muitas alternativas dos concorrentes. Os casos de uso incluem uma residência unifamiliar ou habitação autônoma; em uso residencial com estruturas de quatro andares ou menores, incluindo condomínios, hotéis ou motéis e prédios de apartamentos de várias unidades; e residencial comercial, com estruturas de cinco andares ou mais, incluindo edifícios altos, condomínios, hotéis e multiunidades. Dessa forma, deve-se conhecer as exigências e recomendações mínimas para a instalação de tubos e conexões de poli (cloreto de vinila) clorado (CPVC) para uso em sistemas de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos.

Da Redação – 

Os sistemas de sprinkler são uma das formas mais eficazes de proteção contra incêndio disponíveis, pois respondem rapidamente a um incêndio, protegendo vidas e propriedades, antes que o corpo de bombeiros chegue ao local. O de tubulação úmida é o tipo mais comum de sistema de extintores de incêndio. Os aspersores de tubos molhados contêm água nos tubos de extinção de incêndios. Eles são fáceis de manter e instalar. Um sistema de tubulação úmida é uma ótima opção para aplicações que precisam de um sistema de aspersão básico e simples para proteção contra incêndio.

O de tubulação seca é um sistema de aspersão de tubo seco é semelhante a um sistema de tubo úmido, exceto que a água não está contida dentro dos tubos. Os tubos contêm ar pressurizado ou nitrogênio e a água é retida por uma válvula até o sistema ser ativado. Os sistemas de tubos secos funcionam bem em ambientes onde os tubos correm risco de congelamento.

O sistema aspersão pré-ação funciona como o de aspersão a seco, a diferença é que a água é retida por uma válvula operada eletronicamente. Quando um incêndio é detectado, a válvula se abre e ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica