Publicado em 21 Dec 2021

A conformidade das vestimentas de proteção contra o calor e a chama

Redação

O fogo é um processo químico de transformação, podendo ser definido como o resultado de uma reação química que desprende luz e calor devido à combustão de materiais diversos. Os elementos que compõem o fogo são o combustível, o comburente (oxigênio), o calor e a reação em cadeia. Esse quarto elemento vai formar o quadrado ou tetraedro do fogo, substituindo o antigo triângulo do fogo. Existem pontos e temperaturas importantes do fogo, como o ponto de fulgor que é a temperatura mínima necessária para que um combustível desprenda vapores ou gases inflamáveis, os quais, combinados com o oxigênio do ar em contato com uma chama, começam a se queimar, mas a chama não se mantém porque os gases produzidos são ainda insuficientes; o ponto de combustão que é a temperatura mínima necessária para que um combustível desprenda vapores ou gases inflamáveis que, combinados com o oxigênio do ar e ao entrar em contato com uma chama, se inflamam, e, mesmo que se retire a chama, o fogo não se apaga, pois essa temperatura faz gerar, do combustível, vapores ou gases suficientes para manter o fogo ou a transformação em cadeia; e a temperatura de ignição que é aquela em que os gases desprendidos dos combustíveis entram em combustão apenas pelo contato com o oxigênio do ar, independentemente de qualquer fonte de calor. Por isso, deve-se proteger as pessoas que combatem o fogo com vestimentas de proteção contra calor e chama. Há requisitos de aceitabilidade, para a avaliação de desempenho, das vestimentas de proteção, quando são submetidas a ensaios, sob condições controladas, contra os perigos térmicos do calor e das chamas provenientes do fogo repentino, que podem ocorrer de forma fortuita e inesperada em ambientes suscetíveis a atmosferas potencialmente explosivas oriundas de atividades industriais em plantas químicas, petroquímicas, de prospecção de hidrocarbonetos ou de poeiras inflamáveis provenientes do fogo repentino.

Da Redação – 

Em linhas gerais, os incêndios são classificados de acordo com as características dos seus combustíveis. Assim, somente com o conhecimento da natureza do material que está se queimando, pode-se descobrir o melhor método para uma extinção rápida e segura. Os incêndios da classe A caracterizam-se por fogo em materiais sólidos; queimam em superfície e profundidade; após a queima deixam resíduos, brasas e cinzas. Esse tipo de incêndio é extinto principalmente pelo método de resfriamento, e as vezes por abafamento através de jato pulverizado.

Os de classe B caracterizam-se por fogo em combustíveis líquidos inflamáveis; queimam em superfície; após a queima, não deixam resíduos. Esse tipo de incêndio é extinto pelo método de abafamento. Os de classe C caracterizam–se por fogo em materiais/equipamentos energizados, geralmente equipamentos elétricos. A extinção só pode ser realizada com agente extintor não condutor de eletricidade, nunca com extintores de água ou espuma. O primeiro passo em um incêndio de classe C é desligar o quadro de energia elétrica, pois assim ele se tornará um incêndio de classe A ou B.

...

Artigo atualizado em 15/12/2021 02:44.

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica